Jordan Belfort: A história do Lobo de Wall Street

Jordan R. Belfort nasceu na cidade de Nova York em 9 de julho de 1962, foi corretor e atualmente se dedica a dar palestras.

Belfort se tornou milionário vendendo ações de baixo preço por telefone. No entanto, foi posteriormente acusado de fraude e violação de leis do mercado de ações, o que o levou a passar 22 meses na prisão.

Depois de ser pego e ir para a prisão, ele escreveu o famoso livro autobiográfico O Lobo de Wall Street, que foi adaptado para o cinema em 2013 por Martin Scorsese e se tornou um grande sucesso de bilheteria.

  • Nome: Jordan Ross Belfort.
  • Nascimento: 9 de julho de 1962. Local: Nova York, EUA.
  • Conhecido por: ser O Lobo de Wall Street.
  • Obras destacadasO Lobo de Wall Street, Pegando o lobo de Wall Street.
  • Esposas: Denise Lombardo (1985-1991), Nadine Caridi (1991-2005), Anne Koppe (2008-2020), Cristina Invernizzi ​(2021-presente).
jordan belfort

Biografia de Jordan R. Belfort

De família judaica, Jordan Belfort é filho de Leah e Max Belfort, que foram contadores, embora mais tarde sua mãe se tornou advogada.

Belfort foi criado no bairro de Queens, na cidade de Nova York.

Jordan e seu amigo íntimo de infância, Elliot Loewenstern, se dedicaram à venda de sorvetes italianos na praia, e os transportavam em coolers portáteis. O empreendimento permitiu que ganhassem 20.000 dólares.

Belfort planejava estudar odontologia, então se matriculou no Baltimore College of Dental Surgery. No entanto, sua estadia nessa instituição não durou muito. O reitor lhe disse: A era de ouro da odontologia acabou. Se você está aqui apenas para tentar ficar rico, está no lugar errado. E bem, podemos suspeitar por que Belfort abandonou essa carreira.

Finalmente, nosso protagonista estudou Biologia na American University, uma carreira ainda distante das finanças, mas chegaremos lá.

Seus primeiros trabalhos foram focados em vendas, começou vendendo aspiradores de porta em porta.

Belfort teve um empreendimento de venda de carnes e frutos do mar em domicílio em Long Island, Nova York. No início, teve sucesso, segundo o próprio Belfort, vendendo 2.250 quilos de carne e peixe por semana. Mas depois o negócio entrou em declínio e o jovem empresário, com apenas 25 anos, declarou falência.

E aqui é onde começou sua carreira como corretor de bolsa na LF Rothschild. No entanto, foi demitido quando a empresa enfrentou dificuldades financeiras geradas pela segunda-feira negra de 1987.

Em 1990, aos vinte e dois anos, fundou sua própria empresa, Stratton Oakmont.

Stratton Oakmont e as fraudes de Belfort

Durante a década de 1990, fundou, junto com Danny Porush, a corretora Stratton Oakmont. Esta empresa estava indo muito bem e se dedicava a vender penny stocks, ou seja, ações de baixo valor, geralmente menos de 5 dólares.

Belfort recorria ao pump and dump, ou seja, inflava o preço das ações que vendia divulgando notícias e rumores que eram falsos. O objetivo era impulsionar a cotação para que naquele momento os proprietários da empresa vendessem e se beneficiassem. No entanto, após essas vendas, o preço despencava, e aqueles que mantinham esses ativos perdiam dinheiro.

As ações vendidas com este método fraudulento nem sequer tinham expectativa de recuperação, pois o aumento em seu valor só se sustentou em informações falsas.

Durante os anos em que foi presidente da empresa, Jordan Belfort levou um estilo de vida muito agitado, com festas contínuas e uma forte dependência de drogas como a metacualona, como pode ser visto no filme O Lobo de Wall Street, estrelado por Leonardo DiCaprio.

Esta empresa chegou a ter em seu quadro mais de 1.000 corretores de bolsa e participou na emissão de novas ações no valor de mais de 1.000 milhões de dólares de cerca de 35 empresas, incluindo uma oferta pública de venda (OPV) da empresa de calçados Steve Madden Ltd. que se revelou fraudulenta.

Para acabar com as contínuas fraudes, o regulador financeiro, Joseph Borg, formou um grupo de trabalho multi-estatal que levou ao processamento da empresa Stratton.

Jordan Belfort foi acusado em 1998 de fraude de valores, lavagem de dinheiro e manipulação do mercado de ações. Após colaborar com o FBI, foi preso em uma prisão federal por 22 meses, condenado por pump and dump.

Isso resultou em uma perda de 200 milhões de dólares para os investidores. Belfort deve indenizar, segundo a justiça, com mais de 100 milhões a seus antigos clientes.

Foi na prisão onde Jordan Belfort conheceu Tommy Chong, que o encorajou a escrever suas histórias e publicá-las.

Belfort indenizou suas vítimas?

Belfort tem vindo a pagar indenizações, mas suas obrigações com este assunto não estão finalizadas.

Após sua saída da prisão, o acordo foi pagar 50% de seus rendimentos a seus clientes defraudados. No entanto, em 2013 o Departamento de Justiça dos EUA apresentou uma queixa alegando que isso não havia sido cumprido durante os quatro anos anteriores (desde 2009).

BusinessWeek informou que Belfort havia reportado rendimentos de 1,2 milhões de dólares pela venda dos direitos para o filme O Lobo de Wall Street. No entanto, teria pago apenas 21.000 dólares para a restituição de suas vítimas.

Belfort garantiu que foi o Governo que teria negado que se utilizasse 100% das rendas de seus livros para as indenizações a suas vítimas.

Programa de treinamento “The Straight Line System”

No final do filme O Lobo de Wall Street, Jordan Belfort aparece dando um treinamento de vendas no qual pede aos seus alunos que vendam uma caneta.

Um fato curioso da vida de Belfort é que ele adquiriu um iate luxuoso chamado Nadinne, que originalmente foi construído para a famosa Coco Chanel. Este naufragou perto da Sardenha em junho de 1996. Todos os tripulantes sobreviveram, mas o barco afundou.

O naufrágio do Nadinne ocorreu por insistência em sair para o mar, quando o capitão aconselhava o contrário devido às condições climáticas. E os avisos eram verdadeiros, pois uma onda quebrou a escotilha do iate e assim ocorreu o acidente.

Outro fato interessante é que Belfort investe em criptomoedas, embora inicialmente fosse cético em relação a elas.

Atualmente, Belfort se dedica a dar palestras e seminários. Seu discurso é sobre a importância da ética nos negócios e o aprendizado a partir dos erros. Embora, soe paradoxal que, segundo várias fontes, ele afirmou durante suas apresentações que 95% de seu negócio era legítimo.

Não sabemos se Belfort está ou não arrependido de suas ações. Só o tempo dirá, mas o fato é que a história deste personagem, tão atraente e peculiar, pode nos fazer refletir sobre como o mercado financeiro não apenas permite gerar riqueza, mas também enganar e em grande escala.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento