Como investir o dinheiro dos seus filhos

Qual conta de poupança infantil você recomenda para as crianças? Assim começam muitas das minhas conversas sobre como investir o dinheiro dos filhos.

Se algo está claro, é que mais cedo ou mais tarde (e melhor a segunda opção), todo pai acaba considerando a necessidade de poupar para os filhos e o que fazer com esse dinheiro.

As contas infantis são a primeira parada lógica em um país onde grande parte do dinheiro das famílias está em contas correntes e depósitos. No entanto, isso não significa que sejam a melhor opção, muito menos.

Por isso, muitas dessas conversas sobre o que fazer com as economias das crianças começam pelo básico: por que poupar e investir para os filhos. Se você já tem claro que poupar não é suficiente, no próximo ponto encontrará as três opções para fazer crescer as economias dos filhos.

crianças nvestir

Por que investir o dinheiro das crianças

O tempo é o maior aliado do seu dinheiro e ao mesmo tempo o seu maior perigo e se há algo que os filhos têm é muito tempo pela frente. Você pode usá-lo a seu favor ou contra, dependendo do que você faz com ele, porque na maioria dos casos é um dinheiro que você não tocará entre 10 e 20 anos.

Você pode aproveitar esse período para obter um retorno sobre esse capital ou deixar a inflação fazer o seu trabalho e essa economia que você acumulou perderá muito mais valor do que você pensa.

Nos últimos anos, com uma inflação próxima a 1%, essa perda de valor era pequena, mas agora com uma inflação disparada em níveis de 8% (e parece que vai durar), a coisa muda. Você só precisa pensar na cesta de compras para entender como a inflação afeta seu poder de compra e as economias das crianças. Onde antes você precisava de 100 euros, agora precisa de 108 euros. Imagine isso a longo prazo, em períodos de 15 anos.

Para que não lhe custe muito fazer isso, de acordo com os dados do INE, para igualar o valor de 1.000 euros de 2010, você precisaria de 1.108 euros (a inflação total nesse período foi de 10,8%). No caso do dinheiro dos filhos, quando precisarem, ainda terão 1.000 euros nominais, mas seu valor será equivalente a menos de 900 euros.

Com uma inflação média anual de 5%, em 14 anos e meio esse dinheiro valeria a metade. Como você pode ver, se você não fizer nada, o tempo jogará contra o patrimônio de seus filhos. Isso é o que pode acontecer com as contas de poupança infantis.

A solução? Colocar esse dinheiro para trabalhar e investir as economias dos filhos a longo prazo para que, pelo menos, superem a inflação.

Mas isso não implica muito risco? Essa é uma pergunta que surge imediatamente e a resposta é sim, que todo investimento implica um risco. Felizmente, é aí que o fator tempo entra em jogo novamente.

O tempo limita o risco dos investimentos. E não sou eu quem diz isso, mas vários estudos. Este gráfico da Schoders resume precisamente as possibilidades de sofrer perdas em renda variável de acordo com o tempo que você permanece investido (e tudo ajustado à inflação).

Para que você entenda melhor, os mercados vão continuar subindo e descendo no curto prazo, mas a longo prazo, quando você mantém seu dinheiro investido, a inércia positiva do mercado permitirá que você se recupere.

E o melhor de tudo é que seu filho pouco se importará com essas flutuações do mercado. Ele vai estar ocupado brincando, aprendendo, correndo… Em suma, crescendo até que precise ou você queira dar esse dinheiro para seus estudos, para abrir um negócio, a entrada da casa ou o que você quiser.

O que você pode conseguir com o investimento? A resposta dependerá do nível de risco que você deseja assumir, sua habilidade como investidor, onde você investe as economias das crianças e o prazo do investimento.

Para lhe dar uma ideia geral, um investimento inicial de 1.000 euros com uma contribuição de 100 euros por mês e uma taxa de juros de 7% terá gerado 16.000 euros em juros após 15 anos. Em vez de ter 19.000 euros, seu filho terá 35.024 euros em sua conta.

E tudo por ter ido além de guardar seu dinheiro em um cofrinho. Se você acha que vale a pena, agora é a hora de ver o que você pode fazer com esse dinheiro, onde você pode investir as economias de seus filhos.

crianças nvestir

Onde investir o dinheiro de seus filhos

Quais opções você tem para investir o dinheiro dos filhos? O que você pode fazer para que suas economias cresçam? A realidade é que o mercado oferece inúmeras possibilidades, tanto se você tem conhecimento financeiro quanto se não tem.

O capital inicial também não precisa ser um problema. Hoje em dia, você pode começar a investir o dinheiro de seus filhos com apenas 150 euros e depois fazer as contribuições que desejar (algo que eu recomendo que você faça automaticamente todos os meses e também com uma parte dos presentes em dinheiro que as crianças recebem).

Estas são as três alternativas mais acessíveis e fáceis de implementar, de menor a maior complexidade:

Investir em fundos indexados (com um roboadvisor ou por conta própria)

Os fundos indexados são um tipo de fundo de investimento que replica o comportamento de um índice de ações.

Em vez de procurar as melhores ações de um índice como o Ibovespa, como faria um fundo tradicional, o que ele faz é copiar todo o índice e investir nas 35 ações que o compõem. Em outras palavras, copiá-lo para imitar seu comportamento. Tão simples e tão fácil como parece. Precisa de mais dados? Aqui você pode ver como funcionam os fundos indexados.

Isso funciona? Diversos estudos afirmam que a longo prazo a maioria dos fundos não consegue superar o mercado. De acordo com os dados da SPIVA, apenas 17% dos fundos de ações americanos superam o S&P 500 em períodos de 10 anos.

A indexação funciona e, além disso, tem duas vantagens sobre o investimento em ações ou em fundos tradicionais: as comissões são menores, algo que importa muito a longo prazo, e é mais fácil de implementar e manter.

Você pode investir em fundos indexados para seus filhos de duas maneiras diferentes.

primeira e a que eu pessoalmente uso são os roboadvisors. Um roboadvisor é um gestor de investimentos automatizado que investirá o dinheiro de seus filhos em uma carteira de fundos indexados globalmente diversificada.

Não se assuste com a palavra automatizado, porque por trás de todos os roboadvisors há muito trabalho e grandes equipes humanas. Os dois roboadvisors que eu uso para meus filhos são Indexa Capital e MyInvestor. Também temos as seguiuntes opçoes locais:

  • Warren: Oferece portfólios que podem incluir ETFs e outros fundos indexados, adaptados ao perfil de risco do investidor.
  • Magnetis: Constrói portfólios diversificados que podem incluir fundos indexados, com gestão totalmente automatizada.
  • Vérios: Utiliza principalmente ETFs para compor os portfólios dos investidores, oferecendo uma exposição diversificada a diferentes mercados.

Para investir no , você precisará ter um fundo de início que pode variar dependendo da corretora elegida (pode ser um bom presente de nascimento para seu filho, mesmo que seja atrasado porque ele já tem 10 anos). Com o MyInvestor, o mínimo é de 150€ e em ambos você pode fazer contribuições periódicas com o dinheiro que deseja economizar todos os meses.

segunda alternativa é montar a carteira de investimentos indexada de seus filhos e gerenciá-la você mesmo. Esta opção levará um pouco mais de tempo entre decidir a distribuição de ativos e colocá-la em prática, além de exigir alguma manutenção e algum conhecimento financeiro (menos do que você pensa). Em troca, você economizará a comissão do roboadvisor (cerca de 45 reais por ano para carteiras de menos de 10.000 euros).

Investir em fundos de investimento

Em frente aos fundos indexados e até mesmo como complemento, estão os fundos de investimento tradicionais ou de gestão ativa. Com este tipo de fundos, que são os mais comuns, o gestor do fundo busca superar o mercado e seu índice de referência.

Um fundo não é mais do que um veículo que investe o dinheiro de muitos poupadores em diferentes ativos (ações, renda fixa, outros fundos…) e que é gerido por profissionais de investimento.

Aqui você encontrará todos os tipos de fundos, desde veículos especializados em um setor, áreas geográficas, megatendências, estilos de investimento com o value investing… A oferta pode ser esmagadora. Como investir em fundos de investimento do zero.

Com os fundos, você pode criar um portfólio de investimentos sob medida para seu filho e obter um bom retorno se souber escolher bem. A diferença com a alternativa dos roboadvisors é precisamente o trabalho que você terá que escolher os fundos e gerenciar o portfólio, bem como o conhecimento que você vai precisar.

Em poucas palavras, é mais trabalhoso e você tem que gostar de investir para fazê-lo. No entanto, bem executado ou como complemento, os resultados podem valer a pena.

Uma opção pode ser os fundos de ciclo de vida, que são carteiras que investem com o horizonte temporal que você define. Por exemplo, se seu filho acabou de nascer e você se propõe a investir dinheiro para seus estudos, você pode contratar um fundo com horizonte temporal 2040.

Investir em ações

Por último, você sempre pode recorrer ao método tradicional: o investimento em ações.

Ou seja, analisar empresas e/ou gráficos para escolher as melhores ou as que têm mais potencial de valorização. Esta é a opção que mais tempo e dedicação requer, por isso você deve gostar dela para implementá-la.

Se você não sabe sobre a bolsa e quer aprender, leia noso artigo sobre ” O que. é a bolsa de Valores?”

Dentro do investimento em ações, existe uma estratégia de longo prazo muito utilizada por aqueles que procuram gerar uma renda com seus investimentos: o investimento em dividendos. Basicamente, consiste em investir em empresas que distribuem dividendos (que compartilham uma porcentagem de seus lucros com os acionistas ano após ano).

Com esta fórmula para investir o dinheiro dos filhos, você terá um pouco mais de flexibilidade se precisar usar esse capital em algum momento.

O investimento em ações requer mais trabalho e precisa de mais conhecimento, mas também pode ser a fórmula ideal para introduzir seus filhos no mundo do investimento. Afinal, é mais fácil explicar que eles estão investindo em uma empresa do que em um país ou em um índice. Você pode até tentar comprar ações das empresas de videogames que eles jogam ou coisas que eles usam.

crianças nvestir

É melhor colocar os investimentos em seu nome ou no do seu filho?

Em nome de quem eu coloco os investimentos, no meu ou no do meu filho? Quando me fazem essa pergunta, já sei que a pessoa pesquisou um mínimo sobre como investir dinheiro das crianças ou pelo menos parou para pensar nas implicações de cada opção.

Ao investir, você pode colocar o dinheiro em seu nome ou no do seu filho e o que você fizer terá suas implicações fiscais e, acima de tudo, legais quando o filho atingir a maioridade.

Para mim, a questão mais importante é a legal. Se os investimentos estiverem no nome do filho, quando ele atingir a maioridade, poderá acessar o dinheiro, quer você queira ou não. O dinheiro é dele por direito e ele poderá fazer o que quiser com ele.

Se os investimentos estiverem em seu nome, você decidirá quando entregar o dinheiro ao seu filho, como fazê-lo e até quanto dar ou em que usá-lo.

E não sei você, mas eu prefiro aplicar o princípio de esperar o melhor, mas planejar para o pior. Em outras palavras, que os investimentos estejam em meu nome e eu tenha o controle. Em troca, assumo o impacto fiscal adicional que isso implica na prática, mas não na teoria. Agora você verá o que eu quero dizer.

Do ponto de vista fiscal, a teoria é a seguinte:

  • Quando o dinheiro está no nome de seus filhos, será a criança que pagará impostos na renda ao recuperar o dinheiro (entre 19% e 26% do ganho acumulado). As contribuições que você fizer ao longo do caminho serão doações pelas quais a criança deverá pagar impostos, independentemente do valor.
  • Quando o dinheiro está em seu nome e você quer dá-lo ao seu filho, primeiro você pagará impostos no IRPF com as taxas que mencionei e depois seu filho pagará o imposto sobre doações quando receber o dinheiro.

Então, onde está a diferença? Na prática, é muito raro que a Receita Federal peça explicações ou detecte as contribuições que você ou qualquer pessoa faça ao fundo, roboadvisor ou veículo de investimento de seu filho.

Pelo contrário, a Receita Federal certamente detectará essa doação que você fará ao recuperar todo o dinheiro. Na prática, com o dinheiro em nome do pequeno, você pode se livrar de pagar impostos sobre doações, mas com o dinheiro em seu nome será mais difícil.

Além disso, há uma última questão legal. É possível que se os investimentos estiverem em nome dos filhos, você precise de uma autorização judicial para realizar certas operações, como transferências ou vendas. Não é comum, mas pode acontecer, especialmente se os pais estiverem separados.

Para terminar, uma pequena recomendação sobre como investir o dinheiro de seus filhos. Se puder, planeje contribuições periódicas mensais ou trimestrais para o veículo de investimento de seus filhos e aproveite para dizer aos pais, tios, familiares e amigos que podem trocar alguns dos presentes por contribuições para esse fundo ou roboadvisor.

Assim, você evita que a casa fique cheia de coisas que a criança não precisa e aumenta suas economias.

Talvez quando são pequenos seja mais complicado fazer isso, mas à medida que crescem e têm suas preferências claras, você verá que essas preferências mudam, eles querem menos e é mais fácil convencer os parentes. Além disso, se você dedicar tempo suficiente à educação financeira dos pequenos, eles mesmos podem pedir aos parentes para contribuir para essa conta pelo menos uma parte do dinheiro que lhes dão.

Artigos Relacionados