O que são contratos inteligentes? (Smart contracts)

Os contratos inteligentes, são uma das aplicações mais proeminentes da tecnologia blockchain. Em essência, um contrato inteligente é um programa de computador executado automaticamente quando certas condições predefinidas são atendidas.

Estes contratos destinam-se a facilitar, verificar ou fazer cumprir a negociação ou execução de um acordo, sem a necessidade de intermediários.

Imagine um contrato tradicional em papel que estabeleça os termos de um acordo entre duas partes.

Os contratos inteligentes são semelhantes, mas em vez de contar com um advogado ou entidade central para garantir a conformidade, eles usam algorítmos e a infraestrutura descentralizada do blockchain . Isso garante a transparência, segurança e confiabilidade das operações.

No blockchain, os contratos inteligentes são imutáveis, o que significa que, uma vez criados e implementados, não podem ser alterados ou modificados por nenhuma das partes envolvidas. Além disso, por estarem armazenados em uma rede descentralizada e distribuída, não dependem de uma entidade central, o que os torna resistentes à censura e a possíveis ataques maliciosos.

O que são contratos inteligentes?

Os contratos inteligentes são pedaços de código executável alojados numa rede blockchain que permitem a automatização e o cumprimento de acordos sem a intervenção de intermediários. Esses contratos são escritos em linguagens de programação específicas, como Solidity, Python, Vyper, entre outras.

Para entender melhor como funcionam os contratos inteligentes, é importante conhecer sua estrutura básica. Em primeiro lugar, um contrato inteligente contém as condições e termos do acordo , como a data de vencimento, as ações a serem executadas ou as partes envolvidas. Esses termos são definidos de forma clara e precisa para evitar ambigüidades e mal-entendidos.

Uma vez implementado um contrato inteligente na blockchain, ele se torna imutável. Isso significa que os termos e condições não podem ser alterados, nem mesmo pelo criador do contrato, pois existem cópias distribuídas em milhares de nós. Isto proporciona segurança e garante que nenhuma das partes possa alterar as regras do acordo depois de este estar em vigor.

Como funcionam os contratos inteligentes?

A operação de um contrato inteligente é baseada no “se-então”. Ou seja, atendidas as condições pré-estabelecidas, é acionada automaticamente a execução automática das ações pactuadas .

Por exemplo, se duas pessoas concordarem em trocar criptomoedas por mercadorias, o contrato inteligente verificará se ambas as partes cumpriram as respectivas condições (como confirmação de pagamento e entrega da mercadoria). Se tudo for cumprido conforme indicado, o contrato é executado e a transação é concluída sem problemas.

 contrato inteligente do Aave v3

É assim que se parece o contrato inteligente do Aave v3, um dos principais protocolos de finanças descentralizadas .

Os contratos inteligentes não são usados apenas para transações financeiras , mas também têm aplicações em diversos setores, como monitoramento da cadeia de suprimentos, votação eletrônica, seguros e muito mais. A sua capacidade de automatizar tarefas complexas e eliminar intermediários ineficientes torna-os numa ferramenta poderosa e revolucionária no mundo digital.

Um resumo das etapas pelas quais os contratos inteligentes funcionam seria o seguinte:

  • Criação do contrato.
  • Implantação no blockchain.
  • Verificação das condições quando uma das partes envolvidas no contrato deseja executá-lo.
  • Execução automática se as condições acordadas forem cumpridas.
  • Imutabilidade e transparência após execução no blockchain, pois fica registrado para sempre.
  • Finalização do contrato.

Diferenças com contratos tradicionais

Os contratos inteligentes oferecem um nível sem precedentes de automação e confiabilidade na execução de contratos online. A sua capacidade de eliminar intermediários e garantir a integridade das transações levou a um crescimento significativo da sua utilização em diversas áreas, transformando a forma como as operações e os contratos são realizados na era digital.

Por sua vez, os contratos inteligentes apresentam diferenças fundamentais em comparação com os contratos tradicionais em papel. O primeiro tem a ver com intermediários.

Nos contratos tradicionais, normalmente há intermediários envolvidos, como advogados ou notários, que fiscalizam e garantem o cumprimento do acordo. Em contrapartida, os contratos inteligentes operam no blockchain sem a necessidade de intermediários , o que reduz custos e tempo, ao mesmo tempo que evita potenciais conflitos de interesse.

Por outro lado, um dos aspectos mais distintivos dos contratos inteligentes é a sua capacidade de execução automática. Cumpridas as condições pré-estabelecidas, o contrato é executado sem intervenção humana . Já nos contratos tradicionais, é necessária a participação ativa de todas as partes para o cumprimento das cláusulas do acordo.

exemplo

Fonte : Uniswap https://app.uniswap.org/#/swap

Exchanges descentralizadas como a Uniswap baseiam sua operação em contratos inteligentes.

Além disso, a imutabilidade é digna de nota, conforme descrito acima. Embora os contratos inteligentes não possam ser modificados ou alterados, os contratos tradicionais são suscetíveis a novas alterações ou negociações , o que pode levar a disputas jurídicas ou mal-entendidos.

O ponto anterior está intimamente relacionado com transparência e segurança. A natureza transparente do blockchain permite que todas as partes interessadas tenham acesso a informações contratuais relevantes , o que melhora a confiança entre elas. Além disso, a segurança criptográfica do blockchain garante que os dados e transações relacionadas ao contrato inteligente estejam protegidos contra possíveis manipulações ou fraudes.

Por fim, pode-se dizer que os contratos inteligentes são mais baratos e mais eficientes , graças à automação e à eliminação de intermediários.

Exemplos de uso de Contratos Inteligentes

Até aqui tudo parece muito teórico, como tantas outras tecnologias que prometem mudar o mundo mas raramente as vemos integradas na vida quotidiana.

No entanto, os contratos inteligentes estão começando a ser cada vez mais utilizados em diferentes indústrias e negócios. A seguir, revisaremos alguns deles.

  •  Contratos de venda de bens e serviços

Os contratos inteligentes são especialmente úteis em contratos de venda de bens e serviços, devido à sua capacidade de automatizar e garantir o cumprimento das condições acordadas entre compradores e vendedores.

Em primeiro lugar, num contrato de venda de bens e serviços baseado num contrato inteligente, o processo de compra e pagamento é totalmente automatizado . Quando um comprador está interessado em adquirir um bem ou serviço, tanto o comprador quanto o vendedor concordam com os termos e condições do contrato inteligente, incluindo detalhes como preço, quantidade e quaisquer outras especificações relevantes.

Assim que o comprador envia o pagamento, o contrato inteligente verifica automaticamente se os fundos estão disponíveis e se estão reunidas as condições necessárias para prosseguir com a transação. Se tudo estiver em ordem, o contrato é executado instantaneamente e a propriedade do bem ou serviço é transferida para o comprador . Isto elimina a necessidade de intermediários, como processadores de pagamentos ou instituições financeiras, agiliza o processo e reduz custos.

Os contratos inteligentes também podem incluir cláusulas relacionadas a garantias e devoluções de mercadorias. Por exemplo, se um bem entregue não atender às especificações acordadas ou apresentar defeito, o contrato inteligente pode estabelecer um período de tempo durante o qual o comprador pode solicitar uma devolução ou reparo.

Quando o comprador notifica o contrato sobre o problema dentro do prazo estipulado, o contrato ativa automaticamente o processo de devolução e prossegue para reembolsar o comprador ou providenciar o reparo. Isso proporciona segurança e confiança tanto ao comprador quanto ao vendedor, uma vez que as condições são claramente definidas e executadas de forma automática.

Por fim, o contrato inteligente pode atuar como custódia e oferecer proteção a ambas as partes . Nesse caso, quando uma transação é acordada, o contrato inteligente retém os fundos do comprador até que determinadas condições sejam atendidas, como a entrega do bem ou a prestação do serviço. Assim que o comprador verificar se tudo está em ordem, o contrato libera os recursos para o vendedor.

  • Contratos de locação

Os contratos inteligentes também encontraram aplicações significativas em contratos de leasing. Neste domínio, eles fornecem uma solução inovadora e confiável para fazer cumprir contratos de aluguel.

Esses contratos podem incorporar cláusulas que garantam o cumprimento das regras e regulamentos locais ou quaisquer outras restrições legais relacionadas ao arrendamento. Por exemplo, poderiam ser estabelecidas regras claras relativamente à utilização da propriedade, ao número máximo de ocupantes ou à proibição de determinadas atividades.

Ao integrar estas cláusulas no contrato inteligente, garante-se que ambas as partes estejam informadas e cumpram os regulamentos, reduzindo o risco de conflitos jurídicos.

Um dos aspectos mais importantes dos contratos de arrendamento é o pagamento periódico do aluguel . Através da utilização de contratos inteligentes, este processo pode ser automatizado, garantindo que o inquilino efetue os pagamentos dentro do prazo e que o proprietário receba os fundos sem atrasos. Isto, claro, desde que os fundos da pessoa que deve pagar estejam disponíveis.

Por outro lado, um contrato inteligente tem a capacidade de gerir depósitos de segurança que normalmente são solicitados como garantia em caso de imprevistos. Neste caso, o contrato inteligente reterá a caução e definirá as condições em que esta será devolvida ao locatário no final do arrendamento. Caso não haja danos ou descumprimentos, o contrato liberará automaticamente o depósito na data acordada, evitando disputas e mal-entendidos.

Em última análise, o contrato inteligente pode auxiliar no processo de renovação ou rescisão do arrendamento . Antes que chegue a data de vencimento, o contrato inteligente pode enviar notificações push para ambas as partes, lembrando-as do prazo para tomar uma decisão.

Se ambas as partes concordarem em renovar o contrato, os termos e condições do contrato inteligente poderão ser ajustados e o contrato será automaticamente prorrogado. Caso alguma das partes decida não renovar, o contrato pode programar o término do acordo na data definida, garantindo uma transição tranquila.

  • Contratos de seguro

Os contratos inteligentes também podem desempenhar o seu papel na indústria de seguros. Primeiro, automatizando o processo de sinistros. Quando ocorre um evento coberto pelo seguro, como acidente ou sinistro, o contrato inteligente verifica automaticamente se as condições de indenização foram atendidas de acordo com os termos do contrato.

Por exemplo, no seguro automóvel, se uma reclamação for apresentada devido a um acidente, o contrato inteligente pode verificar automaticamente a validade da reclamação utilizando dados de sensores GPS ou telemática para determinar se o segurado estava no local do acidente. Caso se confirme que o segurado cumpriu as condições estabelecidas, o contrato inteligente inicia o processo de pagamento da indemnização sem atrasos ou intervenção humana.

Da mesma forma, os contratos inteligentes podem ajudar a prevenir a fraude no sector dos seguros. Baseados na tecnologia blockchain, os contratos inteligentes oferecem rastreabilidade transparente e imutabilidade dos dados . Isso significa que todas as informações relacionadas ao contrato de seguro e aos sinistros ficam registradas no blockchain e não podem ser alteradas.

Por outro lado, as apólices de seguro podem ser customizadas por meio de contratos inteligentes. Isto implica adaptar o contrato às necessidades específicas de cada segurado. Por exemplo, no seguro viagem, o custo do seguro pode ser calculado com base na duração e no destino da viagem.

Outros exemplos

Os contratos inteligentes têm uma ampla gama de aplicações, além dos casos de uso mencionados acima. Os exemplos que desenvolveremos a seguir ilustram a versatilidade e o potencial disruptivo dos contratos inteligentes numa ampla gama de indústrias.

1. Votação eletrônica: Podem ser utilizados em sistemas de votação eletrônica para garantir a integridade e transparência das eleições por meio do registro dos votos no blockchain. Assim, evita-se a manipulação de resultados e os eleitores podem verificar seus votos de forma segura. Além disso, os contratos inteligentes podem contar votos automaticamente e declarar resultados assim que a data de encerramento da votação for atingida.

2. Gestão da cadeia de abastecimento: Nesta área, contratos inteligentes podem ser utilizados para rastrear e verificar cada etapa do processo de produção e distribuição.

3. Gestão de direitos autorais e propriedade intelectual: Usando contratos inteligentes, os criadores de conteúdo podem estabelecer condições específicas de licenciamento. O contrato é responsável por garantir que estas condições sejam cumpridas antes de permitir o acesso ou utilização do conteúdo.

4. Tokenização de ativos: os contratos inteligentes são essenciais para a criação de tokens e ativos digitais no mundo das criptomoedas e das finanças descentralizadas (DeFi). A tokenização permite que ativos físicos ou digitais, como imóveis, obras de arte ou ações de empresas, sejam representados no blockchain. Isto facilita a compra, venda e negociação desses ativos de forma mais acessível e global.

5. Serviços financeiros e empréstimos: No setor financeiro, os contratos inteligentes permitem o desenvolvimento de aplicações DeFi. Estes contratos inteligentes abrem a porta para serviços financeiros descentralizados, como empréstimos, bolsas e criação de mercado, sem a necessidade de intermediários tradicionais.

6. Jogos e entretenimento: Na indústria de jogos e entretenimento, contratos inteligentes podem ser usados para criar jogos baseados em blockchain com recursos exclusivos e transparentes. Esses jogos podem oferecer ativos digitais e recompensas que os jogadores podem negociar ou vender.

Vantagens dos contratos inteligentes

Se você leu até aqui, já conhece as principais vantagens dos contratos inteligentes: eles funcionam de forma automática, são mais baratos que os processos tradicionais, oferecem segurança e transparência e são eficientes em sua operação, desde que bem executados, projetado e programado.

Nos parágrafos seguintes, nos aprofundaremos um pouco mais em cada um desses aspectos.

Automação do processo

Uma das principais vantagens dos contratos inteligentes é a automação de processos. Esses contratos agilizam e simplificam a execução dos contratos, resultando em maior eficiência e rapidez nas transações.

A automação também reduz a possibilidade de erro humano e minimiza os custos associados ao gerenciamento e monitoramento de contratos. Além disso, por serem programados com lógica pré-definida, os contratos inteligentes garantem o cumprimento rigoroso das condições estabelecidas. O resultado é maior confiança e segurança no processo de negócios.

Redução de custos

Outra vantagem importante dos contratos inteligentes é a redução significativa de custos em comparação com os métodos tradicionais de gestão de contratos. Essa redução de custos está baseada em dois pilares: automatizar processos e eliminar intermediários.

Além disso, ao serem executados em blockchain, os contratos inteligentes eliminam a necessidade de infraestrutura cara de terceiros. Com isso, otimizam ainda mais os recursos financeiros e melhoram a rentabilidade das empresas.

Globalmente, podemos dizer que a diminuição dos custos através de contratos inteligentes foi uma força motriz na adopção em massa desta tecnologia em muitos sectores e aplicações.

Maior segurança e transparência

Por serem baseados na tecnologia blockchain, os contratos inteligentes são armazenados de forma descentralizada e distribuída em uma rede de nós. Portanto, são praticamente inalteráveis e resistentes à manipulação. Essa qualidade proporciona maior proteção contra fraudes e alterações não autorizadas nos termos do contrato , o que aumenta a confiança entre as partes envolvidas na transação.

Esta transparência inerente ao blockchain permite que todas as partes interessadas acessem informações contratuais relevantes em tempo real . Além disso, cada ação realizada no contrato inteligente fica registrada e permanentemente visível no blockchain, o que facilita a auditoria e revisão de todas as operações.

Maior eficiência

Pelas características mencionadas nos pontos anteriores, os contratos inteligentes agilizam e simplificam o fluxo de trabalho dos usuários. Por sua vez, isto resulta em tempos e custos muito mais baixos; isto é, numa otimização de recursos muito importante.

A execução automática de contratos com base em lógica programada garante que as ações acordadas sejam realizadas de forma precisa e atempada , sem atrasos, erros ou qualquer outro “vício” que possa implicar intervenção humana.

Os contratos inteligentes também aumentam a eficiência de uma empresa, oferecendo outros benefícios. Por exemplo, por representarem uma plataforma segura e confiável para registar e verificar todas as operações em tempo real, permitem que todas as partes envolvidas tenham acesso à mesma informação atualizada.

Além disso, as empresas que utilizam contratos inteligentes para oferecer seus serviços conseguem proporcionar uma experiência mais tranquila e rápida aos usuários , aumentando assim a satisfação dos clientes e a competitividade das empresas.

Plataformas de Contratos Inteligentes

Os contratos inteligentes são originários do Ethereum. Esta rede, criada em 2015 por Vitalik Buterin e outros desenvolvedores proeminentes, tem como principal objetivo ser programável para dar origem a aplicações descentralizadas alimentadas por contratos inteligentes.

Porém, com o passar dos anos surgiram outras redes, como EOS, Tron, Polygon e BNB Chain, que também utilizam essa tecnologia para permitir transações em suas aplicações.

Ethereum

Ethereum é uma das redes mais utilizadas para a implementação de contratos inteligentes. Como mencionamos, foi pioneiro em possibilitar a utilização de contratos inteligentes e assim deu origem à criação de aplicações descentralizadas e dos famosos protocolos de finanças descentralizadas (DeFi).

Os contratos inteligentes no Ethereum são programados em uma linguagem chamada Solidity e executados na Máquina Virtual Ethereum (EVM). O EVM é como o “cérebro” do Ethereum; Funciona como um ambiente de execução para contratos inteligentes. O EVM pega o código desses contratos inteligentes e o interpreta, garantindo que ele seja executado de forma consistente em todos os nós da rede.

A implementação de contratos inteligentes no Ethereum oferece diversas vantagens. A primeira é a maior flexibilidade na criação de diversas aplicações , desde sistemas de votação eletrônica até plataformas de troca de ativos digitais. Na verdade, o Ethereum foi projetado para ser esse o caso.

Mas não é só isso, pois o Ethereum facilita a interoperabilidade , o que significa que diferentes contratos inteligentes podem comunicar entre si e colaborar, abrindo um mundo de possibilidades para a criação de soluções mais complexas.

Os desafios que o Ethereum ainda precisa resolver estão relacionados à escalabilidade (abordar mais usuários sem perder eficiência) e às taxas de gás (o custo para executar operações na rede). À medida que a popularidade da rede cresceu, soluções como segundas camadas e rollups foram exploradas, buscando aliviar o congestionamento.

EOS

EOS é uma blockchain que tem como principal objetivo fornecer um ambiente fértil para o desenvolvimento de aplicações baseadas em contratos inteligentes, assim como o Ethereum. Nasceu em 2017 e, como qualquer rede blockchain, registra transações e dados em blocos criados por validadores.

Como tantas outras redes que pretendem competir com o Ethereum, a EOS propõe atacar dois aspectos que são frequentemente criticados na rede co-criada por Vitalik Buterin. Falamos sobre escalabilidade e taxas de transação.

Contudo, a sua adoção nos seus cinco anos de vida não atingiu os níveis inicialmente pretendidos. Pelo menos, ainda está longe de outras redes como Ethereum, BNB Chain, Polygon e Avalanche. Enquanto a EOS possui quase 6 milhões de carteiras ativas segundo seu explorador oficial , a Ethereum está chegando a 186 milhões, como pode ser visto abaixo.

Dissemos que Ethereum possui um EVM para processar contratos inteligentes; EOS também tem o seu próprio. O EVM da EOS é compatível com o Ethereum , permitindo uma implantação mais fácil de aplicações existentes nesta rede. No final de julho de 2023, a EOS anunciou subsídios de até US$ 50.000 para desenvolvedores que implementam soluções em sua rede.

Outra qualidade que a EOS partilha com a Ethereum é a existência de uma fundação que promove a descentralização, a construção de aplicações open source e o desenvolvimento nesta rede.

Tron

Assim como as anteriores, Tron é uma rede blockchain e funciona de forma mais ou menos semelhante. Seus objetivos também são comparáveis: basicamente, busca facilitar a criação e execução de transações por meio de aplicações suportadas em contratos inteligentes.

Tron é ideia do desenvolvedor Justin Sun e sua equipe e foi fundado em 2018. De acordo com seu site oficial, possui mais de 177 milhões de usuários (embora isso não implique que todos esses endereços estejam ativos ou tenham atividade regular).

O foco da Tron é ser uma rede para aplicações cotidianas . Além disso, muitas de suas aplicações visam a distribuição de conteúdo digital, permitindo que os usuários sejam verdadeiramente donos do que carregam na web e monetizem por meio disso.

Em termos gerais, Tron também se assemelha ao Ethereum em termos de funcionalidade e premissa. Uma das principais diferenças está na linguagem de programação (Tron usa principalmente Java e Javascript, enquanto Ethereum é baseado principalmente em Python e Solidity).

Da mesma forma, Tron possui sua própria máquina virtual, chamada TVM (Tron Virtual Machine). É compatível com EVM e cumpre as mesmas funções, embora com o objetivo de priorizar a rapidez das transações.

Uma forma de atingir essa velocidade é a utilização de um algoritmo de consenso baseado em delegados pré-selecionados que são responsáveis por validar as transações e adicionar blocos à cadeia. Esse mecanismo é chamado de Prova de Participação Delegada (DPoS), e pode-se dizer que “pula uma etapa” em relação ao Ethereum, que escolhe entre dezenas de milhares de validadores quem ficará encarregado de validar as transações.

Outras plataformas

Binance Smart Chain ( BNB Chain ) é outra rede blockchain que permite a implementação de contratos inteligentes. Esta rede ganhou popularidade por sua velocidade e baixas taxas de transação em comparação com Ethereum .

Os contratos inteligentes da Cadeia BNB são programados em diferentes linguagens de programação, entre as quais está Solidity, a utilizada pela Ethereum, que facilita a migração de aplicações entre as duas redes. Isso significa que eles são compatíveis entre si.

A Cadeia BNB oferece uma alternativa eficiente para o desenvolvimento de aplicações descentralizadas e contratos inteligentes, principalmente para quem busca menores congestionamentos e custos . Por isso, como mostra a imagem abaixo, está entre os mais utilizados entre os protocolos de finanças descentralizadas.

Por sua vez, Polygon é uma solução de escalabilidade que busca melhorar a experiência do usuário no Ethereum ao permitir a criação de sidechains conectadas à rede principal. Esta arquitetura permite implementar contratos inteligentes de forma mais rápida e acessível.

Polygon oferece suporte a várias estruturas de desenvolvimento e linguagens de programação, dando flexibilidade aos desenvolvedores. Ao fornecer uma infraestrutura que aborda os problemas de escalabilidade e altas taxas do Ethereum, o Polygon também se tornou uma opção atraente para projetos que buscam utilizar contratos inteligentes com melhor eficiência operacional.

Terceiro, o Avalanche é uma plataforma que se destaca pelo foco na escalabilidade e interoperabilidade . A rede utiliza uma arquitetura que permite a criação de múltiplos blockchains personalizados, conhecidos como “sub-redes”, que podem implementar contratos inteligentes e aplicações descentralizadas. Tais qualidades proporcionam um alto grau de flexibilidade e permitem que os desenvolvedores ajustem as características de sua cadeia de acordo com suas necessidades.

O Avalanche suporta múltiplas linguagens de programação e oferece latência ultrabaixa, tornando-o uma opção atraente para aplicações que exigem transações rápidas e contratos inteligentes eficientes.

Desafios dos Contratos Inteligentes

Além de todos os seus benefícios e utilizações potenciais descritos nas linhas anteriores, os contratos inteligentes não são perfeitos. Na verdade, eles ainda têm obstáculos significativos a superar e aqui explicaremos alguns deles.

Complexidade técnica

Um dos desafios mais significativos no desenvolvimento de contratos inteligentes é a complexidade técnica. A criação de contratos inteligentes requer um profundo conhecimento de programação , bem como dos protocolos específicos da plataforma em que serão implementados, como Ethereum, Tron, BNB Chain ou qualquer outro.

Por exemplo, os desenvolvedores devem lidar com conceitos avançados como gerenciamento de tokens, segurança criptográfica e interação com APIs descentralizadas (dApps).

A complexidade técnica também está relacionada à necessidade de considerar aspectos críticos , como tratamento adequado de erros, otimização de gás (no caso do Ethereum), segurança para evitar vulnerabilidades e escalabilidade para garantir uma operação eficiente à medida que a rede cresce.

Como veremos no próximo ponto, erros no código do contrato inteligente podem ter consequências graves, como perda de fundos ou de privacidade.

Erros de programação

Erros de programação são um desafio crítico e potencialmente caro no mundo dos contratos inteligentes. Devido à natureza imutável da maioria dos contratos inteligentes, uma vez implementados na blockchain, quaisquer erros de programação podem ser irreversíveis e ter consequências financeiras ou de segurança significativas.

Essas falhas podem surgir devido a um mal-entendido das especificações do contrato, erros no código, falta de testes completos ou falha na consideração de casos extremos.

Um exemplo notável de falhas de programação é o caso infame de “The DAO” no Ethereum. O DAO era um fundo de investimento descentralizado construído como um contrato inteligente. Um bug no código permitiu que um invasor desviasse uma grande quantidade de fundos, resultando em um hard fork do Ethereum para recuperar os fundos perdidos e corrigir o problema.

Uma ferramenta fundamental para mitigar essas falhas são revisões completas de código e auditorias de segurança realizadas por profissionais, bem como testes rigorosos antes de implementá-los em uma rede blockchain de produção.

Falhas de segurança

Muito diretamente relacionadas com o ponto anterior, as falhas de segurança são uma preocupação central no contexto dos contratos inteligentes. Uma vez que estes contratos automatizam transações e podem gerir ativos valiosos, qualquer vulnerabilidade na sua conceção ou implementação pode ser explorada por atacantes maliciosos com fins lucrativos ou danos financeiros significativos.

Um dos maiores desafios é a possibilidade de “ataques de reentrada”, onde um contrato pode ser chamado novamente antes de sua execução anterior ter terminado, permitindo que um invasor realize múltiplas transações não autorizadas e assuma o controle do contrato.

Curve foi hackeado

O Curve foi hackeado em mais de US$ 50 milhões em julho, mas os hackers acabaram devolvendo quase tudo o que foi roubado .

Outro risco é a falta de validação adequada dos dados, o que poderia permitir que invasores introduzissem informações maliciosas para manipular o contrato.

Para mitigar esses riscos, é essencial seguir práticas de segurança rigorosas. Além disso, a comunidade deve ser proativa na identificação e divulgação de vulnerabilidades para resolver rapidamente os problemas.

Regulamentação e quadro jurídico

À medida que tecnologias como os contratos inteligentes e as aplicações que permitem ganham relevância e se tornam mais integradas na economia global, os governos e as autoridades estão cada vez mais concentrados na sua regulamentação. O objectivo é estabelecer quadros jurídicos claros que abordem aspectos como a propriedade, a tributação, a prevenção do branqueamento de capitais e a protecção dos direitos dos utilizadores.

Um dos desafios atuais é que as leis e regulamentos relativos a criptomoedas e contratos inteligentes podem variar significativamente de país para país. Isto pode criar incerteza e complexidade para empresas e utilizadores que operam a nível internacional.

Além disso, a natureza descentralizada e transfronteiriça das criptomoedas levanta questões sobre como aplicar as regulamentações de forma eficaz. Mas a clareza nas regulamentações é essencial para incentivar a adoção e o crescimento de tecnologias relacionadas ao blockchain. Sem ir mais longe, são essenciais para oferecer segurança jurídica, atrair investimentos e promover a inovação.

Futuro dos contratos inteligentes

Os protocolos DeFi baseados em contratos inteligentes tiveram seu apogeu durante os anos de 2020 e 2021. Desde então, vários ataques e bilhões de dólares em perdas fizeram com que sua reputação e uso caíssem consideravelmente.

A seguir, tentaremos analisar com mais profundidade qual futuro pode ser esperado em relação aos contratos inteligentes.

 Potencial para transformar indústrias

O futuro dos contratos inteligentes promete uma transformação profunda numa vasta gama de indústrias. Ao longo deste artigo mencionamos vários deles, como o setor financeiro, o setor de seguros e o setor de videogames, entre muitos outros.

Os contratos inteligentes têm o potencial de revolucionar a forma como as operações são realizadas, eliminando intermediários desnecessários, reduzindo custos e aumentando a eficiência dos processos.

No futuro, a adoção em massa de contratos inteligentes poderá facilitar enormemente a obtenção de empréstimos, a negociação, a criação de mercado e muito mais em protocolos financeiros descentralizados. Tudo isto sem a necessidade de intermediários bancários, democratizando assim o acesso aos serviços financeiros e reduzindo as barreiras à inclusão financeira, especialmente em regiões onde o acesso aos serviços bancários tradicionais é limitado.

Mas outros setores também podem tirar partido desta tecnologia. Por exemplo, os já mencionados, como cadeia de abastecimento, serviços de saúde e empresas de aconselhamento jurídico e notários. Ou seja, tudo que envolve transações e acordos de qualquer tipo entre duas ou mais pessoas é plausível para utilização de contratos inteligentes para segurança e transparência.

Integração com outras tecnologias

A integração de contratos inteligentes com outras tecnologias é uma tendência chave que abrirá novas oportunidades e ampliará ainda mais o seu impacto em vários campos. Sinergias como as listadas abaixo permitem enfrentar desafios mais complexos e criar soluções mais poderosas.

1. Internet das Coisas (IoT): Esta combinação permite a automação e execução de negócios em tempo real com base em dados gerados por dispositivos conectados. Imagine um sistema onde dispositivos autônomos possam tomar decisões e ações diretamente com base em condições predefinidas em contratos inteligentes. Isto é especialmente valioso em áreas como gestão de energia, logística e monitoramento de ativos.

2. Inteligência Artificial (IA): a integração de contratos inteligentes com IA permite a automatização de processos ainda mais complexos e a tomada de decisões baseadas em dados. Isto é aplicável em áreas como detecção de fraude, análise de risco e otimização de recursos.

3. Blockchains interoperáveis: À medida que as redes blockchain se tornam mais interoperáveis, os contratos inteligentes serão capazes de operar entre diferentes plataformas e combinar os seus pontos fortes para criar soluções mais úteis e escaláveis.

Desenvolvimento de novos casos de uso

À medida que o tempo e as novas tecnologias amadurecem, surgem aplicações que muitas vezes mudam completamente a forma como interagimos e transacionamos. Esses novos casos de uso refletem a versatilidade dos contratos inteligentes e como eles podem impactar diversos setores:

1. Tokenização de ativos reais: a representação digital de ativos reais (como imóveis, obras de arte, commodities , etc.), é um campo em crescimento. Os contratos inteligentes permitem a criação e gestão destes tokens e facilitam o investimento e a liquidez de ativos que antes eram difíceis de dividir ou negociar.

Identidade digital segura: Os contratos inteligentes podem ser usados para criar sistemas de identidade digital mais seguros e descentralizados. As pessoas podem ter controlo sobre os seus próprios dados de identidade e partilhar apenas as informações necessárias para as transações nas aplicações que utilizam, reduzindo assim o risco de roubo de identidade.

3. Votação eletrônica: os contratos inteligentes podem transformar a forma como as eleições são realizadas, tornando o processo mais transparente, seguro e acessível. Os votos podem ser registrados em blockchain, o que garante sua integridade e evita fraudes.

No futuro, é provável que vejamos ainda mais casos de utilização emergentes , como microfinanças, empréstimos entre pares ou sistemas de gestão empresarial baseados em contratos inteligentes. Isto será possibilitado à medida que os desenvolvedores explorem novas maneiras de aproveitar a automação, a descentralização e a segurança que os contratos inteligentes oferecem.

Conclusão

Com base no exposto, podemos concluir que os contratos inteligentes representam um marco fundamental na atual revolução tecnológica , com um potencial disruptivo que vai desde a simplificação dos processos de negócio até à criação de novos modelos económicos e sociais.

Sua capacidade de automatizar negócios, eliminar intermediários ineficientes e garantir a integridade das transações é um catalisador para a adoção descentralizada de aplicativos e a transformação de vários setores.

Olhando para o futuro, o potencial dos contratos inteligentes é muito estimulante, embora também enfrentem riscos significativos que precisam de ser abordados. Com a adoção contínua e um foco constante na melhoria da segurança e da regulamentação, os contratos inteligentes têm o poder de mudar fundamentalmente a forma como fazemos negócios, gerimos ativos e participamos num mundo cada vez mais digital.

Tickmill

8/ 10

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Execução rápida sem recotações, todas as estratégias de negociação permitidas.

Spreads desde 0.0 pips

Regulado por la FSA

*Tickmill não é regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no Brasil. Não realizamos nenhuma atividade de marketing ativo nem oferta pública de valores para residentes no Brasil.

Depósito minimo:

R$508.39

Artigos Relacionados

O que é Teoria de DOW na análise técnica
A análise técnica é uma ferramenta essencial para os investidores que buscam obter vantaegens no mercado financeiro. Ela consiste em estudar os padrões de comportamento dos preços dos ativos, utilizando gráficos, indicadores e outras ferramentas m...