Guia Completo: Passo a Passo para comprar criptomoedas no Brasil

De acordo com o estudo intitulado “Revolução do sistema financeiro e tendências da criptoeconomia”, que foi realizado pelo Mercado Bitcoin (MP), 10 milhões de pessoas no Brasil alocam investimentos em criptomoedas.

A análise aponta ainda que, se considerarmos o número de 215 milhões de brasileiros, o montante de pessoas aplicando recursos em ativos digitais corresponde a 5% do total de habitantes do país. 

Embora seja um segmento em acelerado crescimento, ainda existem dúvidas sobre essa vertente do mercado financeiro, principalmente no que se refere a forma de investir e se, efetivamente, é uma modalidade de investimentos que traz segurança e boa lucratividade a curto, médio e longo prazo. 

Para esclarecer as principais dúvidas sobre as criptomoedas, nós responderemos na sequência os questionamentos mais importantes sobre o assunto. Aproveite o post e tenha uma ótima leitura! 

O que são criptomoedas?

Trata-se de moedas digitais utilizadas para preservar dados e processar transações, por meio da criptografia

A criação delas ocorreu em 2008, período marcado por um contexto de instabilidade do mercado financeiro, em função da crise imobiliária dos Estados Unidos. 

Naquela época, vários bancos faliram e o dólar perdeu valor. Em função disso, as criptomoedas surgiram como uma alternativa de mercado em meio a crise. 

Além da sua possibilidade de valorização, quando comparadas com as  moedas tradicionais, outro atrativo das criptomoedas é a desvinculação de órgãos reguladores, tal como um Banco Central, por exemplo. 

Mas em qual sistema, exatamente, elas operam? É aí que entra a rede Blockchain, um mecanismo que funciona como uma rede de dados que registra todas as transações comerciais envolvendo as moedas digitais

Qualquer pessoa que acessa a Blockchain consegue visualizar as movimentações realizadas, porém, os dados referentes a quem realizou as operações, ativo enviado e quem recebeu ficam restritos. 

A proposta da Blockchain é viabilizar autonomia e dinamismo operacional e, ao mesmo tempo, garantir que as negociações sejam seguras para os investidores.

Quais são as vantagens e riscos das criptomoedas?

As moedas digitais oferecem várias possibilidades para o investidor, o que as transformam em um mercado atrativo para diversos perfis de investidores. Por outro lado, alguns outros pontos merecem atenção. Confira na sequência os diferenciais e riscos das criptomoedas! 

Vantagens das criptomoedas

As principais vantagens das criptomoedas são:

  • Descentralização: as criptomoedas não são controladas por órgãos governamentais e instituições financeiras, permitindo maior autonomia e liberdade para os investidores; 
  • Segurança: os ativos digitais são comercializados com criptografia avançada e registrados na Blockchain, para garantir que as transações sejam seguras e protejam os dados dos usuários; 
  • Transações rápidas: as transferências podem ser processadas rapidamente, independente de onde estiver o investidor. Isso faz com que as operações sejam mais dinâmicas e ágeis; 
  • Pleno acesso a mercados financeiros: os ativos digitais democratizam o acesso a serviços financeiros a pessoas que não têm acesso a instituições financeiras tradicionais, inclusive em países subdesenvolvidos.

Riscos das criptomoedas

Entenda quais são os principais riscos envolvidos ao investir em criptomoedas: 

  • Alta volatilidade: o mercado digital também é conhecido por sua alta oscilação. Em função disso, os preços podem variar consideravelmente em curtos espaços de tempo, fazendo com que o investimento em criptomoedas seja mais adequado para investidores com perfil mais arrojado; 
  • Ausência de regulamentação: embora seja um setor que está crescendo, as criptomoedas não têm um órgão regulador. Isso pode dar abertura para atividades ilícitas, aumentando o risco de golpes contra os investidores; 
  • Inexistência de proteção para o consumidor: ao contrário dos sistemas financeiros convencionais, o consumidor não tem proteção nesse ambiente como, por exemplo, a devolução de pagamentos em caso de fraude, ou a garantia do Fundo Garantidor de Crédito (FGC); 
  • Falhas tecnológicas: erros no código ou falhas na rede são problemas técnicos que podem acontecer, por isso, o cuidado com a corretora que você usará é essencial. 

Escolhendo a melhor exchange

Similar ao mercado de ações, o mercado cripto também viabiliza a possibilidade de negociar ativos com a intermediação de plataformas especializadas. 

As exchanges são corretoras que trabalham diretamente com a negociação de moedas digitais. Elas possibilitam que o investidor compre, venda, armazene, troque e converta criptomoedas. 

As plataformas oferecem maior agilidade quando comparadas com outros formatos tradicionais de negociação, e disponibilizam um layout mais funcional para que as negociações aconteçam.  

As exchanges funcionam de maneira independente, mas seguem diretrizes estabelecidas no mercado cripto. 

Além de viabilizarem a negociação, oferecem a possibilidade para quem quer manter os ativos digitais sob “proteção” de uma empresa ao invés de uma carteira própria. O portfólio das corretoras é formado por criptomoedas clássicas, stablecoins, tokens de governança e NFTs. 

Verificando a credibilidade da exchange

O investimento por meio de exchanges é o caminho mais tradicional e seguro para começar e para ampliar a carteira de investimentos em criptomoedas. 

Para escolher a melhor corretora para assessorá-lo, é importante avaliar se ela possui boas práticas de segurança, bem como a sua reputação no mercado financeiro. 

Além disso, o potencial investidor pode pesquisar o valor de mercado e a quantidade de ativos disponíveis na plataforma. 

Cadastro e verificação de conta

De uma maneira geral, a abertura de uma conta e cadastro nas exchanges são processos simples simples e gratuitos. 

Basta acessar o site ou aplicativo da corretora que você escolher, registrar seus dados e, posteriormente, criar um login e senha de usuário. 

Provavelmente, por segurança, as corretoras solicitarão documentos de identificação e comprovantes de residência. 

Aí, com o cadastro aprovado, é preciso enviar o dinheiro para conseguir fazer as negociações. A partir daí, já é possível converter o seu dinheiro em ativos digitais. 

Escolhendo a criptomoeda certa para você

Além de entender como funciona a dinâmica de investimento em ativos digitais, saber em qual criptomoeda investir é um desafio para muitos investidores. 

Pensando nisso, trouxemos alguns aspectos que você precisa levar em consideração na hora de tomar essa decisão. Olha só:

  • Pesquise sobre as opções de criptomoedas do mercado; 
  • Verifique a capitalização do mercado; 
  • Avalie a liquidez;
  • Analise a tecnologia e o grau de segurança da criptomoeda;
  • Levante informações sobre a equipe responsável pela criptomoeda; 
  • Observe o volume de negociação diário. 

Acompanhando o mercado e tendências

Como estamos falando de um segmento de investimentos bastante volátil e suscetível a transformações o tempo todo, é muito importante estar atento às possibilidades e possíveis mudanças de mercado. Isso passa por acompanhar não só as movimentações econômicas, mas avaliar quais acontecimentos da sociedade podem interferir na performance dos ativos digitais. 

Para isso, recomendamos que você  acesse sites e portais de notícias, como o blog da Rankia, para ficar sempre por dentro do que está acontecendo!Essa análise vai te permitir tomar decisões sem se basear em achismos, mas sim em indicadores concretos que contribuirão para alcançar bons resultados com os investimentos.

Definindo metas de investimento

Estabelecer quais são suas prioridades dentro do mercado cripto é importante para nortear suas ações. Nesse contexto, confira algumas boas práticas para estabelecer quais são os seus objetivos: 

  • Informe-se sobre o mercado de criptomoedas; 
  • Estabeleça qual montante de investimento pretende alcançar no curto, médio e longo prazo; 
  • Defina objetivos claros e mensuráveis; 
  • Alinhe prazos para o cumprimento de suas metas; 
  • Diversifique a carteira de investimentos, mesmo em moedas digitais;
  • Monitore os seus resultados de mercado. 

Comprando criptomoedas na prática

Além de adquirir criptomoedas por meio da intermediação de uma corretora, é possível comprá-las em outros canais

Porém, vale ressaltar que realizar essa operação através das exchanges ainda é o método mais seguro que o mercado oferece. Conheça os outros formatos de aquisição dos ativos: 

  • Caixas eletrônicos de criptomoedas: algumas cidades possuem máquinas que você pode comprar moedas digitais com seu cartão de crédito ou dinheiro; 
  • Peer-to-Peer (P2P): essas plataformas conectam compradores e vendedores para que eles façam a comercialização do produto de uma forma direta, sem a necessidade de intermediários; 
  • Aplicativos e Carteiras: é possível usar algumas dessas plataformas para fazer a compra. Porém, é necessário informar os dados para pagamento; 
  • Mineração: esse é o processo de incluir e validar novas transações na plataforma Blockchain. Usuários podem usar seus computadores para realizar essa operação e participar das negociações. 

Escolhendo a forma de pagamento

O mercado oferece várias alternativas para compra de criptomoedas e qual estará disponível para você dependerá da plataforma ou exchange escolhida para operar. Conheça as opções de pagamento para comprar criptomoedas! 

  • Transferência bancária;
  • Cartão de crédito/débito;
  • PayPal;
  • Dinheiro;
  • Transferência de criptomoedas. 

Armazenando suas Criptomoedas

O armazenamento das criptomoedas com segurança prevê a adesão de algumas boas práticas e dispositivos que deixarão seus ativos digitais mais protegidos. Veja só: 

  • Carteira Hardware: é uma ferramenta física capaz de preservar as criptomoedas em modo offline. Elas conseguem proteger os dados dos ativos digitais contra a ação de hackers; 
  • Backup: uma boa opção é realizar backups sistemáticos de suas chaves e guardá-las em locais seguros. Caso ocorra algum problema com a carteira de ativos digitais, é possível recuperar os dados de acesso; 
  • Senhas fortes: é fundamental usar senhas fortes e únicas para suas contas de criptomoedas; 
  • Autenticação de dois fatores (2FA): essa autenticação consiste em inserir uma camada extra de segurança na hora do acesso, exigindo um código adicional além da senha;
  • Atualização de segurança: para armazenar criptomoedas com proteção, é preciso que o investidor se mantenha atualizado sobre as melhores práticas de proteção.

Comece a investir em criptomoedas agora mesmo! 

O mercado de criptomoedas é promissor e pode ser altamente lucrativo, se as boas práticas forem seguidas e se você tiver um perfil de investidor adequado para esse tipo de investimento. Se você gostou do conteúdo e quer dar o primeiro passo no mundo das criptomoedas, não perca tempo. Escolha uma exchange de credibilidade e comece a investir de maneira assertiva, funcional e segura!

Artigos Relacionados