o que é o Aftermarket ou pós-mercado?

O “aftermarket” (pós-mercado) é um termo usado no contexto dos mercados financeiros e se refere ao período de tempo após o fechamento oficial do mercado de ações. Durante este período, os investidores e traders podem continuar a realizar operações de compra e venda de valores, como ações, títulos, opções e outros instrumentos financeiros, após o mercado ter fechado.

 O aftermarket é esse espaço de tempo que ocorre logo após a bolsa fechar suas portas ao final de um dia regular de operações, ou seja, de uma sessão de bolsa. Imagine que a bolsa é uma loja e, embora tenha fechado oficialmente, ainda há clientes que querem fazer suas compras. Bem, o pós-mercado é esse período extra, fora do horário habitual, em que os investidores ainda têm a oportunidade de comprar e vender ações, embora com algumas peculiaridades.

A existência do pós-mercado, assim como a do pré-mercado ou premarket, baseia-se na necessidade de oferecer flexibilidade aos investidores que, por várias razões, não podem operar durante o horário regular. Às vezes, ocorrem eventos significativos após o fechamento do mercado, e alguns investidores não querem esperar até o dia seguinte para reagir.

Alguém poderia pensar que, por ser um período fora do horário, o pós-mercado é tranquilo, mas nem sempre é assim. De fato, às vezes pode ser bastante agitado, especialmente quando são anunciadas notícias empresariais importantes logo após o fechamento do mercado. Esses anúncios podem influenciar as decisões de compra ou venda dos investidores, causando movimentos significativos nos preços das ações.

No entanto, o pós-mercado tem suas peculiaridades. Geralmente, há menos operações de volume, o que pode fazer com que os preços das ações sejam mais voláteis. Além disso, nem todas as ações que estão disponíveis durante o horário regular da bolsa podem ser negociadas no pós-mercado.

Uma curiosidade é que, embora no passado o pós-mercado fosse principalmente domínio de investidores institucionais, com a chegada da tecnologia e das plataformas de negociação online, cada vez mais investidores individuais aderiram a este tipo de operações, o que trouxe maior dinamismo e diversidade a este segmento de mercado.

Origem e história do pós-mercado

Na bolsa de valores, o fechamento do mercado não significa que tudo para. Aqui é onde entra em cena o “pós-mercado” ou “aftermarket”. Se mergulharmos em sua origem, descobriremos que, assim como sua contraparte matutina, o pré-mercado, o pós-mercado surge da necessidade de se adaptar a um mundo financeiro em constante movimento.

O pós-mercado é, basicamente, um período de tempo após o fechamento oficial da bolsa, no qual é permitida a negociação de valores. Sua origem está ligada à evolução das tecnologias e ao desejo dos investidores de terem mais flexibilidade na hora de operar.

Nos tempos anteriores à digitalização, a bolsa operava em um horário fixo e, uma vez fechada, não havia possibilidade de realizar transações até a próxima abertura. No entanto, em um mundo cada vez mais globalizado e com mercados em diferentes fusos horários, era evidente que se precisava de uma solução para poder responder a notícias ou eventos que ocorriam após o fechamento oficial.

Por exemplo, suponhamos que uma empresa faça um anúncio importante logo após o fechamento do mercado. Na ausência do pós-mercado, os investidores terão que esperar até a próxima abertura para agir. E devemos salientar que essa espera poderia se traduzir em oportunidades perdidas ou, no pior dos casos, em perdas significativas.

O pós-mercado nasce, então, como uma solução para a necessidade dos investidores de operar fora do horário habitual de mercado. Esta extensão horária oferece aos investidores mais flexibilidade para negociar. Além disso, com o aumento do comércio eletrônico nas últimas décadas, operar durante esses horários estendidos tornou-se mais acessível para o investidor médio, o que ampliou ainda mais o acesso aos mercados financeiros.

Em essência, estamos falando de uma ferramenta que permite aos investidores se moverem com mais liberdade, sem estarem atados aos sinos de abertura e fechamento tradicionais.

Para que serve o pós-mercado?

O pós-mercado, também conhecido como aftermarket, é esse período de tempo após o fechamento oficial do mercado em que os investidores ainda podem realizar operações. Mas, para que é realmente utilizado este período?

