Entenda o Conceito do Indicador de Volatilidade

O indicador de volatilidade é usado bolsa para medir as variações que o preço de um determinado ativo sofre ao longo do tempo. Se um ativo sofre muitas variações de preço, diremos que este ativo é “muito volátil”.

 A volatilidade, portanto, não é mais do que um indicador usado para medir a variação que o preço de um determinado ativo sofre. Se o preço sofre muitas mudanças, diremos que o ativo em questão é muito volátil.

Para calcular a volatilidade de um ativo, geralmente, usamos o desvio padrão. E isso é assim porque ele nos oferece a dispersão média de uma variável determinada. Neste caso, a dispersão média do preço do ativo, que indica a volatilidade desse ativo.

Muitas vezes não é necessário, sequer, recorrer ao desvio padrão para saber se um ativo é muito volátil. Observando seu preço e as flutuações que ele vive, podemos saber, aproximadamente, se o ativo é muito volátil ou não.

Com tudo isso, devemos salientar que estamos falando de volatilidade e variações passadas o tempo todo. No entanto, o complexo não é encontrar a volatilidade passada, mas a prevista para o futuro. Dessa forma, podemos usar essa volatilidade para obter retornos. Nesse sentido, o indicador mais usado para prever a volatilidade futura no mercado é o índice VIX, conhecido pelos investidores como o “indicador do medo”.

A volatilidade na bolsa ou volatilidade financeira

A volatilidade é um conceito muito falado e importante no mundo da bolsa de valores. Deve-se notar que a volatilidade financeira desempenha um papel determinante na hora de fazer um investimento.

Como já sabemos, a volatilidade é a variação que o preço de um ativo experimenta ao longo do tempo. Se o ativo for muito volátil, por exemplo, poderíamos sofrer perdas consideráveis. Da mesma forma, essa volatilidade poderia consumir nosso capital de garantia, o que resultaria em uma chamada de margem por parte do corretor.

Por essa razão, são realizadas análises, como a da margem de segurança, que permitem saber se podemos assumir essa volatilidade ou não, e se devemos investir nesse ativo. Ou, da mesma forma, poderíamos receber uma chamada de margem preventiva de nosso corretor, na qual nos avisam de um esperado período de alta volatilidade, bem como da necessidade de depositar mais fundos para enfrentá-lo.

Fórmula para calcular a volatilidade

Calcular a volatilidade de um ativo específico é possível graças ao desvio padrão. Desta forma, podemos calcular a dispersão passada de uma variável, sendo neste caso o preço de um ativo.

A maneira de calculá-la parte de elevar ao quadrado os desvios. Posteriormente, dividir o resultado pelo número total de observações. Enquanto, para terminar, teríamos que fazer a raiz quadrada para, desfazendo o elevado ao quadrado, obter o desvio e, assim, a volatilidade.

Com tudo, é importante ressaltar que estamos falando de volatilidade passada ou volatilidade histórica. Para a volatilidade esperada, são utilizados outros indicadores, como o índice de volatilidade ou índice VIX, vistas a seguir.

Índice de volatilidade ou índice VIX

O índice de volatilidade, índice VIX ou índice do medo, como é conhecido este indicador no mundo do investimento, é um indicador usado para prever a volatilidade esperada nos mercados financeiros.

Nesse sentido, mostra a volatilidade esperada nos mercados financeiros americanos a curto prazo.

Seu nome vem do inglês, fazendo suas iniciais referência a Volatility Index, que em português significa índice de volatilidade.

Embora estejamos falando de um indicador focado no mercado americano, existem outros índices, como o VSTOXX ou o VXN, que medem o mesmo, mas nesses casos para o Euro Stoxx 50 e o Nasdaq.

Tipos de volatilidade

Antes de terminar, é preciso salientar que ao falar de volatilidade, também podemos falar de tipos de volatilidade.

Dependendo da medição que fazemos, podemos classificar a volatilidade da seguinte maneira:

Conforme o período (passado ou futuro):

  • Volatilidade histórica: refere-se à variação registrada nos preços durante um longo período, contrastando com o preço médio. Normalmente, costuma ser calculada para os últimos 12 meses, obtendo assim a volatilidade do ativo durante esse ano, por exemplo.
  • Volatilidade implícita ou esperada: refere-se à variação que se espera registrar no preço de um ativo durante um período determinado. Essa variação não sabemos, por isso não podemos calculá-la. É obtida a partir de outra série de indicadores, que permitem aproximar a variação que se espera que o ativo sofra no futuro.

Conforme a amostra coletada:

  • Volatilidade estocástica: este tipo de volatilidade refere-se às mudanças incertas que ocorrem no preço de um ativo, que impedem a medição por produzir erros que impossibilitam seu cálculo, ou induzem a mais, e mais profundos, erros. Para seu cálculo, devem ser utilizados modelos mais elaborados, como poderiam ser os próprios modelos de volatilidade estocástica.
  • Volatilidade determinista: A volatilidade passada. Neste caso, aquela que obtemos a partir do desvio padrão, em um cenário em que não ocorrem erros nem mudanças incertas que impedem seu cálculo e, consequentemente, sua medição.

A volatilidade de um fundo de investimento

Assim como calculamos com o preço de uma ação, podemos calcular com o preço de um fundo, podendo analisar a volatilidade que esses tipos de produtos financeiros apresentam de acordo com seu preço de participação.

Quando investimos em um fundo de investimento, compramos participações a um preço determinado. Embora essas participações estejam diversificadas entre inúmeros ativos, o preço de participação é o que reflete as variações que ocorrem nos ativos que compõem esse fundo.

Portanto, bastaria calcular o desvio padrão sobre o preço das participações para conhecer a volatilidade deste tipo de produto financeiro. Assim como acontece com uma ação ou com outro tipo de ativo.

Um exemplo de volatilidade: o bitcoin

Para terminar, um claro exemplo de volatilidade encontramos no bitcoin.

A criptomoeda mais conhecida no mundo, como sabemos, é um ativo muito volátil.

Seu preço, em questão de dias, valorizou mais de 200%, da mesma forma que sofreu quedas superiores a 100%.

Este ativo, dado que sofre muitas variações e muito pronunciadas, é um ativo muito volátil. Além disso, as mudanças repentinas no preço representam um risco para o investidor, que deve considerar antes de tomar a decisão de investir.

Tickmill

8/ 10

Mercado:

Europa, USA, Ásia

Execução rápida sem recotações, todas as estratégias de negociação permitidas.

Spreads desde 0.0 pips

Regulado por la FSA

*Tickmill não é regulada pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no Brasil. Não realizamos nenhuma atividade de marketing ativo nem oferta pública de valores para residentes no Brasil.

Depósito minimo:

R$508.39

Artigos Relacionados

O que é Teoria de DOW na análise técnica
A análise técnica é uma ferramenta essencial para os investidores que buscam obter vantaegens no mercado financeiro. Ela consiste em estudar os padrões de comportamento dos preços dos ativos, utilizando gráficos, indicadores e outras ferramentas m...

Deixar uma Resposta

Leave a Comment

Sii il primo a commentare!
Commento