Moeda Fiduciária | O que é e como funciona

A moeda fiduciária é uma forma de dinheiro baseada em papel-moeda e reserva fracionária aceita como meio de pagamento e reserva de valor. A palavra “fiduciária” deriva do latim e significa “que seja feito”. Isso faz alusão a um “dinheiro por decreto”, já que o papel-moeda não tem nenhum respaldo tangível.

Em contraste com o ouro ou outros ativos, o valor da moeda fiduciária se baseia na fé e no crédito que lhe é concedido. Nesse sentido, os governos respaldam o valor de seu dinheiro fiduciário com a promessa de que o aceitarão como pagamento nas transações.

Este tipo de dinheiro é o que usamos diariamente e com o qual estamos familiarizados, embora não estejamos cientes de tudo que está por trás dele. Neste artigo, explicaremos.

História do a moeda fiduciária

A história da moeda fiduciária remonta às origens do dinheiro. Antes da existência do dinheiro, as pessoas trocavam bens e serviços diretamente (escambo). No entanto, isso resultava em problemas porque nem todos os bens e serviços tinham o mesmo valor. Por exemplo, um saco de grãos poderia valer menos que uma ovelha, ou uma hora de trabalho poderia valer menos que um cavalo.

Depois, apareceu o dinheiro-mercadoria, que consiste em usar como meio de troca bens que têm valor intrínseco em si, como o ouro e a prata.

Posteriormente, o dinheiro fiduciário se originou na China do século XI, e seu uso se generalizou durante o Renascimento italiano. No início da Idade Moderna, exemplos de dinheiro fiduciário foram as moedas de ouro cunhadas pelos governos de Veneza e Florença.*

A moeda fiduciária é usado ao longo da história para financiar obras públicas e pagar despesas militares. No entanto, a moeda fiduciária sem lastro em ouro ou prata tem sua origem no século XX. Durante a Primeira Guerra Mundial, as nações foram forçadas a emitir dinheiro sem lastro para financiar o conflito. O resultado foi uma hiperinflação galopante e uma grave escassez de dinheiro.

Depois da guerra, muitos países decidiram abandonar o sistema monetário baseado no ouro (padrão ouro). Os Acordos de Bretton Woods, em 1944, viram como o dólar foi adotado como moeda internacional sob certas condições de que manteria os padrões de ouro. Isso finalmente se rompeu quando o presidente Nixon em 1971 pôs fim à conversibilidade dos dólares nos mercados de câmbio em ouro, fazendo com que o dólar se tornasse de facto uma moeda fiduciária respaldada por uma imposição governamental americana e sem valor intrínseco.

Por que se utiliza a moeda fiducária?

A moeda fiducária é usado porque tem uma série de vantagens sobre outros meios de troca. Por exemplo, o dinheiro fiduciário é fácil de transportar devido ao seu baixo peso e volume, o que o torna ideal para o comércio internacional. Além disso, é relativamente fácil de produzir em abundância, o que permite que as economias possam funcionar com uma única moeda.

A moeda fiduciária é usado porque tem a credibilidade de que o Governo o respalda. Isso significa que, se houver um problema com o sistema bancário ou econômico, o Governo pode emitir mais moeda fiduciária para resolver o problema. Além disso, existem regras e normas (como o Reserva Federal) que estabelecem certo controle sobre a moeda fiduciária e ajudam a manter sua estabilidade.

A moeda fiduciária é usado porque consegue ser trocado por outros bens e serviços (conversibilidade). Por exemplo, se tenho uma nota de 20 dólares, posso usá-la para comprar um ingresso de cinema, ou qualquer coisa que esteja à venda na loja. Além disso, a nota de 20 dólares tem o mesmo valor que qualquer outra nota de 20 dólares em circulação.

A moeda fiduciária pode ser armazenado eletronicamente, facilitando sua gestão e o torna menos vulnerável a roubo ou perda.

Para ser considerado bom dinheiro, a moeda fiduciária deve cumprir 4 funções básicas:

1) Medida de valor: permite expressar o valor de um bem ou serviço em termos monetários. Por exemplo, quando vemos no supermercado que um produto custa 5 euros.

2) Meio de troca: permite trocar mercadorias por dinheiro. Não é mais necessário o escambo como na antiguidade, o que permitiu o funcionamento do ciclo comercial como o conhecemos hoje.

3) Meio de pagamento: esta função é semelhante à anterior, só que não nos referimos ao pagamento de uma mercadoria, mas ao cancelamento de dívidas, por exemplo. Nesse caso, não há nenhum produto envolvido. O banco emprestou dinheiro e isso é o que está recebendo em troca.

4) Reserva de riqueza: O dinheiro permite acumular riqueza que pode ser usada posteriormente para fazer pagamentos ou adquirir bens. Ou seja, a moeda fiduciária permite a poupança.

Devemos também considerar que a moeda fiduciária permite um maior controle da oferta monetária por parte das autoridades (os bancos centrais). Assim, pode-se reduzir ou aumentar a liquidez do sistema por de instrumentos como a taxa de referência ou os repôs.

Desvantagens da moeda fiduciária

As desvantagens da moeda fiduciária são numerosas. Primeiro, a moeda fiduciária não tem nenhum respaldo real. Em segundo lugar, o poder de compra da moeda fiduciária pode ser reduzido a qualquer momento devido à manipulação da economia pelos governos ou pelos bancos centrais. Terceiro, a moeda fiduciária é facilmente confiscável pelas autoridades; e quarto, o uso da moeda fiduciária favorece a concentração de riqueza nas mãos de poucos.

É importante ressaltar que com a moeda fiduciária são possíveis medidas (em princípio excepcionais) como a flexibilização quantitativa (QE). Embora este instrumento esteja sendo usado para enfrentar momentos de crise, ele tem um contraponto. Ao aumentar a oferta monetária, são geradas pressões inflacionárias, que depois devem ser contrabalançadas (aumentando as taxas de referência, por exemplo). Então, embora se evite uma queda de todo o sistema financeiro, depois todos os consumidores, em geral, têm que lidar com um aumento nos preços da cesta básica.

O valor da moeda fiduciária reside, essencialmente, no respaldo que se tem ao Governo que o emite. Podemos ver desta forma: É porque confiamos em nossas autoridades que usamos o dinheiro que nosso banco central emite. Se as autoridades agem de forma irresponsável, a moeda perderá valor em relação a outras divisas. E a história nos mostra que sempre existem governantes que podem tomar medidas insensatas.

Como é criado a moeda fiduciária?

Os Governos criam dinheiro imprimindo-o. Isso é feito por um processo chamado “banco de reserva fracionária” Quando um banco imprime dinheiro, na verdade, não imprime notas físicas. Em vez disso, gera novos depósitos nas contas das pessoas. Estes novos depósitos são respaldados pela promessa de que o banco terá dinheiro suficiente em mãos para cobri-los se alguém retirar seu dinheiro.

Então, quando o Governo quer emitir mais dinheiro, simplesmente pede aos bancos que gerem mais depósitos. Os bancos criam estes novos depósitos emprestando dinheiro aos consumidores e às empresas. E quando as pessoas e as empresas devolvem seus empréstimos, o dinheiro deixa de existir.

Exemplos de moeda fiduciária

Alguns exemplos de moeda fiduciária são:

  1. Dólar americano (USD): O dólar americano é a moeda fiduciária mais utilizada e aceita em todo o mundo, sendo o principal meio de troca internacional.
  2. Euro (EUR): O euro é a moeda fiduciária usada na maioria da Europa e em alguns outros países fora da Europa.
  3. Iene japonês (JPY): O iene japonês é a moeda fiduciária usada no Japão.
  4. Libra esterlina (GBP): A libra esterlina é a moeda fiduciária usada no Reino Unido.
  5. Peso mexicano (MXN): O peso mexicano é a moeda fiduciária usada no México.
  6. Real (BRL): O Real brasileiro é a moeda fiduciária usada em nosso país.

*Neste artigo, usamos moeda fiduciária como sinônimo de dinheiro fiat, mas nem todos os autores os consideram equivalentes. Em última análise, pode ser o mesmo dinheiro, mas quando dizemos moeda fiduciária, estamos nos referindo à fé ou confiança que a sociedade deposita nele, enquanto o termo dinheiro fiat enfatiza o fato de que é um dinheiro que tem valor por decreto, ou seja, porque é assim que a autoridade determina.

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento