Elasticidade da Demanda | Entendendo e Aplicando este Conceito Crucial em Economia

A elasticidade da demanda ou elasticidade-preço da demanda é um conceito econômico que serve para descrever a variação na demanda de um bem ou serviço diante de mudanças em seus preços.

Em particular, a elasticidade da demanda explica a variação percentual na quantidade demandada em relação às variações percentuais no preço.

Este termo elasticidade da demanda foi criado pelo economista inglês Alfred Marshall e com ele tentava demonstrar a relação entre preços e demanda, que normalmente é inversa. Ou seja, quando o preço sobe, a demanda cai e vice-versa.

Como calcular a elasticidade da demanda ou elasticidade-preço da demanda

No próximo tópico, tentaremos explicar o conceito de equação da elasticidade da demanda. Quanto maior a inclinação na curva de demanda, podemos supor que a demanda do produto em questão será mais inelástica diante de variações de preço.

Este efeito é capturado na seguinte fórmula:

resultado da equação deve ser interpretado em valores absolutos e a interpretação seria a seguinte: De forma simplificada, um valor menor que um é considerado demanda inelástica, enquanto um valor superior a um é interpretado como demanda elástica (Mais adiante especificaremos cinco casos).

Exemplo

Imaginemos que o preço de um bem/serviço cai de 18,5 para 18. Isso significa que diminui em 2,7%. Da mesma forma, a demanda aumenta de 23 para 25, ou seja, cresce 8,7%

E=((25-23)/23)/((18-18,5)/18,5)=8,7%/-2,7%=-3,2174

Como vemos na parte superior, a elasticidade da demanda em valores absolutos nos dará um valor de 3,2174. Isso seria interpretado como um bem/serviço elástico no qual as diminuições percentuais do preço fazem a demanda crescer em proporções maiores.

Tipos de elasticidade-preço da demanda

Podemos classificar a demanda de produtos de acordo com sua elasticidade em cinco tipos:

Elástica: Quando a demanda por um bem ou serviço é muito sensível às mudanças nos preços, diz-se que tem uma demanda elástica (curva com pouca inclinação). Isso normalmente acontece em mercados com muita competição, onde um aumento de preços nos leva a consumir o bem/serviço da concorrência. Por exemplo, o mercado de água engarrafada. Em termos numéricos, isso implica que o resultado da elasticidade é maior que 1.

Inelástica: Quando a demanda por um bem ou serviço é muito pouco sensível a variações nos preços, diz-se que esse bem/serviço tem uma demanda inelástica (curva com muita inclinação). Este caso ocorre em mercados onde existe pouca ou nenhuma competição, ou o bem/serviço em questão é muito diferenciado em relação aos seus concorrentes, por exemplo, os produtos da Apple. Outra razão pela qual pode haver uma demanda inelástica é porque os produtos são de primeira necessidade (leite, pão, etc…). Em termos numéricos, a elasticidade resulta em um valor menor que 1.

Unitária: A variação no preço gera uma variação exatamente proporcional na quantidade demandada. A elasticidade é igual a 1.

Perfeitamente elástica: A elasticidade é infinita. Isso significa que, diante do menor aumento de preço, a demanda cai para zero. Da mesma forma, diante de qualquer queda de preço, a quantidade demandada dispara.

Perfeitamente inelástica: A elasticidade é igual a zero. A quantidade demandada é fixa e não apresenta variação diante de mudanças no preço.

É importante ressaltar que os últimos três casos são extremos e existem praticamente apenas de forma teórica.

Elasticidade da demanda: Bens Giffen

Existem produtos que, ao contrário do que normalmente vemos, têm uma curva de demanda positiva, sendo chamados de bens Giffen. Esses bens são normalmente considerados de luxo e seu alto preço é percebido como um símbolo de exclusividade ou status. Portanto, quando seu preço diminui, o público passa a considerar esses bens como menos exclusivos e, consequentemente, sua demanda também cai.

Podemos citar um exemplo para entender melhor. Imagine que uma pessoa comprará um vinho para presentear em uma ocasião especial. Talvez, sem ser especialista no assunto, prefira um vinho de preço mais alto, assumindo que isso garante maior qualidade.

De que depende a elasticidade da demanda?

A elasticidade da demanda de um produto é normalmente determinada por uma série de fatores. Principalmente estes são:

  • Existência de bens substitutos. Quanto mais bens substitutos existem, maior a competição entre os produtos e, portanto, é possível haver maior elasticidade da demanda no bem/serviço em questão.
  • Nível de renda. Se o preço do produto em questão representa uma porcentagem alta da renda do consumidor, é provável que esse produto tenha certa elasticidade. Por outro lado, se o produto representa uma baixa porcentagem da renda, a demanda tende a ser mais inelástica.
  • Diferenciação e lealdade à marca. Quando uma marca tem um público-alvo muito fiel, ou o produto está muito diferenciado da concorrência, o efeito na demanda de variações de preços será baixo e, portanto, o produto terá demanda inelástica.
  • Bens necessários. Os produtos considerados de necessidade, como alimentos, ou outros cuja compra é necessária independentemente do preço, tenderão à inelasticidade.
  • Prazo: A elasticidade da demanda normalmente é maior a longo prazo, especialmente em produtos com nenhum ou poucos bens substitutos. Este é o caso do petróleo, pois, a curto prazo, um aumento de preços terá um baixo impacto na demanda. No entanto, a longo prazo, se o aumento de preços persistir ou aumentar, os consumidores optarão por outros meios de transporte.

A elasticidade na curva de demanda

No estudo da elasticidade da demanda, deve-se notar que a curva de demanda de qualquer bem/serviço não tem a mesma elasticidade em todos os seus pontos.

Isso ocorre porque em altos preços, um aumento/diminuição unitário no preço representa uma variação percentual muito pequena do mesmo (pequena variação percentual do preço resulta em maior elasticidade). Por outro lado, a preços baixos, um aumento/diminuição unitário do preço representa uma variação considerável do preço. Lembre-se de que o preço é o denominador da fórmula que fornece a elasticidade da demanda.

O mesmo ocorre com a demanda. Em altos níveis de demanda, uma variação unitária desta representa uma variação percentual muito pequena (pequena variação percentual da demanda causa menor elasticidade). Por outro lado, em níveis baixos de demanda, uma variação unitária desta representa uma maior variação percentual. Ao contrário do preço, lembre-se, a demanda é o numerador da fórmula.

*Devemos enfatizar que neste artigo nos referimos à elasticidade-preço da demanda. No entanto, também temos a elasticidade-renda da demanda, que mede a sensibilidade da demanda a mudanças na renda.

Da mesma forma, temos outro indicador como a elasticidade cruzada, que mede o impacto da variação do preço de um produto na quantidade demandada de outro bem/serviço.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento