O que é e como investir no iBovespa?

Quando o assunto é renda variável, uma pergunta que frequentemente aparece é: Vale mesmo a pena investir em índices? 

E a resposta é: Depende! Depende do índice, do seu perfil como investidor, dos seus objetivos com os investimentos…

Um dos principais índices do mercado brasileiro é o Índice Bovespa, também conhecido Ibovespa B3 ou, simplesmente, IBOV

Criado em 1968, pela antiga Bolsa de Valores de São Paulo, o índice reúne hoje um histórico relevante, que hoje serve como indicador do desempenho das ações negociadas na B3.

Se você quer saber mais detalhes sobre o Ibovespa e como investir nesse índice, continue a leitura!

Qual a diferença entre Bovespa, Ibovespa e B3?

A B3, sigla para Brasil, Bolsa, Balcão, é a única bolsa de valores do Brasil e uma empresa de capital aberto. Ela é o ambiente onde ocorrem as negociações de ativos e derivativos financeiros, tendo passado por várias fusões ao longo de sua história, a mais recente em 2017, quando a então BM&FBovespa se fundiu com a CETIP, formando a B3.

Já a Bovespa, ou Bolsa de Valores de São Paulo, era o antigo nome da bolsa de valores de São Paulo, que se tornou obsoleto. No passado, cada estado brasileiro tinha sua própria bolsa, e a Bovespa era uma das mais relevantes. Com o tempo, as demais bolsas foram integradas à Bovespa, que depois se fundiu com a BM&F, formando a BM&FBovespa, precursora da atual B3.

Por fim, o Ibovespa é um índice de ações e não uma bolsa de valores. Ele é o principal indicador da bolsa de valores brasileira, composto pelas ações mais negociadas na B3. O Ibovespa serve como um termômetro do mercado de ações, refletindo o desempenho das empresas mais representativas listadas na bolsa.

Em resumo, a B3 é a entidade que opera a bolsa de valores no Brasil, a Bovespa era o nome antigo dessa bolsa antes das fusões e reestruturações, e o Ibovespa é um índice que reflete o desempenho das principais ações negociadas na B3.

O que é o Ibovespa?

O Ibovespa é, sem dúvidas, o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, a B3.

Nos documentos disponibilizados pela própria B3, “o objetivo do Ibovespa é ser o indicador do desempenho médio das cotações dos ativos de maior negociabilidade e representatividade do mercado de ações brasileiro”.

Composto por ações e units de empresas listadas na B3, ele forma uma carteira teórica de ações das empresas que, entre outros critérios, representam cerca de 85% do volume de ações negociado na bolsa. 

Além disso, para estar no índice, as empresas devem:

  • ter presença em pregão de 95% (noventa e cinco por cento) no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores;
  • ter participação em termos de volume financeiro maior ou igual a 0,1% no mercado a vista (lote-padrão), no período de vigência das 3 (três) carteiras anteriores; e
  • não serem classificadas como “Penny Stock” (ações de empresas com baixa capitalização de mercado e preço unitário de negociação muito baixo).

A B3 reavalia as empresas que devem compor o Ibovespa a cada quatro meses — o que ocorre em janeiro, maio e setembro.

Aqui estão algumas das informações mais importantes sobre o Ibovespa:

Cálculo

O Ibovespa é calculado através de uma metodologia que considera o valor de mercado das ações e o volume de negociação de cada uma das empresas componentes. Vale ressaltar que os ativos são ponderados pelo valor de mercado dos ativos que se encontram em circulação, com limite de participação baseado na liquidez.

Além disso, existem algumas regras específicas para inclusão e exclusão de papéis que compõem o índice. 

Neste documento da B3 você encontrará mais detalhes sobre a metodologia do Índice Bovespa.

Empresas componentes

O Ibovespa inclui ações de empresas de diferentes setores da economia brasileira, o que faz com que o índice apresente, muitas vezes, uma boa diversificação setorial. 

Atualmente, algumas das empresas mais representativas do índice são Petrobras, Vale, Itaú Unibanco, Banco do Brasil, Ambev, Bradesco, JBS e outras grandes corporações.

CódigoAção%
RRRP33R PETROLEUM0,395
ALSO3ALIANSCSONAE0,625
ALPA4ALPARGATAS0,084
ABEV3AMBEV S/A3,188
ARZZ3AREZZO CO0,237
ASAI3ASSAI0,707
AZUL4AZUL0,271
B3SA3B34,081
BBSE3BBSEGURIDADE1,005
BBDC3BRADESCO1,073
BBDC4BRADESCO4,142
BRAP4BRADESPAR0,276
BBAS3BRASIL3,319
BRKM5BRASKEM0,318
BRFS3BRF SA0,450
BPAC11BTGP BANCO1,989
CRFB3CARREFOUR BR0,271
CCRO3CCR SA0,652
CMIG4CEMIG0,870
CIEL3CIELO0,258
COGN3COGNA ON0,295
CPLE6COPEL0,607
CSAN3COSAN1,106
CPFE3CPFL ENERGIA0,321
CMIN3CSNMINERACAO0,221
CVCB3CVC BRASIL0,064
CYRE3CYRELA REALT0,295
DXCO3DEXCO0,100
ELET3ELETROBRAS3,721
ELET6ELETROBRAS0,569
EMBR3EMBRAER0,615
ENGI11ENERGISA0,596
ENEV3ENEVA0,938
EGIE3ENGIE BRASIL0,553
EQTL3EQUATORIAL1,840
EZTC3EZTEC0,090
FLRY3FLEURY0,312
GGBR4GERDAU1,465
GOAU4GERDAU MET0,419
GOLL4GOL0,103
NTCO3GRUPO NATURA0,683
SOMA3GRUPO SOMA0,253
HAPV3HAPVIDA0,876
HYPE3HYPERA0,855
IGTI11IGUATEMI S.A0,225
IRBR3IRBBRASIL RE0,192
ITSA4ITAUSA2,374
ITUB4ITAUUNIBANCO6,664
JBSS3JBS0,998
KLBN11KLABIN S/A0,718
RENT3LOCALIZA2,868
LWSA3LOCAWEB0,148
LREN3LOJAS RENNER0,828
MGLU3MAGAZ LUIZA0,406
MRFG3MARFRIG0,102
CASH3MELIUZ0,025
BEEF3MINERVA0,125
MRVE3MRV0,202
MULT3MULTIPLAN0,335
PCAR3P.ACUCAR-CBD0,167
PETR3PETROBRAS4,766
PETR4PETROBRAS6,480
PRIO3PETRORIO1,807
PETZ3PETZ0,101
RADL3RAIADROGASIL1,609
RAIZ4RAIZEN0,246
RDOR3REDE D OR1,780
RAIL3RUMO S.A.1,358
SBSP3SABESP0,893
SANB11SANTANDER BR0,508
SMTO3SAO MARTINHO0,229
CSNA3SID NACIONAL0,364
SLCE3SLC AGRICOLA0,215
SUZB3SUZANO S.A.1,546
TAEE11TAESA0,387
VIVT3TELEF BRASIL0,839
TIMS3TIM0,551
TOTS3TOTVS0,714
UGPA3ULTRAPAR1,000
USIM5USIMINAS0,180
VALE3VALE13,247
VIIA3VIA0,146
VBBR3VIBRA0,912
WEGE3WEG2,343
YDUQ3YDUQS PART0,294

Índice de referência

Vale saber, ainda, que o Ibovespa é frequentemente utilizado como um índice de referência para comparar o desempenho de outras carteiras teóricas de investimentos, fundos de ações e ETFs

Como é um indicador tradicional e muito usado no mercado de capitais brasileiro, os gestores de fundos costumam buscar superar o desempenho do Ibovespa, enquanto os investidores, por sua vez, olham para o índice para conseguir avaliar o retorno de seus investimentos.

Vale a pena investir no IBOV?

Investir no Ibovespa (IBOV), ou em qualquer outro índice, ou ativo financeiro, é uma decisão bastante particular, que requer análise cuidadosa do seu perfil como investidor, seus objetivos com aquele aporte específico, o momento econômico do país, entre outras questões. 

Abaixo, exploraremos alguns aspectos que podem influenciar sua escolha de investir ou não no Ibovespa:

👉 Termômetro de desempenho: como falamos anteriormente, o Ibovespa é considerado um bom termômetro do desempenho das ações e é um dos índices mais importantes da renda variável. 

👉 Referência para investidores: como o IBOV é utilizado como referência por investidores ao redor do mundo, investir no índice pode ser uma forma de acessar o mercado de ações brasileiro de maneira ampla e diversificada, distribuindo o risco.

👉 Alta liquidez: o índice apresenta alta liquidez, o que é positivo para os investidores. Isso significa que é relativamente fácil comprar ou vender ações do índice, sem enfrentar grandes dificuldades para fazer transações do IBOV. 

👉 Volatilidade dos ativos: investir no Ibovespa envolve riscos elevados, já que o mercado de ações é volátil e pode sofrer oscilações devido a fatores macroeconômicos, políticos e sociais muito diversos.

👉 Demanda de conhecimento: em geral, recomenda-se que investidores mais experientes e com maior capital disponível invistam em índices, de forma que seja possível distribuir os aportes de forma mais segura e evitando riscos desnecessários.

Quais são as principais formas de investir no Ibovespa?

Tal como descrito pela B3, é possível investir no IBOV através de vários produtos financeiros que são indexados ao índice. São eles:

  • ETF – Fundo de índice
  • Futuro de Ibovespa;
  • Futuro Mini de Ibovespa
  • Opção sobre Ibovespa
  • Operação Estruturada de Rolagem de Minicontrato de Ibovespa
  • Operação Estruturada de Rolagem de Ibovespa
  • Opção Flexível de Ibovespa
  • Opção Flexível de BOVA11

As escolhas mais comuns são, geralmente, via ETFs, que são fundos que replicam a performance dos índices.

Passo a passo completo para investir no Ibovespa

Entenda como investir no Índice Bovespa, na prática, através do passo a passo abaixo:

Passo 1: Analise bem os seus objetivos de investimento

Esse primeiro passo é super importante. Afinal de contas, é importante saber que investir no Ibovespa é uma operação em renda variável e, por isso, envolve riscos. 

Sendo assim, não é recomendado que você invista no Ibovespa se os seus objetivos são voltados para reserva de emergência ou ganhos no curto prazo, por exemplo.

Passo 2: Escolha uma das formas de investir no Índice Bovespa

Como explicamos anteriormente, o índice não é exatamente um papel que você compra, como acontece com as ações. Você pode investir em um índice através de outros produtos financeiros, como os ETFs, contratos futuros, opções, etc.

Cada formato tem suas particularidades, especialmente em termos de risco e potencial de retorno associados. 

Por isso, antes de escolher uma alternativa de forma “aleatória”, lembre-se que todos se baseiam no índice, mas funcionam de maneira completamente diferente, e você deve estar consciente das diferenças antes de concretizar qualquer transação.

Passo 3: Selecione a corretora que atende às suas necessidades

Para investir em índices, você precisará fazer esse processo com intermédio de uma corretora de investimentos. Existem muitas alternativas no mercado. Para descobrir a que melhor se encaixa no seu contexto, considere critérios como:

  • praticidade;
  • taxas cobradas pelas operações que você fará com mais frequência;
  • usabilidade do app;
  • segurança da corretora;
  • quantidade de produtos financeiros disponíveis;
  • bom suporte ao cliente

Passo 4: Pesquise pelos produtos associados ao Ibovespa

Nesse sentido, vale saber que os principais ETFs indexados ao Índice Bovespa são:

  • BOVV11 (do Itaú Unibanco);
  • BOVA11 (da Black Rock);
  • BOVB11 (do Bradesco Asset Management);
  • XBOV11 (da Caixa Econômica Federal); e
  • BBOV11 (do Banco do Brasil).

Passo 5: Execute a ordem de compra

O processo para executar a ordem de compra dentro de cada site ou aplicativo varia de corretora para corretora. 

Entretanto, geralmente, após buscar pelo código do produto financeiro no Home Broker, você precisa confirmar que deseja fazer a compra e que está ciente do risco, inserir sua senha eletrônica e, então, a solicitação de compra é efetuada.

Em seguida, quando a compra for confirmada, você receberá um e-mail ou notificação com o aviso.

Passo 6: Acompanhe a performance do índice

O passo a passo para investir em índices, assim como acontece com outros produtos financeiros, não acaba após enviar a solicitação de compra.

Para investir de forma bem-sucedida, é essencial acompanhar o desempenho da sua carteira, o que inclui acompanhar a performance do Ibovespa e também do produto financeiro indexado ao índice no qual você investiu. 

Dicas importantes para considerar ANTES de investir no Ibovespa

Agora que você já sabe em detalhes o que é o Ibovespa, quais são as alternativas para investir no índice e o passo a passo, confira as principais recomendações para evitar riscos desnecessários e melhorar as chances de sucesso dos seus investimentos:

Analise as empresas que compõem o índice

Antes de investir, é fundamental realizar uma análise cuidadosa, considerando diversos aspectos como análise fundamentalista das empresas que compõem o índice, análise técnica do próprio índice, notícias e eventos econômicos relevantes, entre outros.

Isso é importantíssimo pois, como já falamos em outros conteúdos, o bom histórico do Ibovespa não garante a rentabilidade futura do índice. 

Por isso, quanto mais dados você tiver para analisar as empresas mais representativas do Ibovespa, maior será sua clareza sobre a escolha de como investir.

Diversifique sua carteira

Como sempre, vale reforçar que a diversificação de carteira é a melhor estratégia para reduzir a exposição excessiva ao risco, proteger seu patrimônio e garantir uma boa rentabilidade no médio e longo prazo.

Por isso, se optar investir no Ibovespa, prepare-se para lidar com a volatilidade do mercado no curto prazo, diversifique sua carteira para mitigar riscos e acompanhe a evolução do índice regularmente.

Acompanhe o mercado e as notícias relevantes 

Outra dica super importante é acompanhar, sempre que possível, o mercado brasileiro, notícias sobre o Índice Bovespa e também sobre as empresas que compõem a carteira teórica.

As flutuações no Ibovespa são impulsionadas por uma grande variedade de eventos e informações. 

Indicadores econômicos, resultados financeiros das organizações, mudanças nas políticas governamentais e eventos geopolíticos podem influenciar. Por isso, acompanhar essas notícias e eventos relevantes permite que o investidor tome decisões mais fundamentadas e possa, se necessário, ajustar sua estratégia de investimento.

Corretoras recomendadas para investir no IBOV

A escolha da melhor corretora para investir no Índice Bovespa é bastante particular, afinal cada pessoa valoriza critérios diferentes. Mas, de maneira geral, algumas alternativas bastante conhecidas são:

  • XP Investimentos: é uma das maiores e mais tradicionais corretoras do Brasil. Tem uma plataforma bastante intuitiva e uma ampla gama de produtos financeiros disponíveis.
    • Taxa de corretagem: R$ 4,90 por ordem (compra e venda em dias diferentes) ou R$ 2,90 por ordem (compra e venda no mesmo dia)
  • Rico: corretora que faz parte do grupo XP. A plataforma é bem semelhante à da XP, com diferenças mais significativas apenas na paleta de cores usada.
    • Taxa de corretagem: R$ 0,00 para ordens executadas pelo próprio cliente nas plataformas digitais da Rico.
  • NuInvest: é a antiga EasyInvest, que foi comprada pelo Nubank. A interface também é bastante intuitiva. Logo na tela de entrada, após fazer o login, você já consegue visualizar a distribuição dos ativos na sua carteira.
    • Taxa de corretagem: R$ 0,00.
  • Inter: o Inter é um banco e, no mesmo app, é possível acessar o ambiente de investimentos sem ter que abrir outra conta. A plataforma também é considerada simples de operar.
    • Taxa de corretagem: R$ 0,00.
  • Clear: a corretora também foi comprada pela XP, mas, mesmo antes disso, foi uma das primeiras corretoras a oferecer para o mercado a taxa zero de corretagem. É bastante focada em investidores que executam day trade e swing trade.
    • Taxa de corretagem: R$ 0,00.

Em todas essas corretoras você tem acesso aos produtos financeiros indexados ao Ibovespa. Portanto, o mais importante é analisar calmamente em qual produto deseja investir e, em relação à corretora, escolha aquela que melhor se adequa ao seu contexto e que oferece boas condições em termos de taxas.

E aí: tem todas as informações que precisa para começar a investir no Ibovespa?

O IBOVESPA é um índice que reproduz uma carteira teórica das ações mais negociadas na B3. É considerado um indicador importante do desempenho médio das ações brasileiras e pode refletir a saúde geral da economia do país.

Dada a importância, liquidez e volatilidade do índice, antes de investir nos produtos financeiros indexados a ele, não deixe de fazer uma análise cuidadosa, que considera outros aspectos, em especial a saúde financeira das empresas que possuem maior representatividade na carteira.

Esperamos que o conteúdo tenha esclarecido suas principais dúvidas sobre o Ibovespa. Ficou alguma pergunta a ser respondida? Deixe-a no campo de comentários logo abaixo! ⬇️

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados