ETFs de milho: conhece tudo deles

ETFs de milho: conhece tudo deles

O mercado do milho é o maior mercado de commodities agrícolas do mundo. O grão, junto com arroz e trigo, é responsável por ⅔ das calorias consumidas pela humanidade, um mercado bastante grande, para o qual é destinado apenas 10% da produção de milho. Os outros 90% são usados para alimentar animais e produzir biocombustíveis, é daí que vêm a demanda gigante pelo grão.

Uma das formas mais simples de investir na commodity é por meio de ETFs (Exchange Traded Funds) e, ao longo desse artigo, vamos aprofundar nos ETFs de milho, qual potencial desse produto financeiro, como investir em ETFs de milho com segurança, além de uma análise e previsões para esse mercado.

Explorando o potencial dos ETFs de milho

A cadeia do milho começa com grandes produtores de sementes, em seguida, os grãos vão para os moinhos onde são selecionados e secos, de onde seguem para as distribuidoras e manufaturas que o transformam em alimento, adoçante, ração e biocombustível. No mercado financeiro, o milho é negociado via derivativos, como contratos futuros na bolsa de valores, fundos de investimento ou ETFs

A negociação do milho na bolsa de valores é muito mais cara do que negociar um dos ETFs mais populares entre os investidores brasileiros. Para se ter uma ideia, o tamanho do contrato futuro de milho no Brasil é de 450 sacas de 60kg, o que inviabiliza a compra para muitas pessoas que desejam ingressar no mercado financeiro e até para muitos investidores profissionais. 

Portanto, para quem deseja negociar o grão, investindo a partir de R$10,00, os ETFs de milho são uma ótima opção. Na bolsa de valores brasileira é negociado o ETF CORN11 do Banco do Brasil cujo objetivo é acompanhar o desempenho do contrato futuro de milho (CCM) com as mudanças de preço de uma carteira teórica composta somente pelo primeiro vencimento com rolhagem bimestral e uma taxa de administração de 0,45%. Essa é uma maneira mais simples e menos onerosa do que negociar diretamente contratos futuros de milho, que oferece uma forma acessível e líquida de participar das variações dos preços do grão, aproveitando as tendências de crescimento da demanda global.

Como investir em ETFs de milho com segurança

Todo o investimento está associado a algum nível de riscos, os ETFs no geral são considerados produtos financeiros com risco intermediário. Isso porque investem em uma cesta de empresas agrupadas conforme o tipo de rendimento, setor de atuação, região geográfica, entre outros; portanto são investimentos mais seguros do que as ações ou contratos futuros de milho, que investem em uma única empresa ou produtor. Porém, os ETFs de milho são considerados arriscados se comparados a ETFs de ouro, por exemplo, considerados ETFs produtos de hedge ou de proteção da carteira.

O ideal é adotar uma estratégia diversificada, com investimentos em ETFs variados. Assim você garante a segurança da sua carteira ao mesmo tempo, em que aproveita as variações de preço para lucrar com mercados mais voláteis. Para fazer investimentos seguros em ETFs de milho é importante conhecer as etapas de plantio e tratamento do grão, bem como os fatores que as afetam e impactam nos preços. Mas não basta conhecer os processos, é necessário acompanhar os acontecimentos geopolíticos, alterações climáticas e fenômenos naturais que influenciam nas safras do grão. Dessa forma será possível pensar em estratégias mais assertivas para investir com segurança e lucrar com os ETFs de milho. Se o que você quer é evitar os riscos do milho, você deve pensar noutros ETFs para investir no Brasil.

O ideal é adotar uma estratégia diversificada, com investimentos em ETFs variados. Assim você garante a segurança da sua carteira ao mesmo tempo, em que aproveita as variações de preço para lucrar com mercados mais voláteis. Para fazer investimentos seguros em ETFs de milho é importante conhecer as etapas de plantio e tratamento do grão, bem como os fatores que as afetam e impactam nos preços. Mas não basta conhecer os processos, é necessário acompanhar os acontecimentos geopolíticos, alterações climáticas e fenômenos naturais que influenciam nas safras do grão. Dessa forma será possível pensar em estratégias mais assertivas para investir com segurança e lucrar com os ETFs de milho. Se o que você quer é evitar os riscos do milho, você deve pensar noutros ETFs para investir no Brasil. Por exemplo, investir em arroz pode ser uma alternativa interessante, dada sua alta demanda global e os fatores que influenciam o seu preço.

Análise do mercado de milho para investidores

O mundo produz por ano 1.2 bilhão de toneladas de milho, mais que qualquer outro grão. EUA produz o 35%, é o maior produtor, consumidor e exportador do mercado de milho. Outros 20% vêm da China. Brasil é o terceiro maior produtor, com 120 milhões de toneladas, o que equivale a 10% do milho produzido no mundo. 

Os preços do milho podem disparar ou despencar dependendo principalmente de fatores climáticos. O período do verão, em que os grãos estão dentro do solo — crescendo, é o de maior volatilidade no mercado. Durante esse período qualquer notícia sobre secas ou inundações nas regiões de maior produção do grão, com destaque para o meio-oeste americano vão impactar no preço. 

Um exemplo recente aconteceu em 2023, quando uma seca no interior dos EUA, causou uma grande perda na produção do grão, logo os preços subiram e o Brasil se tornou o maior produtor do milho durante um período. O período de cultivo do milho, da primavera ao outono, também representa um período de incertezas. Isso porque o grão já está a germinar e sujeito a todo diversos riscos, como chuvas ou excesso de sol. Conforme o milho é colhido, já se sabe o quanto de milho vai haver em circulação e, com isso, cai a incerteza e a volatilidade do preço do grão. 

Previsões para o mercado de ETFs de milho 

Nos próximos meses, os preços do milho continuam sob pressão. No começo de 2024, o produto foi negociado na Bolsa de Valores do Brasil por R$68,15. Em maio de 2023 o valor baixou para R$66,94, apresentando uma queda de 3,21%, enquanto o contrato de julho de 2024 foi cotado a R$65,50, registrando uma nova retração, dessa vez de 2,69%. As cotações para o segundo semestre também estão em declínio e, para janeiro de 2025, as negociações do milho apontam um preço de R$68,15. Abaixo, segue um resumo dos preços futuros do milho:

  • Julho de 2024: R$ 65,50 com variação de -2,69%;
  • Setembro de 2024: R$ 63,60 com variação de -2,75%;
  • Novembro de 2024: R$ 66,00 com variação de -2,55%%;
  • Janeiro de 2025: R$68,15 com variação de -5,40%.

No geral, é possível perceber, portanto, que nos próximos meses o mercado de milho apresenta uma queda. Com os ETFs não é diferente, uma vez que eles acompanham os valores do mercado. Portanto, esse pode ser um momento interessante para estratégias de longo prazo em que os investidores compram os produtos financeiros para venderem em momentos de alta.

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Corretora confiável com 1,54 milhão de contas de clientes e capital de US$ 10,01 bilhões, listada na Nasdaq.

Comissões baixas e melhor execução de preços possíveis graças ao sistema IB SmartRoutingSM.

Plataformas e ferramentas de negociação gratuitas – poderosas o suficiente para traders profissionais, mas projetadas para todos.

Depósito minimo:

R$0.00

Artigos Relacionados

ETFs irlandeses: como investir neles?
Os ETFs irlandeses oferecem aos investidores uma chance de explorar ações de empresas de quaisquer locais do mundo, sem a burocracia de precisar investir em cada papel. Dessa forma, uma das maiores vantagens deles é a possibilidade de diversificar...

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento