Melhores corretoras de CFDs no Brasil [2023]

Um dos instrumentos mais populares entre os traders para especular na bolsa de valores brasileira são os CFDs. A capacidade de negociar em ambas as direções e a gestão da alavancagem são alguns dos fatores que contribuíram para sua popularidade no Brasil.

Neste artigo, apresento as vantagens e desvantagens dos CFDs. Além disso, forneço uma lista de corretoras regulamentadas e confiáveis para negociar CFDs no Brasil e dicas para evitar corretoras de baixa qualidade.

O que é um CFD?

CFD é a sigla para “Contracts for Difference”, que em português significa “Contratos por Diferença”.
Os CFDs são contratos entre um investidor e uma corretora, onde a corretora se compromete a pagar a diferença de preço entre a abertura e o fechamento da posição. Ao adquirir um CFD, o investidor não adquire a propriedade do ativo subjacente, mas tem a oportunidade de especular sobre seu preço.

👉 Se você deseja aprendar um pouco mais sobre CFDs leia o nosso artigo explicativo

Como negociar um CFD?

Para negociar CFDs você precisa:

  • Escolher uma corretora confiável que atenda as suas necessidades
  • Selecione o ativo subjacente. (Ou seja, decidir sobre qual item você quer fazer uma previsão.)
  • Determine se acredita que o preço subirá ou cairá.
  • Verifique a margem e esteja ciente dos custos diários associados.

Quais ativos podem ser negociados com CFDs?

Quando falamos em “ativos” no mundo dos investimentos, estamos nos referindo a diferentes tipos de “coisas” ou “produtos” nos quais você pode investir ou fazer previsões sobre seu valor. No caso dos CFDs, você não está comprando o ativo em si, mas sim fazendo uma espécie de aposta sobre como o preço desse ativo vai se comportar. Vamos ver quais são esses ativos:

  1. Ações: São partes de uma empresa. Ao negociar CFDs de ações, você está fazendo previsões sobre como o preço da ação de uma empresa específica, como Apple ou Petrobras, vai se mover.
  2. ETFs (Fundos de Índice): São como cestas que contêm várias ações ou outros ativos. Eles rastreiam índices, como o Ibovespa no Brasil. Ao negociar CFDs de ETFs, você está prevendo o desempenho geral dessa cesta.
  3. Índices: Representam o desempenho de um grupo de ações de um país ou setor. Por exemplo, o S&P 500 representa as 500 maiores empresas dos EUA. Com CFDs, você pode prever como esse grupo inteiro de empresas vai se sair.
  4. Moedas: Também conhecido como Forex, aqui você está fazendo previsões sobre o valor de uma moeda em relação a outra, como o dólar em relação ao real.
  5. Criptomoedas: São moedas digitais, como o Bitcoin ou Ethereum. Com CFDs, você pode especular sobre o aumento ou queda de seu valor.
  6. Títulos: São dívidas emitidas por governos ou empresas. Ao negociar CFDs de títulos, você está prevendo o desempenho dessas dívidas.
  7. Commodities e metais preciosos: Aqui, estamos falando de produtos físicos como ouro, prata, petróleo ou grãos. Você pode usar CFDs para fazer previsões sobre como os preços desses produtos vão se mover.
  8. Taxas de juro: Estas são previsões sobre as taxas de juros definidas por bancos centrais, como o Banco Central do Brasil.

Ao escolher um ativo para negociar com CFDs, é importante entender bem esse ativo e o mercado em que ele opera. Cada ativo tem suas próprias características e fatores que influenciam seu preço.

Onde posso negociar CFDs no Brasil?

No Brasil, os CFDs são negociados através de corretoras. No entanto, é essencial ter cautela, pois existem muitas fraudes associadas a este produto. Com a popularização das redes sociais e o aumento do interesse em investimentos, muitos anúncios prometem retornos elevados sem riscos, mas têm como objetivo principal enganar os investidores.

Algumas das corretoras mais regulamentadas e confiáveis no Brasil são:

Como os CFDs funcionam?

A negociação de CFDs é semelhante à negociação de ações, mas com algumas diferenças:

  • Alavancagem: Os CFDs permitem negociar com menos capital. Por exemplo, se uma ação da Petrobras vale R$ 25 e você depositou R$ 5 em um CFD, você estaria alavancado em 1:5.
  • Swaps overnight: Como a corretora está emprestando dinheiro, ela cobra uma taxa diária.
  • Margem: É necessário garantir que o saldo da conta cubra as posições abertas.

👉 Se você deseja saeber um pouco mais sobre como investir em CFDs aprenda em esse artigo explicativo

Entendendo o Spread e Como Escolher o Bróker Ideal

Antes de mergulharmos na resposta, é crucial entender o que é “spread” e por que ele é importante ao escolher um bróker.

O “spread” refere-se à diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo oferecido pelo bróker. É uma das principais formas pelas quais os brókers ganham dinheiro. Por exemplo, se o preço de compra (ask) de uma ação é R$10,10 e o preço de venda (bid) é R$10,00, o spread é de R$0,10.

Um spread menor geralmente significa custos de negociação mais baixos para o investidor, enquanto um spread maior pode tornar mais difícil obter lucro, especialmente ao negociar em curtos períodos de tempo.

Agora, em relação a qual bróker oferece o menor spread, isso pode variar dependendo de vários fatores:

  1. Tipo de Ativo: O spread pode ser diferente dependendo do ativo que você está negociando, seja ele ações, moedas, commodities, etc.
  2. Liquidez do Mercado: Em mercados mais líquidos, onde há muitos compradores e vendedores, o spread tende a ser menor.
  3. Horário de Negociação: Durante o horário principal de negociação, quando os mercados estão mais ativos, os spreads podem ser mais estreitos.
  4. Política do Bróker: Alguns brókers podem oferecer spreads mais baixos como uma estratégia para atrair mais clientes, enquanto outros podem ter spreads mais altos, mas oferecer outras vantagens, como ferramentas avançadas ou melhor atendimento ao cliente.

Para determinar qual bróker tem o menor spread, é essencial fazer uma pesquisa abrangente e comparar várias opções. Além disso, é importante não basear sua decisão apenas no spread. Outros fatores, como a reputação do bróker, as ferramentas disponíveis, o atendimento ao cliente e a regulamentação, também são cruciais.

Lembre-se de que o spread é apenas um dos muitos custos associados à negociação e deve ser considerado no contexto mais amplo de todo o serviço oferecido pelo bróker.

Como escolher uma corretora de CFDs?

Ao escolher uma corretora para negociar CFDs no Brasil, considere:

  • Regulação: Verifique se a corretora é regulada por órgãos como a CVM.
  • Tipos de contas: Veja se oferecem conta demo.
  • Plataformas: Avalie as ferramentas e recursos disponíveis.
  • Comissões: Considere as taxas associadas.
  • Atendimento ao cliente: Avalie a qualidade e os canais de atendimento.

Os CFDs são instrumentos complexos e apresentam um alto risco de perda rápida de dinheiro devido à alavancagem. A maioria das contas de investidores de varejo perde dinheiro ao negociar CFDs. É essencial entender como os CFDs funcionam e avaliar se você pode correr o risco de perder seu dinheiro.

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento