O que é balanço de pagamentos?

O balanço de pagamentos é o registro contábil que inclui todas as operações comerciais e de troca de serviços de um país com o exterior, bem como os movimentos de capital que ocorrem como resultado. Portanto, estamos falando de um indicador macroeconômico de grande relevância, muito usado pelos economistas.

 O balanço de pagamentos não é mais do que um registro contábil que detalha todos os movimentos que um país faz em termos de cobranças e receitas do exterior durante um determinado período; geralmente um ano.

Devido às exportações, importações e transferências e movimentos de capital com o exterior, o balanço de pagamentos registra todas as receitas que entram do exterior, e os pagamentos que saem para o exterior, e nos oferece um resultado que, posteriormente, é analisado para ver o desempenho econômico do país, bem como as relações que tem, como enfatizamos na introdução, com o exterior.

E é que devemos saber que o balanço de pagamentos é um indicador macroeconômico muito utilizado pelos economistas. Pois, como muitos outros indicadores macroeconômicos, nos permite ver e analisar a situação econômica de um país e, especificamente, essas relações que tem com o exterior.

Análise do balanço de pagamentos

Como mencionamos no início deste artigo, um dos objetivos de conhecer o resultado do balanço de pagamentos é analisar a economia em questão.

Pois, como dissemos, o balanço de pagamentos é um indicador macroeconômico muito útil para conhecer as relações de um país com o exterior.

Superávit e déficit do balanço de pagamentos

Em primeiro lugar, devemos indicar que, considerando que o balanço de pagamentos considera as receitas e os pagamentos ao exterior, a análise deste balanço pode nos oferecer dois resultados possíveis:

  1. Se os pagamentos ao exterior forem superiores às receitas, diremos que temos um déficit no balanço de pagamentos.
  2. Se os pagamentos ao exterior forem inferiores às receitas que o país recebe de outras economias, diremos que temos um superávit no balanço de pagamentos.

Importância do balanço de pagamentos como indicador econômico

O resultado obtido do balanço de pagamentos, como mencionamos anteriormente, é estudado pelos economistas para entender o comportamento da economia em questão. Pois isso permite conhecer as entradas de dinheiro que vêm do exterior e as saídas de dinheiro que ocorrem no país como resultado das importações e exportações de bens e serviços, movimentos de capital, bem como outros eventos que determinam o comportamento da economia.

Analisando o balanço de pagamentos, podemos dizer que, caso as despesas superem significativamente as receitas e haja um déficit muito acentuado, isso poderia estar nos indicando que, diante de uma falta de poupança interna, estamos consumindo mais do que podemos pagar e, portanto, estamos nos endividando para isso.

Mas, assim como podemos tirar essa conclusão, um alto superávit poderia nos indicar que o país é muito competitivo e as exportações, por algum motivo, estão disparando em relação às importações.

Em essência, o balanço de pagamentos, ou melhor, o saldo que o balanço de pagamentos mostra nos diz muito sobre uma economia e suas relações com o exterior.

Estrutura do balanço de pagamentos

O balanço de pagamentos é dividido em quatro contas principais:

  • Conta corrente do balanço de pagamentos: É a conta mais importante. Esta registra as importações e exportações de bens e serviços, além de incluir as rendas e as transferências. Esta, por sua vez, é dividida em outras quatro contas, sendo a balança comercial, a de serviços, a de rendas e a de transferências.
  • Conta de capital do balanço de pagamentos: Esta conta registra os movimentos de capitais, como o nome indica. Entre eles, poderíamos encontrar as transferências de capital, como poderiam ser os fundos e as ajudas europeias.
  • Conta financeira do balanço de pagamentos: Esta conta detalha aqueles empréstimos que um país pediu ao exterior, ao mesmo tempo que também registra os investimentos ou os depósitos que outros países do exterior fazem em nosso país.
  • Erros e omissões: A conta de erros e omissões registra todas aquelas imprecisões produzidas no cálculo das contas anteriores.

Na imagem a seguir, podemos apreciar a estrutura que detalhamos:

Fórmula do balanço de pagamentos

Agora que já conhecemos o que é o balanço de pagamentos, e sabemos seu uso e sua estrutura, é hora de conhecer a fórmula usada para calcular o saldo do balanço de pagamentos.

Nesse sentido, a fórmula usada é a seguinte:

Balanço de pagamentos= Conta corrente + Conta de capital + Conta financeira + Erros e omissões

Onde:

  • Conta corrente = Exportações – importações + rendas + transferências
  • Conta de capital = Receitas provenientes do exterior – pagamentos realizados ao exterior
  • Conta financeira = Variação líquida de passivos financeiros (receitas do exterior) – variação líquida de ativos financeiros (pagamentos ao exterior).

Crise do balanço de pagamentos

Quando falamos do balanço de pagamentos, também é comum ouvir o conceito “crise do balanço de pagamentos”. E nessa linha, dito isso, é preciso destacar que uma economia também pode sofrer uma crise derivada de uma situação produzida no balanço de pagamentos.

Dizemos que um país registra uma crise no balanço de pagamentos quando este experimenta uma forte variação em seu nível de reservas externas, motivada pelas expectativas dos agentes econômicos. Nesse sentido, expectativas que não auguram nada bom no que diz respeito à evolução da taxa de câmbio futura.

Se os agentes econômicos consideram que o Banco Central pode responder aos problemas desvalorizando sua moeda para ser mais competitivo, poderia ocorrer essa perda de reservas, derivando esta situação em uma crise do balanço de pagamentos.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento