Entenda o conceito de risco econômico

O risco econômico é aquele risco que se assume principalmente quando se investe ou se estabelecem negócios com o exterior. Está relacionado, acima de tudo, as variáveis macroeconômicas como o tipo de câmbio ou a dívida pública.

Ou seja, o risco econômico é aquele próprio da economia internacional. Assim, pode ter um forte impacto nos resultados de uma empresa e, às vezes, não são situações previsíveis.

É importante esclarecer, antes de continuar com o artigo, que estamos tomando informações sobre o, chamado em inglês de economic risk. Isso, porque o conceito de risco econômico em espanhol costuma ter diferentes acepções dependendo da fonte consultada.

Exemplos de risco econômico

Alguns exemplos de risco econômico são:

  • Risco soberano: É a probabilidade de um governo entrar em falência ou default. Isso tem uma repercussão, em geral, nos negócios do país, pois o governo pode, por exemplo, aumentar os impostos sobre os cidadãos ou empresas para equilibrar suas contas. Outra decisão que pode ser tomada é a redução do gasto público, o que pode afetar a população (se o gasto em serviços básicos como saúde for cortado), causando descontentamento social e, eventualmente, instabilidade política.
  • Mudanças bruscas no tipo de câmbio: Um movimento drástico no tipo de câmbio pode afetar os resultados de uma empresa. Por exemplo, consideremos o caso de uma empresa espanhola que exporta para os Estados Unidos e recebe receitas em dólares. Então, se o dólar se enfraquece em relação ao euro inesperadamente, o valor das vendas da empresa, se calculamos o equivalente em euros, será menor do que o esperado. Imagine que a receita foi de 150.000 dólares. A empresa previa um tipo de câmbio eurodólar de 1,0086, ou seja, cada euro é igual a 1,0086 dólares. Assim, a empresa estimou que suas receitas equivaleriam a aproximadamente 148.721 euros. No entanto, se o tipo de câmbio é de 1,02, a receita da empresa será de 147.058,82 euros. A diferença é de aproximadamente 1.662 euros.
  • Hiperinflação: Em um caso extremo, o aumento de preços pode se transformar em hiperinflação. Isso afeta todos os atores do sistema, especialmente aquelas pessoas com menores rendimentos, porque sua capacidade de gasto é afetada. Diante da incerteza, os indivíduos podem optar por converter seu dinheiro em uma moeda estrangeira mais estável. A crise gerada por este fenômeno é geralmente acompanhada, além disso, de escassez, desemprego e default do Governo.

Como gerenciar o risco econômico?

Para gerenciar o risco econômico, sugere-se, por um lado, a diversificação. Isso pode ser alcançado, por exemplo, investindo em fundos mútuos internacionais. Estes colocam o capital administrado em diferentes mercados.

Outra medida a ser considerada são as coberturas. Isso significa, por exemplo, fixar uma taxa de câmbio para uma data futura. Dessa forma, o risco de perda é mitigado.

Finalmente, é importante monitorar os indicadores macroeconômicos e estar ciente da conjuntura do país onde se está investindo ou com o qual se está fazendo negócios.

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados