Melhores Ações Pagadoras de Dividendos no Brasil

Investir em dividendos é um dos tópicos mais falados quando o assunto é investir em renda variável. De fato, buscar ações pagadoras de dividendos pode ser uma forma de diversificar a carteira e obter uma renda passiva de forma bastante estratégica.

A escolha das ações que compõem uma carteira com bons retornos em dividendos deve ser estudada não só com base nos rendimentos pagos aos acionistas no passado, mas também em alguns critérios que explicaremos ao longo do conteúdo. 

Para entender como tomar boas decisões e impulsionar seus retornos financeiros por meio de dividendos, sem assumir riscos desnecessários, continue a leitura!

Dividendos: o que são e por que são atraentes para investidores?

De forma muito direta, dividendos representam a partilha dos lucros que uma empresa oferece aos seus acionistas. A porcentagem de lucro paga a cada acionista é proporcional à quantidade de ações daquela companhia que o investidor possui.

O quanto será distribuído aos acionistas, bem como a periodicidade — mensal, trimestral, semestral, etc. — varia com base em diversos fatores. 

O principal deles é que, como você deve imaginar, o pagamento de dividendos está condicionado ao fato de que a empresa precisa ter lucros para distribuir. 

Quando existem lucros para serem usados como dividendos para os acionistas, há um valor mínimo obrigatório, definido no estatuto social da companhia. Entretanto, isso não significa que a empresa distribuirá apenas o valor mínimo.

Funciona assim: ao verificar que houve lucro ao longo do exercício avaliado, o Conselho de Administração da empresa define os dividendos que serão distribuídos e declara, publicamente, o valor que será usado para esse fim, a data de registro e a data na qual o pagamento será feito.

O que é Dividend Yield (DY) e como calcular?

Um conceito bastante importante no contexto de ações pagadoras de dividendos é o Dividend Yield (DY). Você já ouviu falar?

DY é um indicador financeiro, muito usado na análise fundamentalista, que ajuda a medir se uma ação é considerada boa para a estratégia de dividendos.

O cálculo é relativamente simples: 

DY = dividendos pagos por ação em um determinado período / preço da ação antes da distribuição dos dividendos

Geralmente, é usada uma janela de um ciclo de 12 meses para a análise, mas podem ser definidos outros períodos. No fim das contas, o DY é expresso em porcentagem.

O Dividend Yield é, portanto, uma forma de medir a taxa de retorno de uma ação na forma de dividendos. Quando o DY é alto, entende-se que a empresa passa confiança e solidez em termos de saúde financeira e distribuição dos dividendos entre os acionistas.

👉 Exemplo

Considere uma empresa hipotética A que pagou, em dividendos, R$ 2 por cada ação ao longo do último ano. Imagine, agora, que o preço da ação era de R$ 40 antes da distribuição. 

Então, DY = 2 / 40 = 0,05, o que significa que o DY no período foi de 5%.

Vale lembrar que a escolha por ações pagadoras de dividendos com DYs mais altos é um caminho interessante, mas esse não deve ser o único critério analisado por investidores para escolher em qual empresa investirá

Por isso, não analise o cálculo do DY de maneira isolada. Busque por outros dados relacionados à rentabilidade, margens, endividamento, reputação da organização, eficiência operacional, etc.

Vantagens de investir em ações pagadoras de dividendos no Brasil

Uma das principais vantagens do investimento em ações pagadoras de dividendos é a possibilidade de realizar lucros sem a necessidade de vender as ações, ou seja, a possibilidade de obter retornos de maneira recorrente, ou uma receita passiva, sem precisar se desfazer dos ativos.

Além disso, outro benefício interessante é não haver incidência de Imposto de Renda (IR) sobre os dividendos, então, o valor recebido é considerado isento.

É interessante observar que empresas que oferecem a opção de distribuição de dividendos, geralmente, demonstram uma política de grande valorização dos investidores. Isso também é, definitivamente, um ponto positivo a se considerar.

Como investir em ações pagadoras de dividendos?

Para iniciar uma estratégia de dividendos, é importante compreender os conceitos básicos, analisar as empresas e setores que oferecem distribuição de lucros aos acionistas de maneira sólida e que se encaixam na sua estratégia de investimentos, fazer o aporte e, claro, o acompanhamento da carteira ao longo do tempo.

Veja alguns aspectos importantes para considerar ao investir em dividendos:

Passo a passo para investir em ações de dividendos no Brasil

Ao compreender os passos necessários para investir em ações que pagam dividendos, é possível trabalhar a autonomia para escolher os ativos, ao invés de seguir cegamente as recomendações de pessoas que não conhecem seus objetivos como investidor.

👣 Passo 1: Conhecer os fundamentos para análise de ativos financeiros

Como reforçamos, antes de investir em ações pensando, unicamente, no histórico delas em termos de pagamento de dividendos, é importante incluir na análise outros fatores que influenciam a rentabilidade da organização.

Afinal de contas, os dividendos são distribuídos quando há lucro. Ou seja: se a empresa não está em um bom cenário financeiro atualmente, ou as perspectivas futuras não são boas, não faz sentido incluí-la na sua estratégia de dividendos, concorda?

Por isso, é importante escolher empresas que tenham, além de um bom histórico de pagamento de dividendos, uma boa saúde financeira. Considere fatores como o dividend yield, payout, preço da ação, saúde financeira, endividamento, gestão e governança corporativa, etc.

👣 Passo 2: Descobrir as empresas listadas na B3 que distribuem dividendos

O passo seguinte é o levantamento das empresas cujas ações pagam dividendos aos seus acionistas. 

Existem diversas empresas que pagam dividendos e uma busca no Google é capaz de te mostrar diversas listas, em sua maioria feitas por corretoras de investimentos e portais de notícias, que elencam as ações mais relevantes para uma estratégia de dividendos.

Além disso, uma fonte confiável de informações é o Índice Dividendos (IDIV), da B3, o qual é uma carteira teórica de ativos, composta por “ativos que se destacaram em termos de remuneração dos investidores, sob a forma de dividendos e juros sobre o capital próprio”.

Normalmente, setores como energia, telecomunicações, saneamento e financeiro costumam pagar dividendos de maneira sólida. 

👣 Passo 3: Faça as análises dos ativos para criar a sua carteira focada em dividendos 

Em seguida, analisando os indicadores relevantes, as listas de empresas divulgadas e carteiras teóricas voltadas para o retorno em dividendos, você terá informações suficientes para criar a sua própria estratégia. 

Lembre-se de aplicar os conceitos de uma análise racional e não se basear apenas no DY no último ano, pois os lucros distribuídos no passado não representam, necessariamente, lucratividade no futuro. Especialmente quando se trata de setores cíclicos como varejo, construção civil, commodities, etc.

Mais adiante, falaremos sobre como reduzir os riscos da carteira focada em dividendos. Continue conosco!

👣 Passo 4: Acompanhe e reinvista os dividendos recebidos

Por fim, é importante compreender que esse é um processo iterativo. Com uma certa regularidade, você precisará analisar sua carteira atual, buscar os dados disponíveis e avaliar se os ativos escolhidos continuam entregando a rentabilidade desejada. 

Recomenda-se, ainda, que você reinvista o valor recebido em dividendos, para acelerar o seu ganho de rentabilidade.

Como identificar empresas com histórico de dividendos sólidos?

É essencial considerar determinados critérios ao buscar empresas que possuem um histórico consistente de pagamento de dividendos. Alguns desses critérios são os seguintes:

  • Dividend Yield: como vimos anteriormente, é a proporção entre o valor distribuído em dividendos e o preço da ação. Geralmente, empresas com um Dividend Yield elevado podem ser consideradas boas pagadoras de dividendos, porém, você precisará avaliar se esse valor é sustentável a longo prazo.
  • Payout: é a porcentagem do lucro líquido destinada ao pagamento de dividendos. Empresas com um payout elevado podem dispor de menos recursos para investir em crescimento e expansão, no entanto, também podem ser boas pagadoras de dividendos. Cada caso é um caso!
  • Histórico de pagamento de dividendos: também é importante avaliar que, empresas que possuem um histórico consistente de distribuição de dividendos, demonstram compromisso e interesse em permanecer com os acionistas. Por isso, analise se a empresa conseguiu manter o pagamento de dividendos mesmo em períodos mais desafiadores economicamente.
    • Lembre-se, entretanto, que os rendimentos pagos no passado não representam garantia de lucratividade futura. O cenário pode mudar e só uma análise racional, envolvendo outros fatores além do histórico, pode dar mais segurança para investir em dividendos.
  • Saúde financeira: por fim, empresas que possuem uma saúde financeira sólida têm maior probabilidade de manter o pagamento de dividendos a longo prazo. Indicadores como dívida líquida, margem líquida e fluxo de caixa livre devem ser avaliados em conjunto com outros parâmetros.

Existem diversas fontes confiáveis de dados para encontrar empresas com um histórico sólido de pagamento de dividendos, tais como blogs especializados em investimentos, o site da B3, portais de notícias financeiras e sites das corretoras de valores. 

Para encontrar informações específicas de cada ativo, você pode acessar a parte de “Relação com Investidores”, normalmente disponibilizada de maneira simples no site das empresas listadas na B3.

Análise de rentabilidade e sustentabilidade dos dividendos: dividendos altos x dividendos crescentes

Dividendos altos e dividendos crescentes são duas estratégias diferentes de investimento em ações que pagam dividendos. 

A seguir, apresentamos uma análise dos prós e contras de cada uma dessas estratégias:

Estratégia de dividendos altosEstratégia de dividendos crescentes
PrósContrasPrósContras
Oferecem uma renda passiva consistente para os investidores.Podem ser uma opção interessante para investidores que buscam uma fonte de renda passiva de forma mais rápida.Empresas que pagam dividendos altos, geralmente, têm uma boa saúde financeira.Empresas que pagam dividendos elevados sem um resultado operacional crescente podem oferecer um desempenho inferior.Um payout muito alto pode resultar em menos recursos para investir em crescimento futuro.O pagamento de dividendos elevados pode ser insustentável no longo prazo.Oferecem uma renda passiva que aumenta ao longo do tempo.Geralmente são empresas que têm um histórico de crescimento sólido e uma boa perspectiva para o crescimento futuro.Empresas que aumentam o pagamento de dividendos com o tempo tendem a ter um desempenho superior no longo prazo.Empresas que pagam dividendos crescentes podem ter um DY inicial mais baixo.Pode ser que essas empresas tenham um payout mais baixo, o que pode limitar a renda passiva no curto prazo.

Em poucas palavras, a escolha entre dividendos altos e dividendos crescentes depende dos objetivos da carteira e do perfil de cada investidor.

Melhores ações pagadoras de dividendos no Brasil

De acordo com um levantamento feito pela Infomoney em junho de 2023, baseado nas recomendações de 11 corretoras de investimentos e sites referência no mercado financeiro, as 7 empresas mais recomendadas para uma estratégia de dividendos foram:

EmpresaTickerDY em 12 meses (%)
EngieEGIE37,55
Banco do BrasilBBAS39,93
ValeVALE36,60
Telefônica BrasilVIVT34,38
Auren EnergiaAURE310,74
Itaú UnibancoITUB44,84
PetrobrasPETR443,05

Vale ressaltar que, além dessa lista, existem diversas outras, e nenhuma delas deve ser vista como uma lista permanente. Portanto, use-a como uma referência, mas não deixe de buscar opiniões diversas e analisar outros dados antes de tomar sua decisão.

Quais são os riscos dos investimentos em dividendos?

No que se refere aos riscos que devem ser considerados ao criar uma estratégia de investimentos focada em dividendos, é possível citar:

⚠️ Risco 1: Ter muitas posições em um mesmo setor

Ter muitas posições em um mesmo setor aumenta a exposição da carteira a fatores capazes de afetar todas as empresas que o compõem, como mudanças regulatórias, condições de mercado ou eventos imprevistos. 

Por isso, se ocorrerem problemas nesse setor específico, todas as empresas relacionadas a ele podem ser impactadas negativamente, o que pode resultar em redução dos dividendos ou perdas significativas na sua rentabilidade.

⚠️ Risco 2: Investir apenas em setores cíclicos

Setores cíclicos são aqueles cujo desempenho está diretamente ligado às flutuações da economia. Alguns exemplos são a construção civil, varejo, viagens, lazer, moda, etc. 

Se uma estratégia de investimento em dividendos focar exclusivamente em setores cíclicos, em eventuais períodos de recessão econômica ou desaceleração, essas empresas podem enfrentar dificuldades financeiras e, consequentemente, reduzir ou suspender o pagamento de dividendos.

Quando isso acontece, sua estratégia acaba ficando desnecessariamente vulnerável em períodos de recessão.

⚠️ Risco 3: Focar nos dividendos e esquecer outros indicadores

Ao priorizar apenas indicadores relacionados aos dividendos, como o DY, os investidores correm o risco de não considerar outros indicadores importantes, como a saúde financeira geral da empresa, perspectivas de crescimento, fluxo de caixa, endividamento e eficiência operacional, por exemplo. 

Ignorar esses indicadores é arriscado, pois pode levar a investimentos em empresas que não são sustentáveis no longo prazo, mesmo que tenham um ótimo histórico de pagamento de dividendos.

Importância da diversificação de portfólio na estratégia de dividendos

A resposta para reduzir os riscos citados? Diversificação da carteira de investimentos!

Ao diversificar seu portfólio, você consegue manter ou ampliar a rentabilidade, evitando risco de perdas muito significativas na carteira devido a questões macroeconômicas ou específicas de ativos individuais.

Alguns analistas recomendam que, para uma carteira focada em dividendos, você tenha entre 10 e 12 ativos, de diferentes setores, entre eles os cíclicos e não cíclicos, para buscar uma boa rentabilidade, mas sem se expor demais em períodos de crise. 

Conclusão

Em resumo, investir em ações pagadoras de dividendos no Brasil pode ser uma estratégia vantajosa para obter retorno financeiro, principalmente para quem busca uma forma de renda passiva. 

No entanto, lembre-se de fazer uma análise mais abrangente antes de tomar qualquer decisão de investimento em dividendos. Além de considerar o histórico de pagamento de dividendos, avalie outros indicadores financeiros, a saúde financeira da empresa, o cenário macroeconômico, riscos e oportunidades do setor e outros fatores relevantes. 

Essa abordagem, mais criteriosa e fundamentada, te ajudará a tomar decisões mais embasadas e a construir uma carteira de investimentos mais sólida e adequada aos seus objetivos.

Por fim, vale destacar que esse conteúdo não visa fornecer recomendações de investimento, mas sim oferecer informações úteis para que os investidores possam conduzir suas próprias análises e tomar decisões financeiras de acordo com suas necessidades e perfil de investimento. 

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados