Criptomoedas respaldadas em ouro: o que são e como funcionam?

As milhares de criptomoedas existentes podem ser agrupadas em várias categorias, levando em consideração o tipo de “lastro” que possuem para o seu valor de mercado.

As principais do mercado, como Bitcoin e Ethereum, baseiam sua cotação na oferta e demanda; ou seja, se há mais compradores do que vendedores, o valor sobe, e vice-versa.

Outras criptomoedas, por outro lado, baseiam-se em ativos do mundo real. Por exemplo, as chamadas stablecoins tentam manter paridade com moedas nacionais como o dólar americano (o caso de Tether, USD Coin e DAI, entre outras), o euro (EURC) e o yuan (CNHt).

Além de moedas nacionais, as criptomoedas podem lastrear seu valor com outros ativos, como o ouro. Essa é a ideia por trás de criptoativos como PAX Gold e Tether Gold, que cobrem com reservas em ouro a emissão das criptomoedas que qualquer usuário do mundo pode comprar.

Definição de criptomoeda lastreada em ouro

As criptomoedas lastreadas em ouro são uma forma especial de criptomoedas que têm um valor subjacente lastreado por uma certa quantidade de ouro físico. Em essência, essas criptomoedas combinam a tecnologia blockchain das criptomoedas e a estabilidade do ouro como reserva de valor.

Ao contrário das criptomoedas convencionais, como bitcoin ou ether, cujo valor é baseado na oferta e demanda no mercado, as criptomoedas lastreadas em ouro têm um lastro físico tangível. Isso significa que, para cada unidade desta criptomoeda em circulação, existe uma quantidade equivalente de ouro armazenada em um cofre ou em algum outro lugar seguro.

Esta característica confere uma estabilidade inerente a estas criptomoedas, já que o valor do ouro tende a ser menos volátil em comparação com outras moedas tradicionais ou criptomoedas puramente digitais.

Como funciona o lastro em ouro de uma criptomoeda?

O funcionamento do lastro em ouro de uma criptomoeda é crucial para entender por que essas moedas são consideradas por muitos um investimento seguro. Para simplificar, podemos dividir o processo em várias etapas-chave.

Em primeiro lugar, a entidade emissora da criptomoeda lastreada em ouro deve adquirir uma quantidade determinada de ouro. Este ouro atua como garantia do valor da criptomoeda e é obtido no mercado, seja através da compra de barras de ouro ou pela aquisição de contratos futuros lastreados em ouro.

Uma vez adquirido, o ouro é armazenado em um local seguro, como cofres ou caixas-fortes. A entidade emissora é responsável por garantir que o ouro esteja protegido de forma segura para manter a confiança dos investidores na existência e segurança do lastro físico.

Com o ouro em custódia, procede-se à criação da criptomoeda lastreada em ouro. Cada unidade desta criptomoeda está vinculada de forma imutável a uma quantidade específica de ouro armazenada em custódia.
Este vínculo é estabelecido através de contratos inteligentes em uma blockchain projetada especificamente para esta criptomoeda.

A entidade emissora realiza auditorias e verificações periódicas para garantir que a quantidade de ouro em custódia corresponda à quantidade de criptomoedas em circulação. Este processo de verificação é essencial para garantir a transparência e a integridade do lastro em ouro.

Os investidores podem comprar, vender ou usar essas criptomoedas lastreadas em ouro de maneira semelhante a qualquer outra criptomoeda. A diferença é que, ao fazê-lo, estão operando com uma moeda cujo valor é lastreado por uma quantidade específica de ouro.

Vantagens e desvantagens das criptomoedas lastreadas em ouro

As criptomoedas lastreadas em ouro têm, devido às suas características, vantagens que são muito atraentes para certos tipos de investidores. Especialmente para aqueles que buscam minimizar riscos e recorrem a investimentos mais tradicionais.

A seguir, mencionamos alguns desses pontos positivos desses criptoativos:

  • Estabilidade de valor: como cada unidade da criptomoeda tem um lastro físico em forma de ouro, seu valor tende a ser menos volátil em comparação com as criptomoedas tradicionais.
  • Reserva de valor sólida: o ouro é um ativo que tem sido considerado por muito tempo como uma reserva de valor. Ao lastrear uma criptomoeda com ouro, é concedida uma base sólida e confiável, o que pode ser atraente para investidores que buscam proteger sua riqueza em tempos de incerteza econômica.
  • Acessibilidade ao ouro: as criptomoedas lastreadas em ouro permitem que investidores de todo o mundo acessem o ouro de maneira mais conveniente. Não é necessário possuir ouro físico, o que pode ser caro e complicado de armazenar. Em vez disso, os investidores podem ter exposição ao ouro através de um investimento digital.
  • Transações eficientes: a tecnologia blockchain que suporta essas criptomoedas permite transações rápidas e eficientes. Os usuários podem comprar, vender ou transferir essas moedas de maneira conveniente, sem as restrições e atrasos associados ao investimento em ouro físico.

Além dos pontos acima, também devem ser consideradas certas desvantagens ao analisar as criptomoedas lastreadas em ouro. As principais são as seguintes:

  • Dependência da entidade emissora: a confiança em uma criptomoeda lastreada em ouro muitas vezes depende da entidade emissora. Se essa empresa ou organização não for transparente ou não realizar auditorias adequadas, os investidores podem enfrentar riscos. A falta de regulamentação neste espaço também pode ser uma preocupação.
  • Custos associados: a conversão entre criptomoedas lastreadas em ouro e ouro físico pode estar sujeita a taxas e custos adicionais. Além disso, alguns provedores podem cobrar comissões por serviços de custódia e transferência.
  • Menor potencial de ganhos: embora a estabilidade seja uma vantagem, também pode ser uma desvantagem para os investidores que buscam ganhos significativos em um curto período. As criptomoedas lastreadas em ouro não experimentam os aumentos de valor espetaculares que são frequentemente vistos em outras criptomoedas.
  • Risco de fraude ou insolvência: existe o risco de a entidade emissora não cumprir com suas obrigações de lastro em ouro, seja devido a fraude ou insolvência. Nestes casos, os investidores podem perder parte ou todo o seu investimento.

Exemplos de criptomoedas lastreadas em ouro

Uma boa estratégia para entender melhor como funcionam e qual a utilidade das criptomoedas lastreadas em ouro é analisar casos particulares. A seguir, vamos aprofundar em alguns dos projetos mais conhecidos neste campo:

Lista das criptomoedas lastreadas em ouro mais populares

Estas são algumas das criptomoedas lastreadas em ouro mais populares no mercado. Cada uma delas tem suas próprias características e abordagens, mas compartilham a característica fundamental de lastrear seu valor com ouro físico.

  • Pax Gold (PAXG): Pax Gold é uma das criptomoedas lastreadas em ouro mais reconhecidas. Cada unidade de PAXG é lastreada por uma onça troy de ouro fino. A empresa por trás do PAXG, Paxos Trust Company, é conhecida por seu foco na regulamentação e transparência.
  • Tether Gold (XAUT): Tether Gold é uma variante do popular token estável Tether (USDT) que representa a propriedade de uma quantidade específica de ouro físico. Cada token XAUT é lastreado por uma quantidade fixa de ouro e pode ser resgatado pelo metal precioso se desejado. Tether é conhecido por sua relação 1:1 com o dólar americano e aplicou uma abordagem similar ao Tether Gold.
  • Kinesis Gold (KAU): desenvolvida e emitida pela Kinesis Money, esta criptomoeda lastreada em ouro é apresentada como uma forma de preservar as economias e conta com um cartão de débito que permite gastar o saldo acumulado em KAU. Uma unidade de KAU equivale a um grama de barras de ouro físico.

É importante destacar que algumas criptomoedas lastreadas em ouro que tiveram certa popularidade foram descontinuadas, como é o caso do Perth Mint Gold Token (PMGT). Outras, como o Digix Gold Token, têm uma base de usuários muito limitada e um volume de negociação muito baixo, de acordo com as estatísticas de seu próprio contrato inteligente.

Como investir em criptomoedas lastreadas em ouro?

Se você chegou até aqui, é possível que esteja interessado em investir em criptomoedas lastreadas em ouro e aproveitar seus benefícios. Na próxima seção, vamos contar onde você pode adquiri-las e guardá-las da maneira mais segura possível.

Onde comprar criptomoedas lastreadas em ouro?

Você pode comprar criptomoedas lastreadas em ouro em várias plataformas de troca de criptomoedas e mercados especializados.

Em relação à primeira opção mencionada, a maioria das criptomoedas lastreadas em ouro são negociadas em exchanges populares como Binance, Kraken, Bitfinex, OKX e KuCoin.

Você deve se registrar em uma dessas plataformas, verificar sua identidade e depositar fundos para começar a comprar.

Também exchanges descentralizadas como Uniswap costumam ter liquidez para a troca dessas criptomoedas.

Por outro lado, existem as plataformas especializadas. Ativos respaldados por ouro, como Tether Gold e Pax Gold, podem ser comprados diretamente em seus sites.

Outra alternativa são os mercados Peer-to-Peer ou P2P. Isso pode ser útil se você prefere lidar com pessoas em vez de usar uma plataforma de troca centralizada. Existem plataformas que possuem uma seção própria de troca P2P. As redes sociais são outro lugar onde você pode encontrar comunidades e grupos de troca, embora você deva ser cuidadoso com as fraudes que podem proliferar nesses ambientes.

Na hora de escolher onde comprar criptomoedas respaldadas em ouro, você deve considerar aspectos como as taxas, a liquidez e os métodos de depósito e retirada disponíveis. Como sempre, tenha em mente que o mercado de criptomoedas envolve riscos, por isso é essencial investir com cautela e diversificar seu portfólio de acordo com seus objetivos financeiros.

Passos para comprar criptomoedas respaldadas em ouro

Comprar criptomoedas respaldadas em ouro é um processo relativamente simples. Em primeiro lugar, você deve escolher uma das plataformas ou métodos mencionados anteriormente para comprar este tipo de criptoativo.

Se você escolher uma exchange centralizada, é muito provável que você precise criar uma conta e verificar sua identidade. Se você optar por uma plataforma descentralizada, basta conectar sua carteira ao protocolo para começar a operar.

Dependendo da plataforma que você escolher, você precisará depositar fundos para trocá-los por criptomoedas lastreadas em ouro. Na maioria delas, você pode depositar fundos na forma de moeda fiduciária (como dólares americanos, euros, etc.) ou até mesmo usando outras criptomoedas, se a plataforma permitir. Claro, se você usa uma exchange descentralizada ou se opera P2P, você precisará ter saldo em criptomoedas em sua carteira para trocar.

Uma vez que esses passos sejam cumpridos, será hora de fazer a troca. Você terá que escolher a criptomoeda que deseja comprar e o ativo que oferecerá em troca, seja moeda fiduciária ou criptomoeda. Siga os passos indicados pela plataforma e conclua a transação para obter a quantidade de criptomoedas lastreadas em ouro que desejar.

Como armazenar criptomoedas lastreadas em ouro?

Após a compra, é fundamental que você armazene suas criptomoedas lastreadas em ouro de forma segura. Algumas plataformas oferecem opções de custódia, onde eles mesmos cuidam da segurança. A desvantagem desses casos é que seus fundos dependem de decisões unilaterais da empresa, que pode falir, sofrer um ataque hacker ou ser alvo de regulamentações que coloquem seu dinheiro em risco.

Outra opção é transferir seus tokens para uma carteira de criptomoedas própria e segura, o que lhe dá mais controle sobre seus ativos. Você pode optar por uma carteira online (hot wallet) ou uma carteira física (cold wallet), dependendo de suas necessidades e preferências.

As carteiras online ou hot wallets são acessíveis de qualquer dispositivo com conexão à Internet. Por outro lado, as carteiras físicas ou cold wallets não estão conectadas à Internet e, portanto, são mais resistentes a possíveis tentativas de ataques hackers. As opções incluem carteiras de hardware (como Ledger Nano S ou Trezor) ou carteiras de papel (uma versão impressa de suas chaves privadas).

Independentemente do tipo de carteira que você escolher, é crucial fazer backup de suas chaves privadas. Essas chaves são a única maneira de acessar e controlar suas criptomoedas. Se você perder suas chaves privadas, poderá perder o acesso aos seus ativos. Mantenha cópias de segurança seguras e offline de suas chaves privadas, de preferência em locais separados.

Da mesma forma, se você estiver usando uma carteira de hardware, certifique-se de guardá-la em um local seguro e evitar danos físicos. Essas carteiras são resistentes, mas não indestrutíveis.

Como recomendação adicional, tente manter suas carteiras e sistemas atualizados com as últimas versões de software e firmware. As atualizações geralmente incluem melhorias de segurança para proteger seus ativos contra ameaças potenciais.

Perspectivas das criptomoedas lastreadas em ouro

Para muitos, as criptomoedas são o ativo do futuro. Outros, por outro lado, acreditam que as regulamentações podem afetar sua utilidade e valor.

Diante deste amplo espectro de possibilidades nos próximos anos, é difícil prever como o mercado de criptomoedas lastreadas em ouro se desenvolverá. Vamos aprofundar os fatores a serem considerados a seguir.

O futuro das criptomoedas lastreadas em ouro

As criptomoedas lastreadas em ouro têm um mercado conquistado, e seu futuro se apresenta interessante devido ao interesse institucional que podem gerar. Para citar exemplos, a capitalização de mercado de PAXG é de USD 478 milhões no momento da redação deste artigo; XAUT, por sua vez, chega a USD 489 milhões. Ambas estão entre as 80 principais criptomoedas neste índice, resultado da multiplicação de seu valor de mercado pelo total circulante do criptoativo.

Além do panorama atual, à medida que mais investidores e usuários buscam a estabilidade oferecida pelo lastro em ouro, é provável que vejamos um aumento na adoção dessas criptomoedas.

Deve-se considerar que o futuro das criptomoedas lastreadas em ouro estará intimamente relacionado à regulamentação. À medida que os reguladores definem marcos legais claros para esses ativos digitais, os investidores podem ganhar ainda mais confiança em seu uso. A transparência na custódia e no lastro em ouro será essencial para cumprir as regulamentações e manter a confiança do público.

Finalmente, toda inovação também favorecerá o crescimento do mercado desses criptoativos. Por exemplo, sua expansão para mais redes blockchain e plataformas, bem como a redução de custos ou a simplificação do processo de armazenamento atrairão mais usuários para esta tecnologia. Da mesma forma, podem contribuir diversas integrações com transações comerciais cotidianas ou produtos de investimento do setor financeiro tradicional.

Como o preço do ouro afeta o valor das criptomoedas lastreadas em ouro?

Como esperado, o preço do ouro tem uma influência significativa no valor das criptomoedas lastreadas em ouro. Isso pode ser facilmente verificado ao comparar os gráficos de preço do ouro e de PAXG no mesmo período de tempo, como visto a seguir (o exemplo ilustra o valor de mercado de ambos os ativos no último mês)

Nas imagens, pode-se ver que o padrão é idêntico, o que demonstra o sucesso do PAXG em replicar o valor de mercado do ouro.

A maioria das criptomoedas lastreadas em ouro são emitidas com uma relação de lastro fixa, por exemplo, 1 grama de ouro por token. Isso cria uma correlação direta entre o preço do ouro e o valor da criptomoeda. Se o preço do ouro sobe, o valor da criptomoeda tende a aumentar consequentemente.

O valor do ouro físico e, portanto, das criptomoedas lastreadas em ouro, também é afetado pela oferta e demanda no mercado. Mudanças na demanda por ouro, como investimento em barras de ouro ou fabricação de joias, podem influenciar o preço do ouro e, portanto, o valor das criptomoedas lastreadas em ouro.

Análise de mercado de criptomoedas lastreadas em ouro

A Tether é a empresa que emite o USDT, a stablecoin mais utilizada no mundo (e a terceira criptomoeda mais capitalizada de todas). No último ano, a criptomoeda lastreada em ouro emitida pela Tether, XAUT, cresceu 21% em seu valor de mercado, passando de USD 1.670 para USD 1.980 no fechamento desta nota. Na imagem a seguir, podemos ver como sua capitalização também teve um 2023 positivo, com um crescimento de quase USD 90 milhões.

Por outro lado, a criptomoeda lastreada em ouro da Paxos, PAXG, teve um crescimento similar (20%), algo totalmente esperado se considerarmos que ambas as criptomoedas têm relação direta com o preço do metal precioso no mercado.

Conclusões

Os dois casos anteriores são exemplos de criptomoedas que podem ser consideradas bem-sucedidas em seu objetivo de captar um mercado específico. Como mencionamos ao longo deste artigo, falamos de investidores que buscam aproveitar a estabilidade do ouro ou a confiança que este ativo desperta em todo o mundo, juntamente com a acessibilidade, segurança e conveniência que a tecnologia das criptomoedas oferece.

No entanto, isso não significa que as criptomoedas respaldadas em ouro sejam as melhores ou as mais convenientes. Na verdade, elas têm suas desvantagens, como o fato de dependerem de uma entidade central (empresas) que controla sua emissão e se encarrega de administrar as reservas que respaldam cada token. Nesse sentido, difere muito do bitcoin, a criptomoeda mais descentralizada e segura de todas.

De qualquer forma, as criptomoedas respaldadas em ouro podem ser úteis se você deseja investir neste metal de uma maneira moderna, para assim diversificar sua carteira de investimentos. Antes de fazer qualquer investimento, procure pesquisar a fundo cada projeto e nunca invista mais dinheiro do que está disposto a perder.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento