Quais são os índices financeiros mais usados?

Ao analisar as perspectivas financeiras de uma empresa, entram em jogo diferentes aspectos, ferramentas e cálculos matemáticos.

Nesse sentido, os 7 principais rácios financeiros básicos desempenham um papel preponderante como tal.

Portanto, a seguir iremos nos aprofundar neles e como são aplicados dependendo do contexto em que são necessários.

O que é um índice em finanças?

Por si só, um índice é definido como a operação matemática cujo resultado é a relação que existe entre duas variáveis contábeis.

Em finanças, os índices financeiros são utilizados por um motivo específico: para analisar o balanço de uma empresa.

Por outras palavras, são os indicadores de gestão de uma empresa, dando uma visão direta de toda a sua perspetiva económica, seja ela boa ou má.

No longo prazo, com base neles, será possível estabelecer estratégias ou decisões financeiras que possam mudar o rumo da empresa.

Índices financeiros mais usados

Os rácios financeiros diversificaram-se ao longo do tempo, pelo que existem muitos hoje. Porém, entre tantos, podemos discernir entre os mais utilizados independente da categoria ou ramo de atuação da empresa.

Índices de liquidez

São aqueles que determinam a capacidade da empresa de honrar e resolver suas dívidas de curto prazo. Entre eles estão:

1) Índice geral de liquidez ou índice atual

Basicamente, determina a capacidade do ativo circulante de cobrir ou não o passivo circulante da empresa.

  • Fórmula do índice de liquidez geral : Liquidez geral = Ativo circulante / Passivo circulante.

2) Proporção de teste ácido

É um dos índices financeiros mais específicos, pois estabelece a capacidade do ativo circulante em fazer face ao passivo circulante, eliminando ou retirando da equação itens de estoque.

O teste ácido é realizado para obter um resultado mais específico, visto que os ativos em estoque são os menos líquidos ou rentáveis.

  • Fórmula para calcular o índice ou Teste Ácido : Teste Ácido = (Ativo Circulante – Estoque) / Passivo Circulante.

3) Índice de capital de giro

O índice de capital de giro é um indicador do capital operacional líquido, uma vez que a empresa subtrai seus ativos e passivos circulantes. Ou seja, é o dinheiro excedente que pode ser utilizado após o pagamento de dívidas imediatas ou de curto prazo.

  • Fórmula de cálculo do índice de capital de giro : Capital de giro = Ativo circulante – Passivo circulante.

4) Disponibilidade ou índice de tesouraria

É aquele que se baseia exclusivamente em activos líquidos tangíveis, tais como o dinheiro líquido arrecadado em dinheiro, bem como as contas bancárias da empresa e investimentos que promovem retornos económicos adicionais.

  • Fórmula para calcular o índice de caixa : Índice de caixa = Inv. Fras. Temporário + Tesouraria / Passivo Circulante.

5) Ciclo de caixa

Este conceito coloca a sociedade no pressuposto do que aconteceria se tivesse de pagar todas as suas dívidas de curto prazo.

Sua fórmula analisa quantos dias são necessários para manter o dinheiro seguro, considerando o que é cobrado dos clientes e o que é pago aos fornecedores.

No contexto teórico, se o resultado final for zero, significa que você paga suas dívidas no mesmo dia do pagamento.

Na melhor das hipóteses, esse número tem que ser negativo, pois significa que a empresa demora menos dias para cobrar em relação ao que paga, para que a empresa possa investir esses dias e gerar um excedente adicional.

  • Fórmula do ciclo de caixa : Ciclo de caixa = Prazo médio de contas a receber + Permanência de estoque – Período de permanência de contas a pagar.

Índices de rentabilidade

Os rácios de rentabilidade estão entre os rácios financeiros básicos mais importantes, uma vez que relacionam duas variáveis essenciais: o capital ou recursos investidos e os lucros que dele foram gerados. Dentre eles, são considerados:

1) Índice de rentabilidade econômica ou ROA

O ROA mede o retorno sobre os ativos, ou seja, a capacidade das empresas em gerar lucros. Ressalta-se que não leva em consideração apenas o patrimônio que os acionistas investiram, mas sim o patrimônio da empresa.

  • Fórmula para cálculo do ROA : ROA = Margem de lucro líquido sobre vendas * Rotatividade de ativos.

2) Índice de rentabilidade financeira ou ROE

Por sua vez, o O ROE mede a capacidade das empresas de remunerar as pessoas que nelas investiram. Do lado dos investidores, indica o quão lucrativo foi para eles terem investido no projeto dentro do prazo programado.

  • Fórmula de cálculo do ROE: ROE = (Lucro líquido * Recursos próprios) x 100.

3) Margem líquida

A margem líquida permite medir a rentabilidade de uma empresa e é obtida dividindo o lucro líquido pelas vendas sem incluir o Imposto sobre Valor Agregado ou IVA.

Para calculá-lo, é necessário ter duas variáveis, que são o lucro de uma empresa e o saldo final da demonstração do resultado.

  • Fórmula para cálculo da margem líquida : Margem líquida = Lucro do ano / Vendas do período.

Rácio de solvência e/ou dívida

O rácio de solvabilidade é um dos rácios financeiros mais semelhantes ao rácio de liquidez. No entanto, a diferença é que isto, em particular, mede a capacidade da empresa de responder às suas dívidas de longo prazo com o montante de liquidez a seu favor.

Da mesma forma, o rácio de solvabilidade pode ser calculado através do rácio da dívida, que se expressa pela seguinte fórmula:

  • Fórmula para calcular o índice de endividamento : Dívida = Dívida total / Patrimônio líquido.

Alavancagem ou índice de alavancagem financeira

Este conceito analisa quantas vezes o aporte de capital foi utilizado em dívida para gerar recursos (se eu contribuo com um, e a dívida é 2, significa que para cada peso que tenho, a empresa pediu dois emprestados para ter 3 pesos de recurso) .

A alavancagem é importante para avaliar o risco financeiro da empresa, uma vez que, apesar de ser positivo que os proprietários contribuam menos em detrimento de terem mais recursos, o sobre-endividamento pode pregar peças ao nível da empresa, fazendo-a perder valor. .

  • Fórmula para calcular a Alavancagem: Alavancagem = Passivos exigíveis / Patrimônio líquido total.

Como interpretar os índices financeiros?

A interpretação dos índices financeiros oferece a possibilidade de saber se um negócio ou empresa é viável. Ou seja, seus resultados proporcionam uma visão clara da liquidez, rentabilidade, eficiência, solvência e/ou endividamento com base na análise contábil.

Por sua vez, a interpretação dos resultados financeiros abre caminho para dois cenários possíveis: a avaliação da empresa é positiva ou negativa. Mas, independentemente disso, também nos permitirão identificar as fragilidades financeiras e económicas da empresa.

Consequentemente, os rácios financeiros básicos e todos os tipos analisam a gestão financeira e económica. Desta forma, é realizada uma investigação sobre os problemas que devem ser corrigidos, bem como uma boa tomada de decisão para potencializar o negócio.

Conclusões sobre índices financeiros

As conclusões sobre os rácios financeiros básicos são as seguintes:

  • Para realizar a análise fundamental é importante a leitura das Demonstrações Financeiras, mas a leitura será sempre melhor se forem aplicados rácios financeiros.
  • Lembre-se que os índices financeiros discutem detalhes cuja interpretação dependerá sempre da empresa e do setor. Por exemplo, duas empresas podem atingir o mesmo índice, mas isso não significa que para uma seja bom e para a outra seja ruim.
  • Finalmente, deve-se levar em consideração que existem muito mais índices. Os indicadores neste blog são apenas alguns dos mais notáveis.

Artigos Relacionados