Como Investir em Derivativos Financeiros: Guia Completo para Investidores Brasileiros

Você está investindo há algum tempo e quer se aventurar no universo dos derivados. Talvez você tenha ouvido ou lido por aí que usando instrumentos derivados é possível aumentar a rentabilidade de seus investimentos e que é muito mais fácil encontrar alternativas para gerar lucros.

Os dois pontos anteriores são verdadeiros, mas talvez o que não lhe foi contado é que quando você usa derivados para investir, amplifica o risco. Como você já sabe, para aumentar a rentabilidade, é impossível fazê-lo mantendo o mesmo nível de risco, a menos que seu investimento atual não esteja otimizado. Com a mesma quantidade de risco, os investidores procurarão os investimentos mais rentáveis. Não há justificativa para assumir mais risco se você não puder ganhar mais.

Os investimentos com derivados são arriscados porque envolvem alavancagem que aumenta a variação dos resultados de seu investimento. Você pode ganhar mais, mas também pode perder mais.

Como posso começar a investir em derivados financeiros?

Começar a investir em derivados é muito fácil, mas antes disso, o mínimo que recomendamos é que você termine de ler isso para que possa estar bem informado sobre como fazê-lo e quais são os riscos aos quais você se enfrentará.

Não é meu objetivo explicar a imensa quantidade de derivados financeiros que existem, mas de forma geral você deve saber que o nome derivado é originado, a partir dos instrumentos financeiros tradicionais, do qual é criado um novo ativo financeiro cujo valor deriva do preço de outro instrumento financeiro.

Ao ativo relacionado ao derivado é conhecido como ativo subjacente. Por exemplo, existem CFDs, que são contratos, classificados dentro do universo de instrumentos derivados. Esse acrônimo é do inglês “Contract for Difference”, em português Contrato por Diferença, no qual os investidores podem comprar ou vender uma determinada quantidade que representa outro ativo e gerar lucros ou perdas pela diferença entre o preço de compra e de venda.

O CFD mais negociado no mundo é exatamente o das moedas mais usadas no mundo. Refiro-me ao dólar americano e ao euro. Desta forma, pode comprar euros com dólares ou vice-versa diretamente numa casa de câmbio ou num banco, mas também pode fazê-lo através de um CFD de EUR/USD. Em vez de comprar diretamente dólares com euros, comprará um contrato que representa o mesmo. Desta forma, poderá expor-se, conforme desejar, ao risco de ter dólares ou ter euros e gerar um lucro se subirem ou uma perda se baixarem. A grande diferença é que os CFDs de EUR/USD têm alavancagens que podem facilmente chegar a 1:200 (um para duzentas vezes!) e essa é uma das chaves com que quero que fiques como ideia central deste artigo.


Isso significa que com USD 5.000 pode tomar uma posição de USD 1.000.000 e, diante de uma variação de apenas 0,5%, poderá ganhar USD 1.000.000 * 0.005 = USD 5.000. Ou seja, poderá conseguir um lucro de 100% e duplicar o seu capital inicialmente investido. Agora já compreenderá porque os derivados são tão populares em todas as redes sociais.

Como posso saber se a investimento em derivados financeiros é adequado para mim?

O exemplo anterior pode soar muito bem, até que você descobre que da mesma forma que ganha, pode perder todo o capital se o mercado se mover na mesma magnitude no sentido contrário; USD 1.000.000 * -0.005 = USD -5.000. A possibilidade de gerar grandes rentabilidades é exatamente o que atrai alguns e a possibilidade de perder é o que assusta outros. Tudo depende do perfil e da situação financeira de cada investidor.

O primeiro requisito, então, é conhecer-se bem. Entender se você é uma pessoa capaz de resistir a estar em um momento perdendo dinheiro sem tomar más decisões em relação a isso. Se você se estressa facilmente diante dessas situações, provavelmente usar derivados em suas investimentos não seja uma boa ideia.

Para saber se você está qualificado para operar com instrumentos financeiros, deve entender que, sendo investimentos arriscados, não pode destinar uma porcentagem relevante do seu patrimônio pessoal a isso. Minha recomendação para os iniciantes sempre foi não arriscar mais de 1% dos seus ahorros que tanto lhe custaram gerar. Depois, à medida que você for aprendendo, poderá destinar mais.

Portanto, o segundo requisito é ter ahorros que possa usar para investimentos de alto risco, entendendo que perder o seu capital não significará que caia numa situação financeira que possa afetar a sua vida ou a da sua família.

Se você não tem muitas economias e o percentual que você tem que investir é uma parte considerável delas, o melhor é esperar e continuar praticando com algumas das plataformas mais recomendadas para operar com derivados. Nunca peça emprestado dinheiro para tentar rentabilizá-lo com derivados financeiros. É sabido que essas histórias terminam com mais probabilidade de serem más histórias do que aquelas que terminam com rentabilidades suculentas.

Por que a investimento em derivados financeiros pode ser arriscado?

Os investimentos em derivados, então, têm os mesmos riscos que os investimentos em outros ativos financeiros, mas o risco é amplificado pelo alavancagem e também porque os instrumentos derivados costumam ter um grau de sofisticação maior, podendo existir muitas coisas que o investidor que não tem estudos profundos do sistema financeiro e seus instrumentos possa cometer erros importantes por falta de conhecimento ou experiência.

Entre os riscos mais conhecidos, além da complexidade e da alavancagem associadas aos derivados financeiros, há outros riscos importantes que você deve ter em conta, como o risco de mercado, já que o preço do ativo subjacente pode flutuar rapidamente e de forma imprevisível. A volatilidade também pode ser um risco importante, especialmente para instrumentos derivados negociados com muita alavancagem.

Em alguns derivados financeiros que são muito desconhecidos, pode existir risco de liquidez, ou seja, a dificuldade de encontrar compradores ou vendedores para fechar sua posição. Por fim, você sempre deve considerar o risco de câmbio, pois normalmente as plataformas de negociação que lhe dão acesso fácil aos instrumentos derivados são negociadas em dólares americanos, e, portanto, você pode, sem se dar conta, especular com a taxa de câmbio e gerar perdas que não estavam previstas, portanto, a recomendação sempre é cobrir a exposição às moedas diferentes da sua, a menos que seja uma decisão deliberada.

Em resumo, os riscos associados aos instrumentos derivados podem ser de diversos tipos e alguns muito significativos. Como investidor, você deve compreender totalmente esses riscos antes de usar estratégias de investimento que tirem proveito dos derivados financeiros.

Como posso minimizar o risco ao investir em derivados financeiros?

Existem várias formas de minimizar o risco ou, como os administradores financeiros geralmente preferem dizer, gerenciá-lo, pois existem alguns momentos em que não se trata de minimizar o risco, mas sim de nos expormos de forma consciente ao tipo de risco que estamos correndo.

Geralmente, o melhor é limitar o risco usando stop loss que permitam projetar uma estratégia de investimento com cenários de perdas previsíveis. Muitas vezes, isso não é tão fácil de conseguir. Especialmente quando falamos de transações alavancadas que serão mantidas por mais de um dia. Isso inevitavelmente nos exporá a “saltos” que o mercado pode dar em períodos em que os mercados organizados estão fechados. Isso faz com que o risco assumido seja um pouco maior, pois existe a possibilidade de que nossas perdas, que supostamente estão limitadas, sejam maiores se ocorrer um salto de preços que impeça a realização da transação contrária para fechar uma posição em um instrumento financeiro derivado.

Quais são as alternativas ao investimento em derivativos financeiros se eu não quiser assumir tanto risco?

É verdade que existem alternativas ao uso de derivativos financeiros, mas você pode precisar de mais capital para realizá-las. O mais fácil será:

  1. Acessar o ativo subjacente que lhe interessa de forma direta ou através de um instrumento derivado que não tenha alavancagem. Por exemplo, se você quiser comprar ouro, procure o commodity que não está alavancado.
  2. Usar o instrumento alavancado, mas reduzir o montante nominal exposto. Se você quiser especular com a taxa de câmbio euro-dólar, não exponha um montante muito alto em sua transação para que o efeito de alavancagem não altere demais seu resultado.

Além de acessar o ativo subjacente de forma direta, existem outras alternativas de investimento que podem ser menos arriscadas do que os derivativos financeiros. Algumas opções podem incluir:

  • Investimento em índices de bolsas: Esta é minha recomendação favorita, pois existe uma diversificação natural ao escolher um índice de bolsa. Mesmo assim, não se deve confiar, pois alguns índices podem estar mais expostos a determinadas indústrias. Por exemplo, o IBEX 35 tem mais componentes de bancos e serviços financeiros ou o Nasdaq 100 é composto principalmente por empresas de tecnologia e crescimento.
  • Investimento em fundos de investimento: Os fundos de investimento permitem que os investidores diversifiquem seus investimentos em uma ampla variedade de ativos sem a necessidade de tomar decisões individuais sobre cada investimento.
  • Investimento em títulos: Os títulos são instrumentos de dívida que oferecem uma renda fixa e um pagamento garantido. Eles são frequentemente considerados menos arriscados do que os instrumentos de investimento em ações, portanto, você pode procurar em sua plataforma de investimento algum instrumento derivado de títulos e escolher os de menor prazo, pois são os que têm menos volatilidade de preço.
  • Investimento em imóveis: O investimento em imóveis pode ser uma boa opção para aqueles investidores que procuram um investimento de longo prazo com risco relativamente baixo.
  • Depósitos a prazo: Os depósitos a prazo são uma opção de investimento segura e de baixo risco que oferecem uma taxa de juros fixa em troca do depósito de uma quantia de dinheiro em um banco por um período de tempo específico. Esta é a opção mais segura, mas também a que pode ter menor rentabilidade ao longo do tempo.

Quais são os melhores momentos para investir em derivativos financeiros?

Você está se fazendo essa pergunta, pensando que, se você não se apressar, pode perder grandes oportunidades. A verdade é que, em termos amplos, sempre será um bom momento para usar derivativos, pois, como explicamos aqui, o que esses instrumentos fazem é facilitar o acesso à exposição ao risco, através de alavancagem, aumentando a possibilidade de ganhar ou perder. Portanto, com conhecimento e uma boa estratégia, é possível usá-los sempre.

Em termos mais específicos, os melhores momentos para usar derivativos são quando o dinheiro está mais barato, ou seja, quando as taxas de juros são baixas e a quantidade de dinheiro está em expansão. A razão disso é que nada é gratuito na vida, e no caso dos derivativos, conseguir a alavancagem também não é.

No nosso exercício anterior, se você só tinha US $ 5.000, como é possível comprar 200 vezes essa quantia de US $ 1.000.000? Claro! A única forma é através de um empréstimo, que nos instrumentos derivados ocorre automaticamente quando você compra ou vende um instrumento. Sobre o montante que você está comprando ou vendendo de forma alavancada, é aplicada uma taxa de juros, conhecida como swap. Os pontos swaps de juros serão calculados sobre o montante nominal e, dependendo de sua posição, às vezes podem jogar a seu favor ou contra. Ou seja, diariamente você pode estar pagando ou recebendo juros por manter uma determinada posição.

Como posso monitorar meus investimentos em derivativos financeiros?

Monitorar suas posições é parte importante da gestão ativa que você deve ter de seus investimentos quando estiver usando derivativos financeiros, mas também é importante lembrar que estar constantemente atento aos resultados de seus investimentos pode ter um efeito negativo em seu bem-estar emocional. Pode aumentar o estresse e a ansiedade, e em casos extremos, pode levar à tomada de decisões impulsivas e pouco informadas.

Portanto, é importante estabelecer um equilíbrio entre monitorar seus investimentos em derivativos financeiros e manter uma perspectiva de longo prazo. Aqui estão algumas formas de monitorar efetivamente seus investimentos em derivativos financeiros:

Use ferramentas de rastreamento de investimentos: Existem vários aplicativos e ferramentas on-line que permitem monitorar seus investimentos em tempo real e todos os corretores que frequentemente recomendamos têm aplicativos para seu smartphone para ter na palma da sua mão seus investimentos. Essas ferramentas ajudarão você a manter um registro de suas posições e a acompanhar as mudanças nos preços dos ativos subjacentes.

Estabeleça limites e objetivos: Antes de investir em derivativos financeiros, é importante estabelecer limites de perda e lucro. Estabelecer esses limites ajudará você a tomar decisões informadas e a evitar tomar decisões impulsivas baseadas nas flutuações do mercado.

Mantenha uma perspectiva de longo prazo: Os derivativos financeiros podem ser instrumentos de investimento de curto prazo, mas também podem ser ferramentas úteis para investimentos de longo prazo. Manter uma perspectiva de longo prazo ajudará você a evitar a tentação de tomar decisões impulsivas baseadas nas flutuações de curto prazo do mercado.

Monitorar suas investimentos sempre é importante e quando você está usando derivados financeiros é ainda mais importante, mas é igualmente importante manter uma perspectiva de longo prazo e não se deixar levar pelas flutuações de curto prazo do mercado.

É possível investir em derivados financeiros sem um corretor ou intermediário?

A investimento em derivados financeiros é uma ferramenta poderosa que pode oferecer aos investidores muita flexibilidade e diversificação. No entanto, para acessar esse tipo de produto, é necessário trabalhar com um corretor ou corretor que cumpra os rigorosos padrões regulatórios que regem o mercado.

Nesse sentido, o papel do corretor é fundamental, pois atua como intermediário entre o investidor e o mercado de derivativos. Como tal, está sujeito a um rigoroso regime legal que exige que ele cumpra uma série de requisitos para garantir que os participantes do mercado tenham as informações e os conhecimentos necessários para tomar decisões informadas.

Antes de permitir que os investidores façam depósitos e comecem a negociar em derivados financeiros, os intermediários realizam um processo de validação de dados pessoais e aplicam questionários que lhes permitem avaliar o perfil do investidor. Dessa forma, eles podem garantir que os investidores tenham a capacidade e os conhecimentos necessários para operar nesse mercado complexo e de alto risco.

Certifique-se de escolher um intermediário confiável e regulamentado que possa fornecer acesso ao mercado de instrumentos derivados de forma segura e transparente.

Quais são os fatores que influenciam o preço dos derivados financeiros?

Os principais fatores que influenciam o preço dos derivados financeiros são múltiplos, mas os mais relevantes são:

  • Preço do ativo subjacente: Se o preço do ativo subjacente subir, o preço do derivado financeiro também subirá e vice-versa.
  • Volatilidade: Se houver muita variação no preço do ativo subjacente, o preço do derivado financeiro tenderá a replicar a volatilidade, podendo até ampliá-la devido ao alavancamento. Além disso, lembre-se de que à medida que se aproxima a data de vencimento de um derivado, o preço do derivado financeiro pode mudar mais rapidamente.
  • Taxa de juros: Se as taxas de juros subirem, o preço do derivado financeiro pode subir ou descer, dependendo do tipo de contrato. Lembre-se de que sempre que houver alavancagem há um juro relacionado, juntamente com o conceito de que taxas mais altas implicam contração monetária que impacta de forma negativa nos preços de todos os ativos da economia, incluindo os ativos subjacentes dos instrumentos derivados.
  • Expectativas do mercado: Se os investidores esperam que o preço do ativo subjacente suba no futuro, o preço do derivado financeiro também pode subir.

Quais são os principais erros cometidos por investidores iniciantes em derivados financeiros?

Quando as pessoas com pouco conhecimento e pouca ou nenhuma experiência em mercados financeiros começam a investir em derivados, podem cometer vários erros comuns. Esses erros incluem não entender completamente como os derivados financeiros funcionam, usar alavancagem excessiva, não ter uma estratégia adequada de gerenciamento de riscos, tomar decisões baseadas em boatos ou notícias, não ter um plano de investimento claro e não contar com um consultor financeiro experiente. Esses erros podem levar a perdas significativas de dinheiro e, portanto, é importante educar-se adequadamente antes de começar a operar nos mercados de derivados financeiros.

No dinâmico mundo das finanças, a investimento em instrumentos derivados pode parecer intimidante para os investidores iniciantes. No entanto, é importante lembrar que o sucesso neste mercado requer não apenas conhecimentos sólidos e experiência, mas também uma atitude curiosa e disposição para aprender com a experiência e erros de outras pessoas.

Embora o uso de instrumentos derivados possa ser perigoso sem a devida preparação e compreensão, a exploração consciente e responsável desses instrumentos pode ser altamente gratificante. Para isso, é fundamental que os investidores fiquem atentos às ferramentas e recursos disponíveis e os usem para desenvolver sua capacidade de análise e gerenciamento de riscos.

Neste sentido, convidamos os investidores e traders a continuarem a desenvolver-se e a aproveitarem todas as oportunidades que o mercado de instrumentos derivados tem para oferecer. Com uma abordagem disciplinada e uma atitude proativa, poderão navegar com sucesso num mercado altamente competitivo e rentável.

Tickmill

8/ 10

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Execução rápida sem recotações, todas as estratégias de negociação permitidas.

Spreads desde 0.0 pips

Regulado por la FSA

*Tickmill não é regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no Brasil. Não realizamos nenhuma atividade de marketing ativo nem oferta pública de valores para residentes no Brasil.

Depósito minimo:

R$508.39

Artigos Relacionados

O que é Teoria de DOW na análise técnica
A análise técnica é uma ferramenta essencial para os investidores que buscam obter vantaegens no mercado financeiro. Ela consiste em estudar os padrões de comportamento dos preços dos ativos, utilizando gráficos, indicadores e outras ferramentas m...