O que São Derivativos Financeiros?

As operações de derivados tornaram-se cada vez mais populares no mundo devido às vantagens que este tipo de ativo oferece em comparação com os mercados à vista.

O que é um derivado?

Um derivado é um ativo bursátil baseado em um contrato cujo valor depende ou ‘deriva’ do valor de um ativo subjacente, daí o seu nome.

Nas operações de derivados, estabelece-se o direito ou a obrigação de compra-venda de um ativo em um momento futuro e sob condições pré-estabelecidas.

O que é um subjacente?

São ativos negociados em bolsa de alta negociação sobre os quais são estabelecidos os contratos de derivados.

Entre esses ativos subjacentes, podemos mencionar:

  • ações
  • títulos
  • moedas
  • taxas de juros
  • índices bursáteis
  • matérias-primas

Como são realizadas as operações de derivados?

Geralmente, os derivados são ativos que são negociados com alavancagem.

Ou seja, para realizar uma operação, você só precisa colocar uma fração do montante total envolvido, chamada margem inicial ou garantia, que varia de acordo com o ativo e as condições definidas pelos intermediários financeiros.

Em virtude da alavancagem, as operações de derivados estão associadas a um alto nível de risco, pois, embora as potenciais ganhos sejam multiplicados pelo nível de alavancagem, as possíveis perdas também o são.

Por outro lado, para manter uma operação aberta, devemos sempre manter um margem mínima de capital. Portanto, qualquer movimento adverso do preço de um ativo pode nos obrigar a repor a margem inicial ou, caso contrário, nossa operação pode ser fechada automaticamente.

Quais são os tipos de derivados?

Entre os tipos de derivados que, em geral, podemos encontrar nos mercados bursáteis, podemos mencionar basicamente 4:

Contratos de Futuros

Estabelece a obrigação entre duas partes para realizar uma transação de compra e venda em relação a um ativo, a um preço pré-determinado e em uma data futura específica.

Existem futuros sobre quase qualquer ativo e é a referência principal de muitos preços de matérias-primas que são mencionados nos meios de comunicação, como: petróleo, gás natural ou trigo.

Contrato de Opção

Estabelece o direito, mas não a obrigação, de realizar a compra (venda) de um ativo, a um preço pré-determinado e em uma data futura específica. O comprador do contrato de opção deve pagar uma taxa à outra parte, que é chamada de preço da opção.

Futuros e opções são baseados em um contrato padrão que é negociado e liquidado através de mercados organizados, tornando-os muito líquidos.

Forward ou contratos a prazo

É muito similar a um contrato futuro, mas com a diferença fundamental de que não se baseia em um contrato padrão, nem é negociado ou liquidado através de um mercado organizado.

As partes negociam diretamente os termos do contrato. É considerado um instrumento de balcão ou OTC (‘Over The Counter’).

CFD ou Contrato por Diferença

Estabelece a obrigação de trocar a diferença entre o preço de compra e o preço de venda de um ativo subjacente. Neste caso, as operações são imediatas e nunca se chega a possuir o ativo subjacente.

Por essas razões, os CFDs são considerados derivativos de natureza especulativa.

Quem investe em derivativos?

As operações de derivativos estão associadas à especulação, mas também servem outro propósito muito importante: a cobertura de risco diante de possíveis variações do preço de um ativo.

Portanto, neste mercado não só operam os especuladores, mas também aqueles que querem garantir o preço futuro de um ativo ou mercadoria e os cobertores de risco.

Se você quiser saber como investir em derivativos, consulte nosso artigo: Como Investir em Derivativos Financeiros

O que são derivativos padronizados e não padronizados?

Os contratos de derivativos padronizados são aqueles em que no contrato anteriormente são estabelecidas condições que são iguais ou semelhantes em todos os contratos negociados nos mercados de derivativos.

Os seguintes parâmetros são padronizados:

  • Datas de vencimento
  • Quantidade do contrato
  • Variação máxima
  • Garantias necessárias

Esses parâmetros são definidos pelos mercados de derivativos.

São considerados derivativos padronizados: futuros, opções, CFDs, warrants, certificados.

Contratos não padronizados

São contratos negociados fora das bolsas habituais. É realizada entre as partes as quais pactuam todas as características do contrato e apenas os vinculam entre si.

A negociação é liderada por corretores ou grandes bancos especializados em dar contrapartida e geralmente só podem ser adquiridos por institucionais ou empresas.

São considerados derivativos não padronizados: Forwards, swaps

Quais são as vantagens de investir em derivativos?

Os mercados de derivativos oferecem pelo menos 3 vantagens em relação aos mercados à vista para o mesmo tipo de ativo:

1.- Menor custo de transação.

2.- Maior velocidade para concluir as transações.

3.- Maior liquidez para operar.

4- Possibilidade para produtores, exportadores de cobrir riscos.

Tickmill

8/ 10

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Execução rápida sem recotações, todas as estratégias de negociação permitidas.

Spreads desde 0.0 pips

Regulado por la FSA

*Tickmill não é regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no Brasil. Não realizamos nenhuma atividade de marketing ativo nem oferta pública de valores para residentes no Brasil.

Depósito minimo:

R$508.39

Artigos Relacionados

Melhores Cursos de Trading no Brasil
Atualmente, a popularização dos investimentos tem impulsionado uma crescente busca por conhecimento no mundo do trading. Investidores de todos os níveis estão percebendo a importância de uma formação especializada e sólida para tomar decisões m...