Em essência, o pós-mercado oferece uma janela adicional para aqueles investidores que talvez não tenham tido a oportunidade de agir durante o horário regular de mercado, ou que desejam responder a notícias ou eventos que aconteceram logo no final do horário comercial convencional. Imagine, por exemplo, que uma empresa anuncia resultados trimestrais surpreendentemente bons logo após o fechamento do mercado. Os investidores que desejam comprar ações desta empresa não terão que esperar até o dia seguinte; eles poderiam agir imediatamente no pós-mercado.

Além disso, o pós-mercado é um espaço que permite aos investidores ajustar suas carteiras, fechar posições ou assumir novas sem a pressão e volatilidade que às vezes caracterizam as horas de pico do mercado regular. Ou seja, proporciona um pouco mais de tranquilidade e reflexão, por não estar no meio da atividade do mercado.

No entanto, é crucial entender que o pós-mercado não tem o mesmo volume de negócios que o horário regular. Isso significa que pode não haver tantos compradores ou vendedores disponíveis para uma determinada ação, o que por sua vez pode levar a flutuações de preço mais significativas ou a uma menor liquidez. Portanto, embora o pós-mercado ofereça oportunidades, também requer uma estratégia e cautela por parte do investidor.

Como funciona o pós-mercado?

O pós-mercado é esse período de tempo após o fechamento do horário oficial das bolsas de valores em que ainda é possível realizar operações. Mas, como exatamente este período ou segmento de mercado opera?

Quando falamos sobre o funcionamento do pós-mercado, nos referimos ao conjunto de mecanismos e plataformas que permitem aos investidores comprar ou vender ativos após o horário habitual de negociação. Em essência, o pós-mercado opera de maneira semelhante ao mercado regular, mas com algumas peculiaridades.

Primeiro, é preciso entender que a atividade no pós-mercado costuma ser menor. Como há menos investidores participantes, o volume de negócios diminui. Esta redução de volume pode resultar em menor liquidez, o que significa que pode ser mais difícil encontrar um comprador ou vendedor para uma ação específica.

Devido a esta menor liquidez, é comum ver uma maior volatilidade nos preços. Sem um grande número de negócios para estabilizar os preços, estes podem flutuar mais rapidamente em resposta à oferta e demanda.

Para operar no pós-mercado, os investidores costumam usar plataformas de negociação online. Essas plataformas facilitam as transações fora do horário regular e conectam compradores com vendedores.

É importante que os investidores fiquem atentos às notícias e eventos corporativos que acontecem após o fechamento do mercado, pois estes podem influenciar significativamente o comportamento dos preços durante o pós-mercado. Por exemplo, anúncios de resultados empresariais ou decisões de órgãos econômicos podem gerar reações imediatas neste período.

Finalmente, é vital que, antes de operar no pós-mercado, os investidores se informem sobre possíveis comissões ou taxas adicionais que seus corretores ou plataformas de negociação possam aplicar, pois às vezes podem diferir das do horário regular.

Quem pode operar no pós-mercado?

No mundo das finanças, o pós-mercado oferece uma oportunidade adicional para os investidores negociarem ações e outros instrumentos financeiros fora do horário regular das bolsas. Mas, quem realmente tem acesso a este período estendido?

O acesso ao pós-mercado não é reservado apenas para grandes investimentos ou instituições financeiras, embora historicamente eles tenham sido os mais ativos nestes horários. Com o avanço da tecnologia e a democratização do acesso à informação e às ferramentas de investimento, hoje em dia, provavelmente qualquer investidor pode operar no pós-mercado.

A maioria dos corretores ou corretoras online oferecem aos seus clientes a possibilidade de negociar nestes horários estendidos. No entanto, nem todos os corretores oferecem este serviço, por isso é essencial verificar se um investidor está interessado em operar no pós-mercado.

Embora o acesso esteja disponível para muitos, é fundamental que os investidores, tanto novatos quanto experientes, compreendam que operar no pós-mercado tem certas peculiaridades. Por exemplo, devido ao menor volume de operações, pode haver menos liquidez e, portanto, maiores flutuações de preço.

Além disso, é essencial que os investidores estejam bem informados e conscientes de que as regras e as comissões podem variar em comparação com o horário regular. Alguns corretores podem cobrar taxas adicionais ou ter requisitos específicos para operar neste período.

Diferenças entre o pós-mercado e o mercado regular

No mundo do mercado de ações, o mais comum é investir no mercado durante o horário regular, que é o período padrão de negociação nas bolsas de valores ao redor do mundo. Normalmente este horário geralmente vai das 9 da manhã às 5:30 da tarde, embora possa variar ligeiramente dependendo do país.

É neste intervalo que a maior parte da atividade é concentrada, e é aqui que os preços de fechamento das ações são determinados, que são especialmente relevantes para a análise e as estatísticas do mercado.

No entanto, por outro lado, temos extensões de horário que dão origem a períodos de negociação alternativos, como o aftermarket, o premarket e o after hours.

O aftermarket, que é o período que tentamos explicar neste artigo, é esse período que permite a negociação após o fechamento do horário regular. Embora possa parecer algo novo, existe há muito tempo, mas com o aumento da tecnologia e das plataformas de investimento online, seu uso se tornou mais popular entre o público em geral.

Este período, como é óbvio, apresenta algumas diferenças em relação ao mercado regular que vale a pena conhecer, e é exatamente isso que vamos ver a seguir:

  • Volume de negociação : No mercado regular, o volume de operações é significativamente maior. Em contraste, o pós-mercado tende a ter um volume muito menor, o que pode levar a uma menor liquidez.
  • Liquidez : Devido ao menor volume no pós-mercado, pode ser mais difícil encontrar contrapartes para comprar ou vender uma quantidade significativa de ações, o que pode causar flutuações de preço mais amplas.
  • Informação e notícias : Uma característica distintiva do pós-mercado é que costuma ser o momento em que muitas empresas publicam seus resultados e notícias relevantes, o que pode causar movimentos bruscos nos preços.
  • Acesso : Embora hoje em dia muitos investidores tenham acesso tanto ao mercado regular quanto ao pós-mercado graças às plataformas online, nem todos os corretores oferecem a possibilidade de operar em horário estendido.
  • Regulação e proteção : No mercado regular, existem certos mecanismos projetados para proteger os investidores, como as pausas automáticas na negociação se uma ação experimenta movimentos de preço muito bruscos em um curto período de tempo. Esses mecanismos nem sempre estão ativos no pós-mercado.

Entender essas diferenças é vital para qualquer investidor, pois operar em um ou outro momento pode exigir diferentes estratégias e levar em conta diversos fatores de risco.

Como o aftermarket influencia o mercado regular?

O aftermarket, ou pós-mercado, não é apenas um período extra onde operações podem ser realizadas fora do horário habitual. Sua existência e atividade influenciam diretamente no comportamento do mercado regular no dia seguinte. Mas, como isso é possível e qual é a sua relevância?

O pós-mercado é como um termômetro que mede as reações imediatas dos investidores a notícias ou eventos que ocorrem após o fechamento do mercado. Por exemplo, se uma empresa anuncia resultados trimestrais que superam as expectativas logo ao final do horário regular, é provável que vejamos um aumento na demanda por suas ações no pós-mercado. Essa atividade, por sua vez, dá pistas sobre como a ação pode abrir no dia seguinte no mercado regular.

Da mesma forma, se uma notícia negativa impacta o setor tecnológico durante o pós-mercado, podemos antecipar certo nervosismo ou tendência de baixa nesse setor no início do próximo dia regular.

É importante destacar que, embora o pós-mercado possa dar indícios sobre a abertura do mercado regular, nem sempre determina seu comportamento ao longo do dia. O volume de operações é geralmente mais baixo no pós-mercado, o que significa que os preços podem ser mais voláteis ou estar influenciados por transações de menor porte. Portanto, embora possa estabelecer o tom inicial, à medida que o dia avança e mais volume entra, a tendência pode mudar.

Por outro lado, as informações coletadas durante o pós-mercado podem ser valiosas para os comerciantes e analistas. Eles podem usar esses dados para ajustar suas estratégias, estabelecer pontos de entrada ou saída, ou antecipar movimentos de mercado.

Vantagens e riscos de operar no aftermarket

Embora operar no aftermarket possa parecer muito atraente à primeira vista, como tudo na vida financeira, este segmento de mercado também apresenta seus riscos. Vamos aprofundar um pouco neles.

Vantagens de operar no aftermarket

  • Reação a notícias tardias: Muitas empresas anunciam seus resultados trimestrais ou notícias relevantes após o fechamento do mercado. O pós-mercado permite que os investidores reajam imediatamente a essas informações, sem ter que esperar pela abertura do dia seguinte.
  • Flexibilidade: Para aqueles que não podem acompanhar o mercado durante as horas habituais, devido ao trabalho ou outras obrigações, o pós-mercado oferece uma janela adicional para gerenciar seus investimentos.
  • Menor volatilidade às vezes: Em alguns casos, por haver menos operadores em ação, podem existir momentos de menor volatilidade do que durante o mercado regular. No entanto, isso pode ser uma vantagem ou um risco, dependendo da situação.

Riscos de operar no aftermarket

  • Menor volume de operações habituais: O pós-mercado tem um volume de operações mais reduzido. Isso pode gerar movimentos de preços mais abruptos e menos previsíveis, já que uma única operação de compra ou venda pode influenciar significativamente no preço de um ativo.
  • Spreads mais amplos: Dada a menor liquidez, a diferença entre os preços de operações de compra e venda (o spread) tende a ser mais amplo, o que pode dificultar a execução de um preço desejado.
  • Informação limitada: Nem todos os participantes do mercado têm acesso ou decidem operar no pós-mercado. Isso pode gerar uma visão parcial e, às vezes, distorcida do valor real ou do sentimento geral em relação a um ativo.
  • Risco de decisões precipitadas: As notícias que são divulgadas fora do horário regular podem provocar reações impulsivas. Sem o contexto completo e a participação de todo o mercado, é possível tomar decisões baseadas em informações incompletas ou em reações emocionais.

Em suma, embora o pós-mercado ofereça oportunidades adicionais para os investidores, é fundamental entender suas particularidades e riscos associados. Desta forma, cada investidor poderá determinar se operar neste horário estendido está alinhado com sua estratégia e perfil de risco.

Dicas e recomendações para operar no pós-mercado

Para aqueles investidores aventureiros que buscam tirar proveito deste período, é crucial se armar com sabedoria e cautela. Vamos, então, a algumas recomendações que podem ser úteis se você decidir investir no pós-mercado.

Conheça a si mesmo: Antes de operar, é vital entender seu perfil de investidor. Você é daqueles que podem lidar com a pressão de movimentos mais abruptos no preço? Se você sente que pode entrar em pânico ou tomar decisões precipitadas, talvez deva reconsiderar operar fora do horário regular.

Informação é poder: Certifique-se de estar a par das últimas notícias. Muitas empresas aproveitam o fechamento do mercado para anunciar resultados ou mudanças importantes. No entanto, lembre-se de que a reação inicial a uma notícia nem sempre reflete seu impacto a longo prazo.

Monitore o volume: O pós-mercado costuma ter um volume de operações menor. Isso pode ser uma faca de dois gumes, já que, por um lado, pode oferecer oportunidades interessantes, mas, por outro, pode levar a interpretações errôneas sobre a direção que o mercado tomará no dia seguinte.

Estabeleça limites: É recomendável usar ordens limitadas em vez de ordens de mercado para garantir que você compre ou venda a um preço que considere adequado. Como os preços podem ser mais voláteis no pós-mercado, uma ordem de mercado pode ser executada a um preço muito diferente do esperado.

Conselho profissional: Se você está começando ou não está completamente seguro, procure o conselho de profissionais ou consultores financeiros. A experiência deles pode ser crucial para navegar no pós-mercado com mais segurança.

A prudência é a chave: Como em todos os aspectos do investimento, não se deixe levar pela emoção. Estabeleça uma estratégia, siga seus próprios conselhos e não se deixe influenciar pelo medo ou pela ganância.

O pós-mercado, como qualquer aspecto do mundo financeiro, é uma ferramenta. Seu uso adequado pode gerar lucros, mas também esconde riscos. Boa sorte!

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados