O que é a alocação de ativos em finanças?

Alocação de ativos, que poderia ser traduzido como alocação de ativos, é a ponderação das diferentes classes de valores financeiros dentro de um portfólio. Basicamente, é a estratégia que cada investidor segue para distribuir seu capital entre as diferentes classes de ativos a fim de melhorar o desempenho e/ou controlar o risco do agregado.

Ou seja, trata-se de distribuir o orçamento destinado ao investimento entre ações, futuros, títulos, commodities, liquidez, etc. Ou, visto de maneira mais geral, entre renda fixa e renda variável.

A tarefa de alocação de ativos é realizada sempre considerando o perfil do investidor e o momento econômico em que nos encontramos.

Quando o mercado enfrenta incerteza, por exemplo, os investidores normalmente ponderam mais aqueles ativos menos voláteis em seu portfólio. Estes podem ser commodities como ouro ou moedas como o dólar, que é reconhecido por sua força.

O trabalho de alocação de ativos leva em conta que o valor dos ativos varia de ano para ano. Por esse motivo, é necessário fazer uma revisão periódica do portfólio para recompor e reduzir o risco.

Nesse sentido, é crucial diversificar para compensar possíveis quedas ou aumentos entre os ativos, e assim minimizar possíveis perdas. Ou seja, nem tudo pode ser investido em ações ou títulos.

Objetivos da alocação de ativos

Os objetivos da alocação de ativos são os seguintes:

  • No caso particular de optar por uma gestão ativa (mais do que passiva) o objetivo é superar o mercado, ou seja, superar o desempenho do benchmark ou indicador de referência. Este pode ser, por exemplo, o índice representativo de um mercado de ações.
  • Conseguir um equilíbrio entre a rentabilidade, o risco e o horizonte de investimento proposto pelo agente.
  • Estabelecer uma política de investimento que será adaptada conforme as condições do mercado mudam no curto e médio prazo.
  • Não leva em conta apenas a tipologia do ativo no momento da análise (se é renda fixa ou variável), mas também se vem do mercado local ou estrangeiro, e a qual setor pertence, entre outros fatores.

Fases da alocação de ativos

As fases da alocação de ativos podem ser resumidas da seguinte forma:

  • Definição da política de investimento. Para isso, é necessário conhecer os objetivos do investidor e seu nível de aversão ao risco.
  • É montado um portfólio de acordo com os objetivos estabelecidos na fase anterior. É selecionada a combinação de ativos que permite otimizar a rentabilidade para o investidor. Exemplo: 15% renda fixa local, 20% renda fixa estrangeira, 35% renda variável local, 30% renda variável estrangeira.
  • Adaptação do portfólio a eventos de curto e médio prazo. Como já mencionamos anteriormente, em momentos de incerteza, por exemplo, os investidores geralmente preferem investir uma maior porcentagem de seu portfólio em ativos com rendimento mais estável ao longo do tempo.
  • Avaliação periódica do portfólio através de medições para determinar se os objetivos inicialmente estabelecidos foram alcançados.

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados