Biografia de Warren Buffett: O Oráculo de Omaha

Warren Buffett é um investidor e empresário americano nascido em 30 de agosto de 1930 em Omaha, Estados Unidos. Warren Buffett é considerado o melhor investidor do século XX, sendo um dos mais populares e também conhecido por suas ações filantrópicas, tendo se comprometido a doar mais da metade de sua riqueza para a Fundação Bill e Melinda Gates.

Atualmente, ele atua como CEO da empresa Berkshire Hathaway, da qual é presidente e principal acionista e aparece na lista da Forbes como a terceira pessoa mais rica do mundo, com uma fortuna estimada em 65,6 bilhões de dólares.

Filosofia de investimento

Warren Buffett, é conhecido entre outros apelidos como o ”Oráculo de Omaha”. Ele é caracterizado por seu estilo de vida austero, recebendo um salário muito menor em comparação com a maioria dos executivos de seu nível e importância e vivendo na mesma casa que comprou em 1958.

Quanto ao seu estilo de investimento, Warren Buffett é conhecido por sua filosofia de ”value investing” procurando empresas cujo preço de mercado seja inferior ao seu valor intrínseco. A ideia de Buffett é investir em boas empresas com uma visão de longo prazo, que apresentem vantagens competitivas sólidas e duradouras (o chamado ”MOAT”) e que gerem bons resultados de forma consistente.

O próprio Warren Buffett afirma que só investe em negócios que sejam simples de analisar e que ele mesmo possa entender, além disso, também é fundamental o trabalho da equipe de gestão, pois considera que uma empresa deve ser dirigida por bons profissionais. Apesar de procurar empresas com um preço atraente e inferior ao seu preço objetivo, Buffett acredita que é melhor sempre investir em uma empresa que seja realmente boa, mesmo que esteja um pouco cara e isso se resume em sua famosa frase:

É melhor comprar uma empresa muito boa a um preço medíocre do que uma empresa medíocre a um ótimo preço.

Em suma, o estilo de investimento de Warren Buffett baseia-se em procurar boas empresas com vantagens competitivas em seu setor que sejam sustentáveis, para manter a longo prazo e receber dividendos que lhe permitam adquirir mais ações, sem diversificar.

Um dos investimentos mais famosos de Warren Buffett e que exemplifica sua filosofia é o investimento na Coca-Cola, pois ele considera que é uma das empresas mais poderosas do mercado, com uma forte imagem de marca e consumidores fiéis, o que é fundamental, pois faz com que, segundo Buffet, os consumidores nunca parem de consumir Coca-Cola e o negócio seja sustentável no futuro.Berkshire Hathaway

Em 1962 Warren Buffett começou a adquirir ações da empresa têxtil Berkshire Hathaway e em 1965 assumiu a maioria da empresa. Embora no início Buffett mantivesse o negócio têxtil, a partir de 1967 expandiu a empresa para os setores de seguros e outros investimentos até abandonar o negócio têxtil e expandir-se enormemente em diferentes setores, formando um holding através do qual realizou e concentrou seus investimentos desde 1965.

Warren Buffett ganhou principalmente sua fama graças ao seu papel na Berkshire Hathaway, onde obteve resultados espetaculares. Entre 1965 e 2009 apresentou um ganho em suas ações de 21,4% enquanto que o retorno do S&P500 durante esses anos foi de 9,3%, portanto conseguiu superar sistematicamente o mercado na maioria dos anos, com resultados inatingíveis para a grande maioria dos investidores. Durante esse período de tempo, a ação da empresa de Buffet passou de um valor contábil de 9 dólares para 84.467.

As principais empresas nas quais Buffett participa através da Berkshire Hathaway são:

  • The Coca-Cola Company.
  • Moody’s.
  • The Washington Post Company.
  • Heinz.
  • Burlington Northern Santa Fe Corporation.

👉 Descubra outros grandes investidores da história neste artigo: Os melhores investidores do mundo

Fatos relevantes

Quanto aos principais fatos relevantes do papel de investidor de Warren Buffett, destacam-se os seguintes:

  • Aos 11 anos adquiriu suas primeiras ações, foram da empresa Citi es Service e as vendeu com lucro, mas antes que o preço disparasse, o que lhe deu sua primeira lição.
  • Em 1950, matriculou-se na Escola de Negócios de Columbia ao descobrir que Benjamin Grahamuma de suas maiores influências, dava aulas e posteriormente trabalhou para ele em 1952. Buffet reconhece que é ”15% Fisher e 85% Graham”.
  • Em 1956 fundou sua própria sociedade (Buffet Associates Ltd.) com capital próprio e de seus amigos e em apenas 5 anos conseguiu retornos de 251%.
  • Em 1965 Buffet adquiriu a têxtil Berkshire Hathaway e posteriormente a usou para unificar seus negócios e canalizar seus investimentos.
  • Entre os anos 80 e 90 Buffett adquiriu Nebraska Furniture Mart e Scott & Feltzer, além de fazer seu primeiro investimento na Coca-Cola.
  • Warren Buffett conhece Charlie Munger, que se tornaria vice-presidente da Berkshire Hathaway e desempenharia um papel fundamental na empresa, segundo Buffet.
  • Em 3 de Novembro de 2009 Buffet, através da Berkshire Hathaway, adquire a empresa de ferrovias Burlington Northern Santa Fe por 44 bilhões de dólares, o que seria a maior compra de sua vida.
  • Em Fevereiro de 2013 Berkshire Hathaway completa a aquisição da Heinz.

Warren Buffett: O editor de imprensa

Insaciável leitor de jornais. Aos treze anos, Buffett distribuía o Post pelas ruas de Washington, onde seu pai era um congressista republicano. Trinta anos depois, em 1973, comprou ações do Post e, um ano depois, foi eleito conselheiro, presidente do comitê de finanças do conselho, e consultor de negócios de Catherine Graham e do filho da lendária editora, Donald E. Graham.

Sua vocação para o mundo da informação o levou a ser acionista majoritário da Washington Post Company, proprietária da Newsweek, seis canais de televisão, além de televisão a cabo. Ele também é dono do jornal Buffalo News, que transformou em um dos líderes do setor jornalístico, e no mais “rico em notícias”, dos Estados Unidos.

Warren Buffett acredita que a relação entre quota de notícias e lucros está inexoravelmente unida. Fundador e presidente da Berkshire Hathaway (nyse: BRK.A e BRK.B), a holding que gerencia e com a qual investe. Empresa matriz de empresas, que conta com mais de quarenta subsidiárias, empresas líderes em diversos setores: resseguros, calçados e aviação comercial, passando pela energia, além de participações acionárias importantes superiores a 500 milhões de dólares cada uma, em Coca Cola, Washington Post, Gilette, West Fargo e American Express.

Warren Buffett e Business Wire

Recentemente, Buffett protagonizou “a notícia da notícia” com a aquisição da Business Wire, líder mundial em distribuição de notícias corporativas e serviços multimídia, fundada em 1961 pelo jornalista Lorry I. Lockey, que continuará como presidente do conselho de administração. Esta operação financeira de grande repercussão no mundo da informação representa um grande impulso para a Business Wire e a equipe de gestão de Lockey, liderada por sua presidente, Cathy Baron, figura chave nesta operação de compra entre Buffett e Lockey, dois gigantes do mundo dos negócios.

Warren Buffett, enfatizou que a Business Wire é um fiel reflexo do perfil de empresas rentáveis pioneiras na indústria, com um considerável potencial de crescimento, que integram o portfólio da Berkshire Hathaway. “Percebemos rapidamente que a Business Wire é uma joia de empresa. Nosso critério primordial em todas as nossas estratégias de investimento é a avaliação da equipe de gestão da empresa. A grande experiência dos executivos da Business Wire foi decisiva nesta aquisição”.

Warren Buffett: O investidor

Warren Buffett, que se considera seu melhor conselheiro e consultor de investimentos, disse uma vez: “Wall Street é o único lugar onde aqueles que dirigem um Rolls Royce buscam conselhos daqueles que pegam o metrô”.

Atrás do mito Buffett, encontramos um homem eminentemente racional, confiante em si mesmo, e com uma formidável bagagem de experiência que nos oferece todo um recital de ciência financeira e de gestão. Ele baseou sua forma de investir no “value investing”, adquirindo empresas que estavam subvalorizadas, e mantendo-as ao longo do tempo, conseguindo assim aumentar seu patrimônio exponencialmente.

Como ele declarou em várias ocasiões, “só invisto em negócios que entendo”, ele não se precipita e mantém-se em posição de “cash” ou à vista, fora do mercado, até que surja a oportunidade.

Buffett procura empresas que tiveram um sucesso comprovado, com uma equipe de gestão competente, com uma vantagem competitiva no mercado e uma imagem de marca consolidada.

Para adquirir este tipo de empresas, analisa muito bem suas informações financeiras e se fixa em seu preço em relação a valores históricos.

Ele presta especial atenção ao “Book Value Per Share” (valor contábil por ação), ao ROE (Return On Equity, retorno sobre o capital) e ao nível de endividamento da empresa. Ele nos diz que investir requer disciplina, paciência e conhecimento, além de bom senso. Em Buffett, o exercício da razão, do razoável, é sua principal moeda.

Warren Buffett: o personagem

“Realmente gosto da minha vida. Eu consegui organizá-la para fazer o que quero”. Nasceu em Omaha, Nebraska em 1930. Graduado pela Universidade de Nebraska, Mestre em Economia pela Columbia e graduado pela Universidade de Wharton. Apesar de sua imensa riqueza, Buffett leva um estilo de vida simples.

Ele dirige seu próprio carro, continua morando na mesma casa em Omaha, que comprou há cinquenta anos por 31.500 dólares.

Seu salário é de 100.000 dólares por ano, o CEO menos bem pago entre as empresas Fortune 500. Ele mesmo faz sua declaração de impostos, o único bilionário que se encarrega de fazer esta declaração.

Warren Buffett: o gestor

Embora seja mais conhecido como investidor, Buffett também é um diretor talentoso. Ele adota o simples e evita o complicado. Ele não leu os códigos de boa governança de Olivencia e Aldama. Nem o projeto chamado “Código Conthe” mas Buffett tem muito claro seu “código de boa governança e transparência” da Berkshire Hathaway.

Exige de seus diretores que levem muito a sério a responsabilidade de informar completamente e de maneira clara e sincera aos acionistas.

Transparência não consiste em diretores de algumas empresas listadas inundarem os acionistas com quantidades massivas de informações e documentação em papel couché, que em certos casos parecem puras campanhas de promoção, enquanto essas mesmas empresas parecem relutantes, por trás das cortinas, em fornecer a todos os acionistas, analistas e meios de comunicação, simultaneamente, a mesma informação relevante que lhes permita conhecer a substância do negócio em questão.

Warren Buffett considera os acionistas da Berkshire Hathaway como proprietários: informa-os de tudo o que gostaria que lhe informassem, se estivesse no lugar deles.

“Contrate bem e gerencie pouco”. Buffett espera que seus diretores se comportem como se fossem proprietários da empresa, para não perder de vista seu principal objetivo, que é aumentar o valor das ações.

Buffett adquire empresas e mantém suas equipes de gestão, incomum no mundo de hoje. Ele seleciona pessoas em quem confia e permite que continuem a gerir suas empresas exatamente como faziam antes de adquiri-las. “Ao avaliar as pessoas – afirma – procuro, acima de tudo, três qualidades: integridade, inteligência e energia. Se você não tem a primeira, as outras duas não servirão para nada”.

Sua teoria e prática consistem em se cercar dos melhores; seus diretores formam um fascinante grupo de empresários.

A maioria das grandes empresas dispensa seus diretores, mesmo os mais brilhantes, quando chegam aos 65 anos. No entanto, os de Buffett podem continuar em seus cargos, segundo ele, “até os cem anos, e então já podem se aposentar”.

Em alemão, chama-se ganhar dinheiro de “verdienen”, que poderia ser traduzido como “merecer”, “conseguir com o próprio esforço”. Os americanos “fazem” (make money). À vista deste retrato, parece que nosso homem teve muito claro como merecer sua boa fortuna. “Se me disseres quais são os teus heróis, direi como te irá na vida”.

Método Warren Buffett

Warren Buffett é reconhecido por sua abordagem única no mundo dos investimentos, focando na aquisição de ações de empresas que estão sendo negociadas a preços inferiores ao que ele considera seu verdadeiro valor. Ele realiza uma avaliação detalhada da saúde financeira, modelo de negócio, qualidade da gestão e posição no mercado de cada empresa antes de investir, preferindo aquelas com vantagens competitivas sustentáveis.

Sua estratégia é marcada pela paciência, com um olhar voltado para o crescimento e valorização a longo prazo. Buffett é cauteloso com o risco, investindo apenas em negócios que ele compreende profundamente. Ele acredita na importância de manter a calma e não seguir as tendências do mercado, adotando uma postura de cautela quando outros estão eufóricos e de confiança quando outros estão temerosos. Abaixo veja as principais perguntas a aavaliar quando aplicando o métdo Buffet:


Princípios empresariais

  • O negócio é simples e compreensível?
  • Tem uma história de operações coerente?
  • Tem perspectivas favoráveis a longo prazo?

Princípios de gestão

  • A gestão é racional?
  • É sincera com os acionistas?
  • Resiste ao imperativo institucional?

Princípios financeiros

  • Qual é o retorno sobre o capital?
  • Quais são os “benefícios do proprietário” da empresa?
  • Quais são as margens de lucro?
  • A empresa criou pelo menos um dólar de valor de mercado para cada dólar retido?

Princípios de avaliação

  • Qual é o valor da empresa?
  • Pode ser adquirida por um desconto considerável sobre o seu valor?

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento