Investir em Commodities no Brasil: Tudo o que você precisa saber

Ao escolher dentro do catálogo de ativos disponíveis, investir em matérias-primas é uma das opções que temos à nossa disposição. Neste artigo, queremos contar-lhe como pode investir em matérias-primas com segurança, as razões para o fazer e quais são os riscos associados.

Por que investir em matérias-primas?

Uma matéria-prima é um produto não processado que deve ser homogeneizado para que possa ser introduzido nos mercados. Isso resulta numa matéria-prima específica. Por exemplo, o caso do aço, que pode ser comprado ao mesmo preço em qualquer parte do mundo.

Investir em matérias-primas significa fazê-lo num mercado certamente complexo, pois não se trata de investimentos certamente seguros. O típico caso do ouro, considerado como valor de refúgio, acaba sempre por se revalorizar, mas possivelmente não quando nos interessa.

Portanto, as matérias-primas não são um tipo de investimento pensado para todos. Especialmente para aqueles que desejam resultados praticamente imediatos. Aproveitar os momentos cíclicos de preços baixos para obter um benefício futuro deve ser o que o motiva a investir em matérias-primas.

E é que a principal razão pela qual um investidor pode decidir diversificar a sua carteira ao introduzir matérias-primas é porque tem fundamentos suficientes para pensar que vai subir, seja pelo ciclo económico, por aspectos fundamentais ou conflitos geopolíticos, como foi (este último) o caso do investimento em petróleo.

Riscos de investir em matérias-primas

Desconhecimento

Nós, como investidores, somos os que determinamos o risco que vamos assumir ao investir em matérias-primas. Neste caso, o principal risco assumido é comum a outros tipos de ativos, o desconhecimento que se tem sobre eles. Talvez não seja necessário ser um especialista para investir em matérias-primas, mas sim saber o que se tem nas mãos e qual poderá ser a sua futura evolução.

Na verdade, muitas vezes, investir em matérias-primas é feito através de futuros (que veremos mais adiante), ativos que são certamente complexos.

Volatilidade

No entanto, excluindo o fator da incerteza, o principal risco de investir em matérias-primas é que esses produtos têm uma volatilidade alta.

Basta alguma mudança geopolítica, e os fatos mostram que podem acontecer rapidamente, para que haja um movimento que pegue algum investidor de surpresa e não saiba agir a tempo.

Ativos especulativos

Por outro lado, são produtos altamente especulativos e que, para os investidores de curto prazo, são um instrumento para obter muito lucro em pouco tempo, devido ao alavancagem.

Consequentemente, isso pode representar grandes riscos para o investidor médio que não tem tanto tempo e conhecimento para se aventurar em um mercado complexo.

Quais matérias-primas podem ser negociadas na bolsa?

A bolsa oferece uma boa variedade de matérias-primas com as quais você pode negociar. Antes de mergulhar de cabeça neste mundo, você deve saber quais são as principais matérias-primas nas quais você pode investir.

Metais preciosos

Geralmente, falamos de ouro, prata, platina, paládio ou diamantes. Seu valor é determinado pela escassez, e todos eles têm a denominação genérica de ativos de refúgio. Talvez não tenhamos altos retornos, mas não há dúvida de que são fáceis de vender e oferecem liquidez imediata. Quem guarda algum metal precioso e precisa convertê-lo em dinheiro fiduciário sabe que só precisa vender para converter, e que o fará imediatamente.

Matérias energéticas

Trata-se principalmente de gás natural, carvão, gasolina, petróleo e seus produtos derivados. Também foi introduzido na equação o setor das energias renováveis, nas quais se pode investir através das empresas que as exploram.

A nova revolução verde pode representar um interessante estímulo para investir em matérias-primas.

Metais industriais

Aqui temos que falar de metais como o lítioo ferro, o zinco, o cobre ou o aço, que são fundamentais para o funcionamento do tecido industrial. São matérias-primas muito importantes para o desenvolvimento do ser humano e da indústria.

Agricultura

Quando falamos de investir na agricultura, não são poucos os campos que podemos encontrar, entre eles o trigo, a soja, o café, os alimentos, o algodão ou os lotes de cabeças de gado, entre muitos outros.

Além disso, nesta classe de mercados existem diferentes formas de investir, desde ações de empresas, até ETFs ou os próprios derivados, com especial atenção aos futuros, que originalmente foram criados para reduzir a volatilidade no preço das colheitas.

Energias renováveis.

Outro segmento que se tornou muito popular nos últimos anos, principalmente devido à escassez de matérias-primas após o início do conflito na Ucrânia, é a investimento sustentável em energias renováveis.

Dessa forma, dentro das empresas com critérios ESG, podemos investir em energias renováveis como podem ser:

  • Hidrogênio verde
  • Água
  • Energia solar
  • Energia eólica
GrupoMatéria-prima
Metais preciososOuro, prata, platina e paládio
Metais industriaisAço, cobre, ferro…
Commodities agrícolasAçúcar, grãos, algodão…
EnergiaPetroleo, gás natural…
Produtos perecíveisSoja, trigo, milho…

Quais são as 7 matérias-primas mais negociadas na bolsa?

No entanto, nem todas as matérias-primas têm o mesmo tipo de interesse. Estas são as 7 que melhor cotam e, portanto, aquelas nas quais a investimento poderia ser considerado mais interessante por alguns.

O petróleo Brent

Originário do Mar do Norte, é caracterizado por ser um produto leve e que também é o petróleo de referência na Europa. Dadas suas condições, é o produto ideal para fabricar gasolina. Como curiosidade, é preciso destacar que é um tipo de petróleo extraído do oceano, por meio de uma técnica chamada fracking.

O aço

É a fusão a quente de ferro e carbono. Onipresente no mundo industrial, o aço é um dos materiais primários mais interessantes para investir.

Possui a qualidade de poder ser continuamente sem perder propriedades, e é usado em praticamente todos os tipos de instalações industriais, além do setor urbano. A China lidera a produção mundial de aço, fabricando nove vezes mais do que toda a União Europeia.

O petróleo WTI

É o petróleo cujas siglas se referem a West Texas Intermediate, produzido na América do Norte.

Esse petróleo, assim como o Brent, são os que definem o preço de todos os outros combustíveis no mundo. A produção desse tipo de petróleo manteve-se muito estável durante décadas até o início de 2020.

A soja

Chamada por muitos de “cereal do futuro”. Sua demanda mundial é muito alta, o que leva grandes extensões de território americano a produzir esse material primário. Brasil, Estados Unidos e Argentina são os principais produtores mundiais de soja. Como contrapartida negativa, grande parte da superfície amazônica e áreas florestais da Argentina estão sendo destruídas para cultivar soja.

Delas são extraídos muitos subprodutos, incluindo farinha, leite ou óleo. É também um componente dos alimentos para animais.

O ferro

A importância desse metal é tão grande que deu nome a um período da pré-história. O ferro é um dos materiais primários por excelência, elemento fundamental do aço e base para fabricar uma enorme variedade de produtos. O maior produtor de ferro do mundo é a Austrália, com 900 milhões de toneladas métricas por ano.

O milho

É o grão mais cultivado do mundo. Do milho pode-se fabricar grande quantidade de seus produtos, o mesmo acontece com a soja. Dele também se podem extrair combustíveis vegetais, destinados a liderar uma nova revolução em relação ao petróleo. Estados Unidos, seguidos por Brasil e China, formam o pódio de países produtores de milho.

O ouro

Talvez estejamos diante do produto estrela dos materiais primários.

Trata-se de um metal precioso caracterizado pela sua escassez e que pode ser comprado em formato digital para negociar com ele.

 Como investir em matérias-primas?

Investir em matérias-primas pode ser feito de várias maneiras. Estas são as principais formas de investimento em relação às matérias-primas mais comuns.

Investir em matérias-primas através de exposição física.

Era a maneira tradicional de investimento até a aparição dos mercados bolsistas, e sobretudo, dos contratos de futuros. Consiste em comprar uma matéria-prima e armazená-la. Trata-se de uma ação comum para certo tipo de produtos, aqueles em que o passar do tempo não implique um deterioro, por exemplo, os metais preciosos.

No entanto, existe um problema associado a investir através de exposição física.

Ter ouro em casa não é uma opção muito recomendável, a não ser que o guardemos dentro de uma caixa de segurança.

No caso de que o custodiemos na câmara acorazada de um banco, teremos de pagar outra série de gastos. Investir em matérias-primas através de exposição física talvez se possa fazer com este tipo de metais, mas não com produtos perecíveis como podem ser o milho, açúcar ou cabeças de gado, que implicam também um problema de logística e armazenamento, além do custo econômico.

Investir em matérias-primas com ações

Trata-se de uma das maneiras mais simples de investir, pois o fazemos através da participação de empresas relacionadas com as matérias-primas.

Podemos expor o caso de uma açucareira ou de uma empresa que se dedique à transformação de petróleo. Se o preço da matéria-prima subir, evidentemente também o farão o das ações da empresa na qual estamos participando.

É uma forma muito comum de investir em matérias-primas, pela sua comodidade e porque podemos ter sob controle os preços.

Além disso, temos acesso a praticamente qualquer mercado que opere com matérias-primas, podendo escolher aquela que seja de nosso interesse.

Supõe uma avanço considerável em relação ao investimento de matérias-primas por disposição, que na atualidade fica praticamente limitado a metais preciosos, e não é conveniente em muitíssimos casos.

Investir em matérias-primas através de contratos de Futuros

Finalizamos com outra das maneiras de investir em matérias-primas.

Um contrato de futuros é aquele no qual os investidores vão chegar a um acordo para realizar uma transação com uma quantidade determinada de uma matéria-prima a um preço concreto e em uma data futura.

O preço deste tipo de contrato é geralmente baseado no preço à vista do ativo subjacente. No entanto, existem vários fatores que determinarão o preço final.

Falamos do tempo que leva até a entrega, do interesse pelos próprios custos de armazenamento. Aqui o benefício dependerá do lado em que a previsão cairá, seja para o comprador ou o vendedor.

No caso do vendedor, ele obterá um benefício se o preço do ativo subjacente tiver diminuído na data de vencimento.

Por outro lado, o comprador obterá um rendimento se esse valor tiver aumentado na data acordada.

Investir em commodities através de ETFs

Os fundos negociados em bolsa ou ETFs tornaram-se uma forma de investimento muito interessante. Estes permitem a aquisição de ativos que replicam algum índice que nos interesse, e de fato, existe uma grande variedade de ETFs relacionados às commodities.

Aqui não se negocia com ações, mas sim com futuros e outros derivados, além de contratos específicos, que têm o respaldo dessas commodities em formato físico. Seu objetivo é replicar uma commodity específica ou um índice específico.

É importante fazer a diferença entre se está replicando uma commodity específica, como o ouro, ou um grupo de commodities. As réplicas podem ser tanto físicas quanto sintéticas.

Os 10 ETFs sobre commodities

ETFsTickerISIN
ETF EUR BNP Paribas Easy Energy & Metals
Enhanced Roll UCITS
GSDELU1291109616
ETF Acc Invesco Bloomberg Commodity UCITSCMODIE00BD6FTQ80
UCITS ETF iShares Diversified Commodity SwapSXRSIE00BDFL4P12
ETF Acc Invesco Bloomberg Commodity
ex-Agriculture UCITS
XAAGIE00BYXYX521
ETF Acc Invesco Commodity Composite
UCITS
LGCFIE00B4TXPP71
UCITS ETF L&G Longer Dated All CommoditiesETL2IE00B4WPHX27
UCITS ETF USD iShares Bloomberg Roll Select
Commodity Swap
IS39IE00BZ1NCS44
iShares Physical Gold ETCPPFBIE00B4ND3602
Invesco Physical Palladium8PSCIE00B4LJS984
Invesco Physical Platinum8PSAIE00B40QP990

Neste artigo, acompanhamos você na aventura de investir em commodities, seja por meio de ações, futuros ou ETFs. No entanto, tanto para commodities quanto para qualquer tipo de produto de investimento, a cautela sempre deve ser nossa principal característica.

Se desconhecemos o funcionamento dos mercados de ações, uma plataforma que tenha uma conta demo é a ferramenta perfeita. Permite-nos investir com dados reais, mas com dinheiro fictício. Portanto, não existe nenhum tipo de risco para nós e é uma ótima escola que estará à nossa disposição.

E você, já investe em commodities? O que o fez começar a investir em commodities e qual veículo de investimento você usa?

Tickmill

8/ 10

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Execução rápida sem recotações, todas as estratégias de negociação permitidas.

Spreads desde 0.0 pips

Regulado por la FSA

*Tickmill não é regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no Brasil. Não realizamos nenhuma atividade de marketing ativo nem oferta pública de valores para residentes no Brasil.

Depósito minimo:

R$508.39

Artigos Relacionados

Melhores Cursos de Trading no Brasil
Atualmente, a popularização dos investimentos tem impulsionado uma crescente busca por conhecimento no mundo do trading. Investidores de todos os níveis estão percebendo a importância de uma formação especializada e sólida para tomar decisões m...