Como investir na Ásia? Os melhores ETFs

A população da Ásia representa quase 60% da população mundial. Isso a torna uma região atraente para muitas empresas que buscam crescimento e, portanto, uma região que devemos considerar para ter exposição ao investir, independentemente da estratégia que seguimos.

Obviamente, assim como a África, a Ásia é uma região enorme com muitos países bastante diferentes, alguns desenvolvidos e outros emergentes. E dentro dos emergentes também existem diferenças importantes. Por exemplo, embora muita manufatura ainda esteja na China, há alguns anos já começou uma realocação que se intensificou nos últimos anos para outros países da região como Índia, Vietnã e Indonésia.

Por que a Ásia é interessante para investir?

Além da enorme e crescente população da região, existem outros dois ventos de cauda, um de curto médio prazo e outro de longo prazo:

  • Recuperação nas exportações e lucros. Como podemos ver no gráfico a seguir (cortesia da JPMorgan), as exportações excluindo a China estão tendo uma recuperação importante. Se adicionarmos que os lucros corporativos excluindo o Japão também parecem ter atingido o fundo, então há uma alta probabilidade de que a recuperação das bolsas nos diferentes países da região seja sustentada. Isso é um vento de cauda de curto a médio prazo para a região.
  • Dividendo populacional. Apesar de países como Japão, China e Coreia do Sul terem pirâmides populacionais pouco atraentes que indicam que já explodiram a melhor parte de seu dividendo populacional, ainda existem países do Leste Asiático como Índia, Indonésia ou Malásia que têm grande parte de seu dividendo populacional por várias décadas mais. Isso pode ser visto no gráfico a seguir da Brookings Institution.

A enorme população jovem para trabalhar, ganhar dinheiro e gastá-lo é um bom sinal para atrair empresas consolidadas ou novas que querem crescer organicamente e, com isso, aumentar os lucros corporativos das empresas listadas.

Quais países compõem a Ásia?

A seguir, uma lista das Bolsas de Valores da Ásia por capitalização de mercado:

Obviamente, China, Japão e Coreia são os maiores, mas o restante das bolsas pode ainda estar em fraldas e com grande potencial de crescimento.

Como investir na Ásia através de ETFs?

Uma maneira simples de ter exposição à Ásia pode ser investir em empresas europeias com vendas significativas na China. A imagem a seguir mostra algumas delas:

O problema ou a desvantagem de fazer o anterior é que não se pode capturar todo o potencial da região porque a exposição é reduzida a poucas empresas e a setores muito específicos, como explicado com o caso do SP500.

Na imagem anterior não vemos o setor tecnológico nem o de consumo discricionário local nem o financeiro, mas se vemos o peso que esses setores têm dentro dos índices da região, então percebemos que poderíamos estar perdendo uma parte importante do bolo.

Índice MSCI exChina e exJapão

Os seguintes gráficos de pizza mostram os pesos setoriais e por país do índice MSCI exChina e exJapão:

Índice MSCI ASEAN

Podemos excluir Taiwan e usar as alocações do índice MSCI ASEAN que tem 4 mercados emergentes, 1 desenvolvido e 1 fronteira.

Por isso, acredito que se realmente queremos ter exposição à região, o melhor é ir diretamente para ETFs que tenham empresas asiáticas em seu portfólio.

Principais Índices da Região Ásia-Pacífico

A região do Ásia-Pacífico é composta por sub-regiões como a chamada ASEAN e também pode ser dividida em países emergentes e desenvolvidos. Os países com maior peso nos índices geralmente são Japão e China. É por tudo isso que podemos encontrar diferentes tipos de índices de diferentes provedores, sendo os dois mais importantes MSCI e FTSE.

A seguir, deixo uma lista com os 6 principais índices desta região:

  • FTSE Developed Asia Pacific ex Japan → O índice FTSE Developed Asia Pacific ex Japan rastreia as ações de médio e grande porte dos países desenvolvidos da região Ásia-Pacífico, exceto Japão.
  • MSCI AC Asia ex Japan → O índice MSCI AC Asia ex Japan rastreia os mercados de ações dos países emergentes e desenvolvidos da região da Ásia, exceto Japão.
  • MSCI AC Far East ex Japan → O índice MSCI AC Far East ex Japan rastreia os mercados de ações dos países emergentes e desenvolvidos da região do Extremo Oriente, excluindo o Japão.
  • MSCI Emerging Markets Asia → O índice MSCI Emerging Markets Asia acompanha as empresas de médio e grande porte dos mercados emergentes asiáticos.
  • MSCI Pacific ex Japan → O índice MSCI Pacific rastreia os mercados de ações dos mercados desenvolvidos na região do Pacífico, exceto Japão (Austrália, Hong Kong, Singapura e Nova Zelândia).
  • Solactive Core Developed Markets Pacific ex Japan Large & Mid Cap → O índice Solactive Core Developed Markets Pacific ex Japan Large & Mid Cap rastreia as ações de médio e grande porte dos países desenvolvidos na região Ásia-Pacífico (exceto Japão). O índice exclui empresas que se dedicam à extração de carvão puro, armas controversas ou, durante um período contínuo de três anos, violaram os princípios do Pacto Global da ONU.

A seguir, uma lista dos que tiveram melhores retornos nos últimos 3 anos.

Top 6 Melhores ETFs Ásia-Pacífico por índices gerais

ETFTicker3a%TER
Vanguard FTSE Developed Asia Pacific ex Japan UCITS ETF AccVGEK32,950,15
UBS ETF (IE) MSCI AC Asia Ex Japan SF UCITS ETF (USD) A-accUIQI12,340,23
HSBC MSCI AC Far East ex Japan UCITS ETF USDH4114,900,45
Amundi MSCI Emerging Markets Asia UCITS ETF EUR (C)AMEA12,130,20
Lyxor MSCI Pacific Ex Japan UCITS ETF – DistLGQK30,330,12
L&G Asia Pacific ex Japan Equity UCITS ETFETLK28,680,10

Vanguard FTSE Developed Asia Pacific ex Japan UCITS ETF Acc

Este ETF replica o índice FTSE Developed Asia Pacific ex Japan que tem em carteira empresas de grande e média capitalização de países desenvolvidos desta região, excluindo o Japão.

Segue uma réplica física completa e sua moeda base é o USD. Não tem cobertura de moeda. Sua política de dividendos é de acumulação.

Está domiciliado na Irlanda e sua volatilidade anual é de 14,91%.

A seguir, uma análise de sua carteira por setores e países. Isso é importante porque podemos ver as diferenças nas exposições que tem em relação aos outros ETFs da região que seguem outros índices.

Lyxor MSCI Pacific Ex Japan UCITS ETF – Dist

O ETF replica o índice MSCI Pacific ex Japan que tem em carteira ações de países desenvolvidos, excluindo o Japão.

Tem uma réplica sintética com moeda base USD e não tem cobertura de moeda. Está domiciliado em Luxemburgo e sua política de dividendos é de distribuição semestral. Sua volatilidade anual é de 15,07%.

Esta é a sua distribuição setorial e por país.

Podemos ver que, em comparação com o ETF anterior da Vanguard que segue o FTSE, este tem um maior peso na Austrália e o segundo país com maior exposição é Hong Kong em vez da Coreia.

Outra grande diferença é que este ETF da Lyxor segue o índice MSCI. Neste caso, o setor tecnológico tem um peso muito pequeno, enquanto no da Vanguard que segue o índice FTSE ocupa o segundo lugar.

Top 3 Melhores ETFs Ásia Pacífico por Fatores

A tabela a seguir mostra os ETFs da região que tiveram melhor desempenho nos últimos 3 anos e filtrados por fatores:

ETFTicker3a%TER
iShares MSCI AC Far East ex-Japan Small Cap UCITS ETFIUS936,470,74
BNP Paribas Easy MSCI Pacific ex Japan ESG Filtered Min TE UCITS ETFPAC31,880,15
Morgan Stanley Scientific Beta HFE Pacific ex-Jap Equity 6F EW UCITS ETFPHEF25,010,30

👉 Os melhores ETFs para investir no Brasil

FAQs

Qual é o melhor ETF para a Ásia?

Vai depender da exposição e índice que queremos ter. A Ásia é um grande continente com muitas sub-regiões e países. Além disso, devemos definir o que é melhor para nossas carteiras: melhor retorno em 1 ano ou 3 anos, menor spread e tracking error, menor comissão, etc

Qual foi o ETF mais rentável da Ásia?

Nos últimos 3 anos, foi o ETF iShares MSCI AC Far East ex-Japan Small Cap UCITS ETF com 36.47% de retorno acumulado.

No último ano, foi o UBS ETF (LU) MSCI Pacific Socially Responsible UCITS ETF (USD) A-dis com 11.98% acumulado.

Quem é o maior gestor ou emissor de ETFs para a Ásia?

Os dois maiores gestores/emissores de ETFs para esta região são Vanguard e Ishares.

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados

Melhores ETFs para investir no Setor Financeiro
Os ETFs são uma alternativa para investir em um setor tão específico quanto o financeiro e assim captar sua evolução futura. Vale a pena ressaltar que o setor financeiro é amplo. É composto por bancos, companhias de seguros gerais, de vida, de ...